PLACAR

Noskova tem grande atuação e derruba Iga em Melbourne

Foto Corinne Dubreuil/FFT

Melbourne (Austrália) – Depois de ter sobrevivido a uma partida de 3h15 pela segunda rodada do Australian Open na última quinta-feira, Iga Swiatek não resistiu a mais um jogo longo e se despediu da competição neste sábado. A número 1 do mundo foi superada pela jovem tcheca de 19 anos Linda Noskova, 50ª do ranking, que teve uma grande atuação e conseguiu a vitória de virada por 3/6, 6/3 e 6/4 em 2h20 de partida.

Noskova chega pela primeira vez às oitavas de final de um Grand Slam. Até então, suas melhores campanhas em torneios deste porte foram apenas segundas rodadas em Roland Garros e no US Open do ano passado. A tcheca, entretanto, já tem agora quatro vitórias contra tenistas do top 10. A mais recente havia sido contra a compatriota Petra Kvitova, então número 9 do mundo, em Cincinnati. Sua próxima rival virá da partida entre a ucraniana Elina Svitolina, 23ª do ranking, e a suíça Viktorija Golubic, 85ª colocada.

O resultado também acaba com uma invencibilidade de 18 jogos de Iga Swiatek no circuito. A polonesa de 22 anos havia vencido suas sete primeiras partidas da temporada, além de ter sido campeã do WTA 1000 de Pequim e do Finals de Cancún no fim do ano passado. Apesar de já ter quatro títulos de Grand Slam, ela adia mais uma vez o sonho de uma conquista inédita em Melbourne. Sua melhor campanha no torneio foi a semifinal de 2022. Já a liderança do ranking não é ameaçada, porque a segunda colocada Aryna Sabalenka é a atual campeã na Austrália e só defende pontos nessas duas semanas.

Logo no início da partida, Swiatek já teve que escapar de um 15-40, mas ainda não vinha conseguindo ameaçar o serviço de Noskova. A oportunidade apareceu para a polonesa depois que Noskova fez duas duplas faltas no mesmo game. A disputa se alongou até que a número 1 do mundo conseguisse a quebra no sexto game para fazer 4/2 e seguir sem ter o serviço ameaçado até o fim do set.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

O segundo set começou dominado pelas sacadoras, sendo que Swiatek vinha confirmando seus games de forma mais tranquila. Noskova escapou de break-points no 2/2 e no 3/3, que poderiam deixá-la em situação delicada na partida. E na sequência, conseguiu a única quebra da parcial de zero e contando com uma sequência de ótimas devoluções, especialmente no segundo saque da polonesa, para fazer 5/3, antes de definir o set em seu serviço.

A pressão sobre os games de saque de Swiatek continuou no terceiro set e Noskova foi a primeira a quebrar para fazer 2/1. Na sequência, a polonesa se aproveitou de uma breve queda de intensidade da rival para ser agressiva e devolver a quebra. Swiatek ainda salvou um break-point no quinto game atacando a paralela com o backhand. Dois games mais tarde, novamente ameaçada, repetiu a dose. Mas as oscilações da polonesa no saque e ralis de fundo permitiram que a tcheca tivesse outra chance de quebra e aproveitasse para fazer 4/3. Em seus dois últimos games de serviço, a tcheca não sentiu a pressão e conseguiu eliminar a número 1 do mundo.

Noskova fez um winner a mais que Swiatek na partida, 35 a 34, e cometeu 37 erros contra 33 da polonesa. A tcheca disparou 10 aces, um deles no último game, com 30-iguais, para chegar ao match-point. Ela conseguiu quebrar três vezes o serviço da número 1 do mundo e perdeu apenas dois games de saque neste sábado.

25 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Valmir
Valmir
1 mês atrás

O trono está vago!

Rodrigo
Rodrigo
1 mês atrás

Vou repetir o que disse há dois dias. Ou Iga melhora seu 2 saque consideravelmente ou os GS vão rarear. Continua sendo muito sólida no fundo de quadra, mas o 2 saque é sofrível

Rafa
Rafa
1 mês atrás

realmente LINDA!!!!! que resultado bom. principalmente nos livrar das caras e bocas feias da Iga na tv já é um livramento! obrigado à tcheca! viva!

Flavio
Flavio
1 mês atrás

E aí haters imprestáveis e que criticam a Bia, como explicar a número 1 perder pra uma juvenil de 19 anos e 50 do mundo?

Camila
Camila
1 mês atrás
Responder para  Flavio

Não é só a Bia, e todas essas top 10 e Top 20 perdendo pra meninas de 26, 17, 18, 20 anos. As meninas da creche dando aula de tenis pra mas velhas !!! Uma jogadoras que vacilam, veja se alguém viu Serena, Sharapova, Vênus, Graffi, perder pra 50, 85, 100, 130 , 170, 200 do ranking!!! Mas está vindo uma nova safra que espero, seja diferente das atuais.

Rodolfo C Silveira
Rodolfo C Silveira
1 mês atrás

Nunca será uma Serena.

Bukele
Bukele
1 mês atrás

Cadê os que aparecem aqui dizendo que é uma vergonha uma top 10 perder pra novata de 20 anos fora do top 50? Tênis feminino é isso, a não ser em raríssimos casos onde existe uma tenista hiper completa tipo Serena Williams que consegue destruir todo mundo, mas isso é extrema raridade no tênis feminino. A regra é isso aí: feminino é muito mais instável que o masculino, a regra do masculino não se aplica ao feminino.

Leo realista
Leo realista
1 mês atrás
Responder para  Bukele

Só tem um problema no seu argumento: isso é uma excessão. A iga, Sabalenka, etc perderem pra uma adversaria assim é bem raro. A Bia perde direto…
E a Noskova é bem mais gabaritada, vem desde o ano passado com ótimas campanhas. Não é uma desconhecida.

Alessandro Siqueira
Alessandro Siqueira
1 mês atrás
Responder para  Bukele

Nem todas. Serena perdeu bastante contra as Belgas e olhava com cara de ódio para Henin. Justine, aliás, chegou a ganhar dela e da irmã em sequência. Pena que tenha se retirado do circuito tão cedo.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Alessandro Siqueira

Aí não, Alessandro. Foram vitórias circunstanciais, mas a Serena sempre dominou o circuito feminino.

natanael
natanael
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Serena simplesmente é a GOAT

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  natanael

Também acho, pois tem 23 slam na Era Aberta, recorde de títulos de wta 1000 (31) e Graff teve o trabalho facilitado após o episódio com Mônica Seles.

Alessandro Siqueira
Alessandro Siqueira
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

8 a 6. Serena lidera, mas nada discrepante. No mais, Henin se aposentou como #1, às vesperas de RG 2008. Em tese, teria grande carreira pela frente, como a australiana que largou o trono e aí vimos a ascensão de Iga.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Alessandro Siqueira

Serena tem vantagem contra Justine e ainda ganhou final de slam contra ela. Não tem nem comparação.

JBG
JBG
1 mês atrás

Gran Slams não é pra qualquer um mesmo, Blinkova, Noskova entre outras em entrevistas abertamente falaram que pernas e braços tremiam de nervosismo e ansiedade para fechar ganhar. Bom, está aí o que vocês queriam, ?ga Swiatek, Rybakina, Ons Jabeurs, Wosniack, Collins e Beatriz Haddad Maia perderam, algumas é verdade por detalhes. Escola russa e República Tcheca trabalham bem metal e fundamentos modernos bem cedo para momentos como estes. Uma pena Brasil não conseguir coisa parecida, talvez devêssemos fazermos uma parceria e trazer treinadores ex-tenistas de lá, e mudar maneira de ver o tênis. Claro algumas nascem com talento e personalidade bem precoce, mas uma lavagem cerebral para jogar bem tênis ah isso tem. Mirra Andreeva e outras tem apenas 16, 18 anos… Jogam tênis maduro que infelizmente outras só atinge com vinte pra cima.

Joaz
Joaz
1 mês atrás

Como é imprevisível o tênis feminino, e como chega jogadoras novas p/ surpreender favoritas. Enquanto no masculino só uma grande surpresa tira um favorito da disputa em GS, no feminino se aponta as favoritas mas sem nenhuma segurança que vão estar na final porque tudo pode acontecer.
E não é demérito do tênis feminino é característica.

Rogério Falco
Rogério Falco
1 mês atrás

Que coisa, Pegula, Ribakina e agora Iga, todas eliminadas, neste lado da chance. Grande chance da Azarenka voltar a final do AO.

Rogério Falco
Rogério Falco
1 mês atrás
Responder para  Rogério Falco

*neste lado da chave

Ubiratan (Black)
1 mês atrás
Responder para  Rogério Falco

Para a Zheng também ficou ótimo. Ela já estava sem as principais cabeças pela frente para chegar na semi e agora não terá a Iga lá.
Espero que a Azarenka chegue lá e vá pra final.
Do outro lado, que a gente tenha Gauff x Sabalenka mais uma vez para apreciar.

Rebeca
Rebeca
1 mês atrás

Segue o baile das debutantes … quem dançou agora foi Iga … number one!
Noskova, theca de 19 aninhos, outra ousada teenager pra animar mais um baile no AO!

Passou a fase das espetaculares … Serena, Graff, Hings, Seles, Navratilova, Ester Bueno … segue o baile no passinho das teenagers!

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

E alguns sem noção esculachando a Haddad Maia ontem! Tem ótimas jogadoras surgindo o tempo todo! Até a número 1 multicampeã foi vítima de uma prodígio! Rybakina idem! E virá mais por aí!

Ubiratan (Black)
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Pois é! há menos de duas semanas eu dizia que era só esperar um pouco para vermos qual seria a fotografia final de Adelaide e do AO, quais seriam os nomes dos torneios. Mudou o que muitos esperavam lá, e aqui veio a maior surpresa, sobre quem vinha praticamente passando por cima de todo mundo. Collins já tinha conseguido o maior feito de quase vencê-la nessa fase.
Bem! desse lado da chave pode acontecer qualquer coisa agora. Do outro ainda tem Gauff e Sabakenka mantendo as expectativas, por enquanto.

Falando de Bia, e dos tais seres que falam tanto dela e de outros brasileiros, ela estará sempre deixando cair migalhas lá de cima para alimentar e dar um pouco de alegria a essas vidas! basta ficarem com a boca aberta e aproveitar. No mais, vão ter que engolir também o inevitável, e não precisa de futurologia, que Bia vai avançar em torneios, vai vencer torneios e entrará no top 10.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás
Responder para  Ubiratan (Black)

Concordo

Marcos Vinicius de Oliveira
Marcos Vinicius de Oliveira
1 mês atrás

Iga é marrenta como o Djoko. Leva uma eternidade pra sacar e sempre atrasa quando vai receber. Ainda assim, perdeu. Uma derrota merecida.

André
André
1 mês atrás

Pessoalmente gosto muito dessa característica do tênis feminino, nivelado e com resultados que fogem ao esperado. Como é jogado com menos força que o masculino, várias jogadoras podem surpreender, enquanto entre os homens apenas aqueles com um canhão da raquete se sobressaem. Iga estava ganhando tudo, mas vitórias assim mostram que a polonesa podem sim ser batida. Isso motiva todas adversárias…

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE