PLACAR

Nascida na Rússia, Gracheva é a esperança francesa nas oitavas

Varvara Gracheva (Foto: Julien Crosnier / FFT)

Paris (França) – Depois de não conseguir colocar uma representante sequer na terceira rodada de Roland Garros no ano passado, a França teve duas jogadoras alcançando esta fase na chave feminina em 2024. Com a eliminação de Chloé Paquet, a atual 88 do mundo Varvara Gracheva, que nasceu em Moscou e defende a bandeira francesa há menos de um ano, é a única que segue viva na disputa.

A tenista de 23 anos manteve vivas as expectativas da torcida da casa ao bater, neste sábado, a romena Irina Begu em sets diretos, com parciais de 7/5 e 6/3. Gracheva se tornou assim a primeira francesa a alcançar as oitavas em Roland Garros desde 2020, quando Caroline Garcia e Fiona Ferro chegaram juntas a esta fase.

O próximo obstáculo no caminho de Gracheva, em busca das quartas de final, será a vencedora do duelo entre a russa Mirra Andreeva e a norte-americana Peyton Stearns. Uma francesa não chega até a antepenúltima fase no Grand Slam local desde 2017, ano em que Garcia e Kristina Mladenovic foram tão longe jogando em casa.

Desde o título de Mary Pierce em 2000, apenas em seis oportunidades uma francesa chegou pelo menos até as quartas. Os melhores desempenhos neste período foram o vice da própria Pierce em 2005 e as semifinais atingidas por Marion Bartoli em 2011.

Gracheva faz neste ano, em sua quinta participação em Roland Garros, a melhor campanha da carreira num Grand Slam, passando pela primeira vez da terceira rodada, fase em que parou cinco vezes, duas delas em Paris (2021 e 2022), outras duas no US Open (2020 e 2021) e uma no Australian Open (2023).

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE