PLACAR

Medvedev vira contra Paul e reencontra Alcaraz na final

Foto Peter Staples/ATP Tour

Indian Wells (EUA) – Pela segunda vez seguida, Daniil Medvedev e Carlos Alcaraz vão decidir o Masters 1000 do deserto californiano. Assim como o espanhol, que reagiu em cima de um avariado Jannik Sinner,  o russo virou situação difícil e ainda viu o anfitrião Tommy Paul torcer o pé no tiebreak do segundo set, marcando as parciais de 1/6, 7/6 (7-3) e 6/2, após 2h24.

Esta será a décima participação de Medvedev numa decisão em nível 1000, o que o torna já o oitavo jogador que mais vezes disputou um título dessa categoria, empatado com Alexander Zverev, Thomas Muster e Gustavo Kuerten. Em caso de título, o russo completará o gabarito de conquistas em todos os Masters de quadra dura, depois de triunfar em Miami (2023), Canadá (2021), Cincinnati (2019), Xangai (2019) e Paris (2020).

Atualmente na quarta colocação do ranking, Daniil defende o vice-campeonato do ano passado e, mesmo se for campeão, não ganhará posições. Alcaraz venceu três dos cinco duelos contra Medvedev, incluindo a final do ano passado em Indian Wells por fulminantes 6/3 e 6/2. Esta é apenas a segunda vez que dois tenistas repetem uma decisão no torneio, o que aconteceu entre Roger Federer e Novak Djokovic em 2014-15.

Do outro lado, Tommy Paul repetiu sua melhor campanha em Masters 1000, igualando a semi de Toronto no ano passado. Esta foi sua segunda derrota em 13 jogos em solo americano na atual temporada, tendo faturado o título em Dallas e o vice em Delray Beach antes de chegar à Califórnia. Com o resultado em Indian Wells, ele saltará da 17ª para a 14ª colocação do ranking, duas abaixo de sua melhor marca, obtida em outubro de 2023.

Paul foca no jogo de rede
Depois de sofrer duas derrotas para Medvedev, no saibro de Roland Garros e no piso veloz de Pequim, Paul entrou em quadra neste sábado decidido a aproveitar o posicionamento sempre muito recuado do russo e apostar em seu jogo de rede. E fez isso com notável competência ao longo de todo o primeiro set, muitas vezes subindo logo atrás do primeiro saque e cobrindo com precisão os ângulos que Medvedev buscava.

Depois do domínio amplo, o russo começou a ler melhor as investidas do adversário e pouco a pouco cresceu na partida, a ponto de marcar 4/0. Aí vacilou, principalmente na hora de fechar o set com o saque no nono game, momento em que novamente Paul se mostrava mais decidido a buscar os voleios.

O norte-americano empatou por 5/5 e evitou dois set-points com grande coragem antes de levar ao tiebreak. Medvedev chegou a ter 2-1 e saque, a torcida empurrou o dono da casa e um ponto crucial foi obtido por Medvedev para empatar por 3-3. Nesse momento, Paul pisou em falso, torceu o pé esquerdo e não ganhou nenhum outro lance.

O americano não escondeu limitações de deslocamento no começo do terceiro set e sofreu quebra imediata. Conseguiu enfim recuperar a concentração e os bons golpes, mas os erros agora eram muito mais frequentes. Antes de fazer 5/1, Medvedev encarou momentos difíceis e break-points, achando soluções o tempo todo, sem falar do saque preciso na hora necessária.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
SANDRO
SANDRO
4 meses atrás

Uma vez malvadão… Sempre malvadão !!! Parabéns MEDVEDEV, o URSO !!!

Fernando Venezian
Fernando Venezian
4 meses atrás

Mesmo a biomecânica do russo não ser a mais canônica, sua força mental e regularidade tem que ser reverenciada! Carlitos que se cuide!

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE