PLACAR

Ruud diz que vitória sobre Djoko pode lhe dar confiança

Foto: Rolex Monte-Carlo Masters

Monte Carlo (Mônaco) – Mais uma vez, Casper Ruud bateu na trave. Depois de perder duas decisões consecutivas em Roland Garros e outras no US Open, ATP Finals e Miami, o norueguês amargou nova derrota em uma final importante. Desta vez, foi superado por Stefanos Tsitsipas no jogo que valia o título do Masters 1000 de Monte Carlo, caindo por 6/1 e 6/4.

Apesar de não conseguir quebrar essa barreira dos grandes títulos (os dez troféus que já levantou foram em eventos de nível 250), o jogador de 25 anos se apega em outro elemento para buscar a confiança necessário para enfim triunfar nos grandes. Segundo ele, a vitória diante de Novak Djokovic na semifinal em Mônaco, a sua primeira diante de um top 3 na carreira, pode servir de motivação no restante da temporada.

“Acho que joguei bem neste torneio, e vencer o Djokovic ontem foi um resultado fantástico para mim. É algo que espero que possa me dar mais confiança. Talvez não hoje, mas na próxima vez que eu jogar uma grande partida ou se eu estiver em uma grande final novamente, pensarei que o fato de ter derrotado Novak possa ser algo que me dê confiança”, explicou.

Ruud também deu o seu ponto de visto a respeito da partida deste domingo e lamentou o início ruim, perdendo três dos seus quatro games de saque na primeira parcial.  “Infelizmente, não foi o melhor começo e fui quebrado cedo. Tive algumas chances de revidar, mas acabei jogando de forma defensiva. Stef jogou bem, foi agressivo, fantástico com o forehand, e hoje também foi muito bem com o backhand. Eu realmente não encontrei nenhuma falha no jogo dele e não fui bem o suficiente. Simples assim. Acho que houve algumas pequenas chances no segundo set, mas quando você não converte, é difícil vencer as partidas”, lembrou sobre os break-points desperdiçados no terceiro e sétimo games.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

O norueguês ainda diz sair arrependido de alguns erros, especialmente com a direita, que ele mesmo considera seu principal golpe. “Isso foi um problema o jogo todo. Sinto que fiquei um pouco hesitante com o forehand no começo, então tentei jogar solto e ir atrás de winners, mas quando o fiz, senti que a bola estava saindo demais. Eu realmente não encontrei um bom equilíbrio hoje”, frisou.

Questionado por quê não utilizou um pouco mais os dropshots para tentar surpreender Tsitsipas, Ruud admitiu que não se sente tão confiante em executá-lo. “Não considero essa minha melhor arma. Meu forehand é melhor do que meus dropshots. É algo que posso criticar no meu próprio jogo, porque nunca faço isso o suficiente. É algo para ter em seu repertório e talvez eu deva considerar trabalhar. Sinto que se eu tiver um bom forehand e jogar com 100% de potência e topspin, talvez ganhe sete ou oito em dez arremessos, e se acertar o dropshot, talvez ganhe quatro ou cinco. Então, estatisticamente, nem sempre vejo sentido, mas se eu puder desenvolvê-lo para me tornar um jogador melhor, talvez tente fazê-lo.”

De volta a uma grande decisão após quase um ano, Ruud acredita que esse pode ser o início de uma retomada aos bons resultados depois de um 2023 bem abaixo em relação à ótima temporada que fez em 2022. “Obviamente, não podemos voltar no tempo, mas há um ano e meio estive muito perto de vencer a final do US Open e me tornar número 1 do mundo. Aquele ano foi fantástico para mim, já 2023 foi um pouco decepcionante em comparação com 2022. Eu sabia que seria um ano muito difícil porque tinha muitos resultados para defender.”

“Agora estou me sentindo um pouco mais de volta aos trilhos, jogando mais solto, não tenho muito a perder. Ganhar um Grand Slam ou Masters 1000 é o meu grande sonho. Hoje consegui jogar uma final, mas não consegui vencer, então vou continuar perseguindo e tentando melhorar meu jogo sempre. Acho que dei alguns pequenos passos na direção certa nos últimos seis meses em termos de tênis, fisicamente também, e acho que estamos fazendo algo certo e espero poder continuar nesta tendência positiva em que estou”, concluiu.

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

Ruud é um grande lutador! Lembra o Ferrer! O cara é top 10, já tem 3 finais de Slam e 1 de Finals….uma grande carreira

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Também acho Fernando, ora teve alguns que disseram anteriormente quando Tsitsipas ganhou que ele não é para esta na final de Monte Carlo que eu discordo, pois o Ruud tem qualidade sim porque sabe usar smash e lob e usa alguns slices,porém usa pouco e é claro que tem que evoluir mais a técnica para ser um jogador melhor e ele sabe disso.

Edson
Edson
1 mês atrás

Só ganhou pq nole está sem motivação nenhuma e pouco se lixando para esses torneios, só se preparando para grand slans, pois se jogasse metade do seu nível normal, Ruud nem ia ver a bolinha……

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE