PLACAR

Recuperada, Andreescu retorna em Rabat e faz reflexões

Foto: BNP Paribas Open

Rabat (Marrocos) – Ex-número 4 do mundo, campeã do US Open em 2019 e dona de um jogo bastante agressivo. Com um currículo de bastante respeito, a canadense Bianca Andreescu foi vista por algum tempo com uma das grandes promessas do circuito, mas as constantes lesões da jogadora, hoje com 23 anos de idade, se tornaram um grande empecilho para que pudesse confirmar as expectativas.

Afastada das quadras desde agosto do ano passado por causa de um problema nas costas, a tenista voltará às competições neste mês de maio para disputa do WTA 250 de Rabat e, embora esteja finalmente recuperada, ela carrega algumas marcas desse período complicado, conforme admite em entrevista para o Match Point Canada.

“Não sinto que meu corpo tenha 23 anos, por causa de todas as lesões. Tenho tido muito azar. O universo gosta de nos testar de maneiras diferentes. O teste mais difícil da minha vida tem sido lidar com as lesões físicas, além dos problemas de saúde mental, que de certa forma andam de mãos dadas. Não me arrependo de nada, pois aprendi muito sobre mim mesma através dos desafios que tive que enfrentar, mais do que através das vitórias e dos momentos felizes”, disse Andreescu.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

A ex-top 4 também afirmou que depois de tantos problemas físicos em tão pouco tempo de carreira, ela já está acostumada com a situação, mas espera se livrar dessa questão de uma vez por todas. “Odeio dizer isto, mas estou habituada a essas situações, embora espero nunca mais ser assim. Nunca tive um ano inteiro sem problemas e o meu foco agora tem sido em me preparar bem fisicamente para fazer o meu trabalho. A melhor parte disso é que agora sei como processar isso e seguir em frente. Quero usar esses anos em que ainda sou jovem para ter um bom desempenho em minha carreira. Espero que não, mas se tiver outra longa pausa, verei o que posso fazer”, explicou.

Retorno em Rabat e sonho olímpico

Depois de nove meses sem disputar uma única partida, Andreescu voltará às quadras no WTA 250 de Rabat, que acontece no saibro do Marrocos a partir do dia 19 de maio. Atualmente ocupando apenas a 225ª colocação, ela pode se aproveitar de convites e usar o ranking protegido para entrar em até oito competições neste retorno ao circuito. “No momento, me sinto bem e ansiosa para regressar em Rabat. Tenho treinado nos últimos três meses, foi a pré-temporada mais longa que já tive na minha vida, mas tem corrido muito bem”, conta a canadense.

Ela também alimenta o sonho de disputar os Jogos Olímpicos pela primeira vez, e para isso sua única chance será usando o ranking protegido. “Basicamente, tenho a oportunidade de usar o ranking protegido, o que espero que seja suficiente para entrar no torneio. É meu objetivo desde pequena estar naquele palco. Ganhando ou perdendo, representar meu país é o mais importante para mim”, enfatiza.

Reflexões e autoconhecimento

Depois de ficar tantos meses longe das competições, Andreescu teve tempo de sobra para refletir sobre a vida e descobrir do que realmente gosta e sente falta. “Sinto que descobri muitas coisas sobre mim mesma. Talvez se não tivesse passado esse tempo fora das quadras, não saberia da minha paixão pela espiritualidade, pelas artes marciais ou mesmo pela pintura”, revelou.

Ela também explica que essas atividades foram essenciais para manter sua saúde emocional em dia. “Eu me completo através do esporte, mas quero ter outros hobbies, senão enlouqueço. Foi o que aconteceu comigo quando tive uma crise mental em 2021 e não gostei de como me senti. Ter essas ferramentas não só me ajudam na minha vida, mas também na quadra”, finalizou.

5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Geraldo
Geraldo
13 dias atrás

Sempre admirei o tenis da Andreescu. Espero que sua recuperação tenha sido bem sucedida e definitiva!

Eduardo
Eduardo
13 dias atrás

É ótima tecnicamente a Andreescu, mas pecava no físico. Se estiver fininha, tem tudo pra retornar ao topo, inclusive porque reduziria o risco de novas lesões.

Profeta do Caos
Profeta do Caos
13 dias atrás

Essa eu curto assistir!
Boa tenista!

Carlos
Carlos
12 dias atrás

Joga muito!!! Pena q seja o delpotro feminina..

Adalberto
Adalberto
11 dias atrás

Demonstra sabedoria usar os desafios e obstáculos para crescer mentalmente!
Que se recupere totalmente pois tem um ótimo tenis!

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE