PLACAR

Sakkari luta por 3h, vira o jogo e chega à 3ª semi seguida em IW

Foto: Katelyn Mulcahy/BNP Paribas Open

Indian Wells (EUA) – Pelo terceiro ano consecutivo, Maria Sakkari disputará a semifinal do WTA 1000 de Indian Wells. A grega de 28 anos e número 9 do mundo já iguala a campanha da temporada passada e tenta repetir a final de 2022. Sakkari superou nesta quinta-feira a norte-americana Emma Navarro, 23ª do ranking, por 5/7, 6/2 e 6/4 em 2h55 de partida.

Apesar de sua presença constante em fases finais de torneios nos últimos anos, com dez semifinais de WTA 1000, Sakkari tem apenas dois títulos no circuito, o 1000 de Guadalajara no ano passado e o 250 de Rabat de 2019. Ela tem outras sete finais no circuito. O torneio em Indian Wells é o primeiro que ela joga desde o fim de uma parceria de seis temporadas com o técnico britânico Tom Hill. Para o seu lugar, chegou David Witt, ex-treinador de Jessica Pegula.

Sakkari enfrenta na semifinal desta sexta-feira às 22h (de Brasília) a norte-americana Coco Gauff, número 3 do mundo. A grega lidera o histórico de confrontos por 4 a 3, mas Gauff venceu as duas últimas, na final de Washington e nas quartas de Pequim no ano passado. A outra semifinal será às 20h com a polonesa Iga Swiatek, número 1 do mundo, e a ucraniana Marta Kostyuk, 32ª colocada.

“Foi o jogo mais difícil que eu fiz aqui. Emma é uma jogadora incrível e uma menina muito legal. Nós conversamos faz alguns dias, ela está fazendo uma temporada incrível. Então é uma grande vitória para mim e fico muito feliz por ter encontrado um jeito de vencer e por poder voltar a jogar bem depois de algum tempo”, disse Sakkari durante a entrevista em quadra.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Sakkari liderou o primeiro set por 4/3 e saque, mas sofreu duas quebras no fim da parcial. Já no segundo set, ela abriu 4/0, mas foram games muito longos. Tanto que a grega precisou salvar nove break-points e teve dez chances de quebra. Foram necessários oito set-points até ela conseguir fechar.

Já no terceiro set, Sakkari abriu 2/0, cedeu o empate, mas não teria mais o saque ameaçado e voltou a quebrar no penúltimo game da partida. Ela fez 28 a 25 nos winners e cometeu 51 erros contra 48. A partida teve 8 quebras, 5 a 3 para a grega, e 30 break-points disputados.

Superada por Sakkari nas quartas de final, Navarro fez a melhor campanha da carreira em um WTA 1000 e eliminou grandes jogadoras como Elina Svitolina e Aryna Sabalenka. Com 18 vitórias na temporada, a jovem norte-americana de 22 anos venceu o mesmo número de jogos que Iga Swiatek em 2024. Ela entrará no top 20 do ranking a partir da próxima semana.

15 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Bukele
Bukele
1 mês atrás

Tem uma cambada q fica zoando a Sakkari, mas é por isso q ela nunca sai do top 10. Ela obtém resultados, e acabou…

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Bukele

Bukele você não sabe nada de tênis rapaz, pois o que importa são títulos e ele são a razão de ser de um atleta profissional,pois senão fosse importantes Djokovic, Federer,Nadal, agora Alcaraz e Siner e tantos outros não brigariam para ser campeão porque só boas campanhas são insuficientes para a carreira de um atleta. Agora questionam muito a Sakkari não só porque ela é limitada, como 90% das tenistas atuais, e sim porque ela é uma perdedora e os números mostram isso e pior também era muito acomodada, mas com mudança de técnico espero que ele possa fazê-la entender que conquistas é o mais importante na carreira de um atleta e não viver de um ranking enganoso que ela vivia, ainda esta chegando aos 30 anos com um currículo muito pobre pra quem se mantém durante anos no top 10.

Raphael
Raphael
1 mês atrás
Responder para  Bukele

Os mesmos dizem que Bia é um fenômeno. Vai entender…

Ricardo
Ricardo
1 mês atrás

Logo logo aparece um hater misógino obcecado pela Sakkari…nem vou dizer o nome, todos aqui sabem quem é! Do mesmo tipo que diz que Raonic, que foi número 3, é um fracassado.
Mudou de técnico, acho que fez diferença. Potência e força ela tem. Tenis é 70 % mental, isso é o que pode fazê-la progredir mais.

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Ricardo

Vai estudar tênis Ricardo porque não sabe nada, aliás, não tem nada a ver esses adjetivos sem noção que você reclama aqui sobre misoginia, pois ninguém prega isso aqui não e sim o que é analisado são os números dela que são ruins, olha aí a carreira dela que com quase 30 anos só tem 2 míseros títulos que é muito pouco a quem é top 10 durante anos e você sempre teima com a realidade porque não sabe nada, desculpa mas lamento pela sua falta de visão da realidade.

Wilson luiz
Wilson luiz
1 mês atrás

Isso que falta pra nossa número um. Não precisa ser campeã de tudo mas, chegar nas fases agudas, acumulando pontos…se for assim, vai ficar entre 10 e 20 do mundo, por mais uns quatro anos. Isto se chama “regularidade”!!!

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Wilson luiz

Wilsnos Luz, desculpa mas você deve se igual o Bukele que deve achar que apenas viver em um ranking enganoso que nem a Sakkari vive é mais importante que títulos kkkkk, é cada gente engraçada que aparece aqui, ou seja Djokovic, Nadal, Federer, Alcaraz, Medvedev, IGA, Sabalenka e outros devem morrer de rir da sua viagem. até . kkkkkkkkkkkk

Wilson luiz
Wilson luiz
1 mês atrás
Responder para  Flávio

Quis dizer,que, se a Bia, passar para as fases mais agudas, também belisca algum título, o que é complicado é ficar caindo em rodada um ou dois, para adversarias ganhaveis. Sou torcedor. Quero ver a Bia muitos anos nas cabeças, mas, com os resultados de início de ano, fica dificil. Veja a Pavlyuchenkova, algoz da Bia, 32 anos e voltando a figurar entre as melhores!

Evandro
Evandro
1 mês atrás

Sekkar a grega continua sendo mal negócio!!! Cozinhou a boa Navarro, que não aguentou a regularidade de Maria.

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Evandro

Tá bom, então Evandro se a perdedora grega perder na semi ou final volta aqui e não some não viu viajante kkkk, mas quem sabe a perdedora grega consegue uma surpresa e ganhe o título que aí seria uma zebra a ser pensada que vale a pena ver. kkkkkk

Darlan
Darlan
1 mês atrás

“…dez semifinais de WTA 1000″… não é pra qualquer uma. Vamos, Sakkari!!!

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Darlan

Darlan o que importa são títulos e o currículo da acomodada Sakkari é uma vergonha para a WTA para quem é top 10, sinceramente espero que o novo técnico dela a tire da acomodação embora
sabemos que é uma tenista muito limitada, mas isso não é desculpa porque 90% delas são limitadas, incluindo a Iga que não sabe usar slice e nem curtas, então no imprevisível tênis feminino dar pra ganhar alguns títulos que vai depender da grega.

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Darlan

Darlan ela tem é que ganhar título e parar de ser perdedora, mas parece que o seu técnico novo conseguiu variar um pouco o seu jogo onde ela usou alguns slices isso é positivo pra ela mesma que pode renascer.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
1 mês atrás

Flavio, a sua incoerência fez você esquecer de colocar nessa sua lista de campeões a Iga Swiatec, maior distribuidora de pneus do atual circuito feminino de tênis, que você tanto critica.

Flávio
Flávio
1 mês atrás

Carlos Alberto Riberio Da Silva talvez você não tenha entendido a minha crítica a ela, então vamos lá eu critico a sua qualidade técnica porque para uma número 1 ela apresenta um tênis muito limitado ao ficar só na pancadaria GROSSA , agora eu reconheço que ela é uma vencedora e sempre eu disso isso aqui devido a sua boa condição física. A única coisa que QUESTIONO é sobre sua qualidade técnica que é limitada demais, pois ela podia mostrar mais variando um pouco o jogo pra quem é número 1 atualmente e assim iria atrairia mais público para o tênis feminino.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da decisão em Monte Carlo

Medvedev em outro ataque de fúria e desconta na raquete

PUBLICIDADE