PLACAR

Shang luta por 4h e avança em Madri, Shapovalov segue

Juncheng Shang (Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour)

Madri (Espanha) – No jogo que encerrou a programação desta quarta-feira pelo Masters 1000 de Madri, o convidado chinês de 19 anos Juncheng Shang lutou por 4h para vencer o francês Corentin Moutet, 88º do ranking, com parciais de 6/7 (9-7), 6/2 e 7/6 (12-10). Shang não precisou salvar nenhum match-point, mas só conseguiu fechar a partida em sua sexta oportunidade.

“Deve ser a partida mais longa que já joguei na minha vida”, disse Shang, que marcou sua terceira vitória em Masters 1000 na carreira. E com o resultado, já se aproxima de uma inédita chegada ao top 100. “Jogar no saibro exige muito do físico, ainda mais contra um jogador incrível como Corentin. O nível era insano. Mesmo se eu tivesse perdido, não me arrependeria. Foi quase o jogo perfeito para mim”.

Além da longa duração e, consequentemente do horário avançado, já o jogo acabou por volta de meia-noite pelo horário espanhol, Shang também teve que lidar com a imprevisibilidade de Moutet. O francês é conhecido por fazer algumas jogadas de efeito, arriscar saques por baixo e interagir muitas vezes com a torcida durante suas partidas.

A primeira parcial foi definida apenas no tiebreak, depois de uma quebra para cada lado, e Moutet precisou de nove de set-points, além de salvar outros três. Shang venceu o segundo set com duas quebras, escapando dos três break-points que enfrentou. No terceiro, o chinês abriu 3/0, mas cedeu o empate e a definição ficou para mais um tiebreak.

E mesmo com todas as mudanças de humor do adversário, Shang se manteve firme na partida, mesmo depois de várias oportunidades perdidas. Em um tiebreak com altos e baixos, e que em dado momento Moutet perdeu até a raquete na quadra, o chinês esteve o tempo todo à frente no placar no game-desempate e terminou o jogo sorrindo.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

O adversário de Shang na segunda rodada será o espanhol Alejandro Davidovich Fokina, 27º do ranking. O único duelo anterior entre eles foi vencido por Fokina, no Masters 1000 de Miami. E quem passar pode enfrentar o russo Andrey Rublev, número 8 do mundo, ou o argentino vindo do quali Facundo Bagnis.

Shapovalov vence em três sets na estreia

Em outro jogo de três sets na rodada, o canadense Denis Shapovalov superou o argentino Facundo Diaz Acosta, 47º do ranking, por 6/4, 3/6 e 6/3 em 1h54 de partida. Ex-top 10, Shapovalov aparece atualmente no 132º lugar do ranking, depois de ter sofrido uma grave lesão no joelho no ano passado, que o afastou das competições por todo o segundo semeste.

Shapovalov, que já foi semifinalista de Madri em 2018, enfrentará mais um argentino. Seu próximo rival é o 27º do ranking Tomas Etcheverry, em confronto inédito no circuito. O vencedor pode enfrentar o alemão Alexander Zverev ou o croata Borna Coric.

Botic derruba Eubanks e enfrenta Humbert

O holandês Botic van de Zandschulp, 115º do ranking, derrotou o norte-americano Christopher Eubanks, 44º colocado, com parciais de duplo 6/3. Ele enfrenta o francês Ugo Humbert, número 14 do mundo. Humbert venceu os dois duelos anteriores em nível ATP, um deles este ano em Miami.

Já o eslovaco Lukas Klein, 120º do ranking e vindo do quali, venceu o jovem espanhol de 21 anos Pablo Llamas Ruiz, 146º colocado, por 6/1, 4/6 e 7/6 (7-4). Klein desafia o norte-americano Tommy Paul, 16º do mundo, em confronto inédito no circuito.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wild enfrenta inspirado Monfils e a torcida francesa em Paris

A homenagem de Roland Garros ao adeus de Alizé Cornet

PUBLICIDADE