PLACAR

Rune lembra importância de conselhos de Djokovic em MC

Foto: Rolex Monte-Carlo Masters

Monte Carlo (Mônaco) – Em seu começo de carreira, o dinamarquês Holger Rune teve o privilégio de treinar em Monte Carlo com o sérvio Novak Djokovic e conseguiu aproveitar muito do bate-bola e da conversa com o número 1 do mundo. Atual vice-campeão do Masters 1000 local, ele lembrou daquele momento e destacou a importância de receber conselhos de alguém tão gabaritado.

“Ele me ensinou muito, sempre foi muito gentil comigo. Lembro que treinamos aqui há cerca de cinco anos, antes de começar a jogar challengers, e ele se mostrou muito interessado, tirando dúvidas, me dando conselhos e também se abrindo sobre como foi a carreira dele. Para um jogador tão jovem isso significa muito”, destacou Rune.

O dinamarquês agradeceu a atenção de um dos melhores de todos os tempos. “Sentir que ele quer te ajudar é incrível. Eu o admiro muito, me deu conselhos a nível mental. Ele é uma fera, mas me disse que era humano, não um super-herói, também sente as emoções que todos nós sentimos, apenas as administra de uma forma diferente em comparação aos demais jogadores”, falou Rune.

“Ele me disse que essa é uma das razões pelas quais ele teve mais sucesso do que todos os outros. É impressionante vê-lo, o mesmo acontece com Rafa (Nadal) e Roger (Federer). Eles são impressionantes. Minha relação com o Novak agora é diferente, estamos competindo. Já o venci duas vezes, então ele não me dá mais conselhos”, complementou o dinamarquês.

Vice no ano passado, ele também contou como foi superar a derrota para o russo Andrey Rublev na final. “Foi muito complicado, o melhor é que fui a Munique na semana seguinte e venci quase sem descanso. Caso contrário teria doído muito mais. Fiquei feliz por ter chegado à final. Obviamente, tive várias opções para fechar a partida, mas o tênis é isso. Não fui bom o suficiente e é isso”.

4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Balbino Neto
Balbino Neto
1 mês atrás

Rune perdeu o embalo mas ainda continua num bom nível competitivo. Monte Carlo é um bom torneio para ele voltar a brigar pelo topo..

Lu Barros
Lu Barros
1 mês atrás

Parece que está amadurecendo, uns demoram alguns ficam pelo caminho, não completam o processo!

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

Isso não é nenhuma surpresa! Vários outros jogadores relataram a generosidade do Djoko! Infelizmente alguns jornalistas e comentaristas só enfatizam as falhas e erros do sérvio!

Rafael
Rafael
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Exato. A maioria maciça dos novos jogadores enaltecem a atitude do sérvio, que é sempre gentil e atencioso.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wild enfrenta inspirado Monfils e a torcida francesa em Paris

A homenagem de Roland Garros ao adeus de Alizé Cornet

PUBLICIDADE