PLACAR

Meligeni: “Mostrei que sou capaz de coisas grandes”

Foto: Dustin Satloff/USTA

Nova York (EUA) – O paulista Felipe Meligeni não terminou sua campanha no US Open como gostaria. Depois de brilhar no quali e garantir sua extrai em uma chave principal de Grand Slam, ele superou também a primeira rodada, mas acabou parando logo na partida seguinte, forçado a desistir do duelo com o argentino Sebastian Baez com um problema no tendão de Aquiles.

“É um problema que eu venho levando há um bom tempo, faz uns dois anos e meio que identificamos. Tenho um problema nos dois tendões de Aquiles e o esquerdo é o que me machuca mais. Três semanas atrás eu estava jogando em Santo Domingo e tive que me retirar nas quartas de final porque senti no 2/1 do primeiro set”, explicou Felipe em entrevista ao Sportv.

“Hoje eu senti já no segundo set, um pouco de dor, mas não quis deixar muito claro para ele, porque se percebesse iria me judiar. Tentei deixar o mais quieto possível, variando o jogo e assim acabou doendo um pouco menos. Mas na virada do set, o corpo esfriou e começou a doer mais”, acrescentou o paulista, que venceu o primeiro set e acabou abandonando quando perdia por 6/7 (7-9), 6/4 e 6/4 após 2h30.

O campineiro disse que depois de Santo Domingo não sabia se estaria apto para jogar. “Foquei na recuperação e consegui chegar para fazer a melhor semana da minha vida. Não terminei da maneira como gostaria, fico muito triste e decepcionado, mas não vou baixar a cabeça. É mais um obstáculo na carreira de um tenista, quero tirar lições disso e seguir em frente”, contou Meligeni.

“Essa semana mostrou que sou capaz de coisas grandes, ele vem de dois títulos seguidos, está com a confiança muito alta e o jogo estava muito bom. ele foi superior quando teve chances no meu saque. faz parte e tenho que sair de cabeça erguida, tenho muita coisa pela frente. É focar nos próximos objetivos e seguir”, acrescentou o paulista, já de olho no confronto com a Dinamarca pela Copa Davis.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE