PLACAR

Meligeni supera Pucinelli após 3h15 e terá rodada dupla

Felipe Meligeni (Foto: Giovani Paim/URGE Criativa)

São Leopoldo (RS) – No encontro entre dois jogadores brasileiros, Felipe Meligeni levou a melhor sobre Matheus Pucinelli e garantiu a última vaga nas semifinais do challenger de São Leopoldo, em quadras de saibro. Meligeni ficou em quadra por 3h15 e venceu de virada, com parciais de 3/6, 7/5 e 7/6 (7-4). Foi sua terceira vitória em quatro jogos contra Pucinelli. O chegou a liderar o segundo set por 5/3 e sacar para o jogo.

A partida estava inicialmente marcada para sexta-feira à noite, mas foi transferida para a manhã de sábado por conta da chuva no dia anterior. Dessa forma, Meligeni volta a jogar ainda neste sábado, contra o paraguaio de 19 anos Daniel Vallejo, ex-número 1 juvenil e atual 472º da ATP, que recebeu convite para o torneio. O confronto é inédito no circuito. A outra semi será entre o peruano Juan Pablo Varillas e o francês Enzo Couacaud.

Paulista de 26 anos e atual 134º do ranking, tenta alcançar sua quinta final de challenger na carreira. Ele tem três títulos e um vice. A campanha até a semifinal em São Leopoldo rende 22 pontos na ATP, mas ele tem 26 a descartar, por furado o quali do Masters 1000 de Miami do ano passado. Ainda assim, a projeção oficial da ATP dá um ganho de quatro posições para ele. O torneio gaúcho dá 75 pontos ao campeão e 44 para o vice. Meligeni pode alcançar o 124º lugar se for finalista e a 115ª posição em caso de título.

“Sempre que eu jogo com o Puci é difícil, principalmente no mental. A gente é da mesma cidade [Campinas] e se conhece desde pequeno. Sempre tem um pouco de tensão. Eu comecei bem abaixo, de cabeça e intensidade. Ele teve um vacilo no 5/4 e eu comecei a impor meu jogo. Estou muito contente, felizmente o jogo caiu para o meu lado. Agora é descansar e tentar recuperar da melhor maneira possível, porque logo tenho que entrar em quadra de novo”, disse Meligeni após a partida.

Já Pucinelli, de 22 anos e 295º do ranking, recebe 12 pontos. Ele recupera 21 posições e chega ao 274º lugar. Seu melhor ranking na carreira é a 190ª colocação, de setembro de 2022. O jovem paulista tem um título e um vice em torneios de nível challenger na carreira.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

O primeiro set da partida foi amplamente dominado por Pucinelli, que conseguiu duas quebras. Meligeni ainda salvou cinco set-points no saque, quando perdia por 5/2, mas não evitou que o rival definisse a parcial logo no game seguinte. Logo na abertura do segundo set, Pucinelli voltou a quebrar e saiu vencendo por 2/0. Ele sustentou a vantagem sem enfrentar break-points no set até o 5/3. Meligeni devolveu a quebra quando Pucinelli sacava para o jogo, contando com uma dupla falta no início, e jogando de forma agressiva desde as devoluções. Dois games mais tarde, voltou a quebrar e igualou a partida.

Meligeni salvou quatro break-points no início do terceiro set e depois conseguiu uma quebra para fazer 4/2. Pucinelli buscou o empate no oitavo game, mas voltava a sofrer muita pressão em seus games de serviço. Ele salvou match-points quando perdia por 5/4 e 6/5, antes de forçar o tiebreak. Durante o game-desempate, Meligeni novamente saiu na frente e Pucinelli igualou a disputa por 4-4 depois de executar uma boa deixadinha e definir o ponto na sequência. Mas na sequência, o atual número 3 do Brasil manteve o saque e encaixou uma boa devolução para chegar a mais um match-point. Pucinelli novamente tentou uma curta, mas não foi tão bem executada. Meligeni chegou fácil na bola e definiu com um backhand na paralela para fechar o jogo.

Orlando Luz e Marcelo Demoliner vão à final de duplas
Em uma semifinal com quatro brasileiros em quadra, os gaúchos Orlando Luz e Marcelo Demoliner levaram a melhor contra Fernando Romboli e Marcelo Zormann, marcando um duplo 6/4. Eles podem enfrentar o canadense Liam Draxl e o italiano Alexander Weis ou os franceses Geoffrey Blancaneaux e Enzo Couacaud.

Aos 26 anos, Orlando Luz é o atual 116º colocado no ranking de duplas da ATP e tem como melhor marca da carreira o 90º lugar. O gaúcho tem 12 títulos de challenger na carreira, o mais recente no ano passado em Piracicaba. Já Demoliner, de 35 anos, é o atual 82º do ranking e já esteve no 34º lugar em 2017. Ele tem cinco títulos de ATP, o mais recente no ano passado em Marrakech. Já em torneios challenger, acumula 19 conquistas.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leonel
Leonel
3 meses atrás

Pra nós que vimos o Heide e o Fonseca jogar final no Paraguai semana passada ta pouco ver o Meligeni e Puccinelli. A diferença de Pucci e. Meligeni simplesmente jogam medianamente porém Meligeni sabe ganhar jogos mesmo jogando mal e Puccinelli sabe perder jogos quase ganhos. Isso.leva Meligeni a quase “entrar” no top.100 e Puccinelli a “quase” ficar saindo do top 300. Simples assim.

Matheus Ferreira
Matheus Ferreira
3 meses atrás

Complicado agora, porque o paraguaio vai entrar mais descansado e pode acabar dificultando.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE