PLACAR

Medvedev destaca motivação para evoluir em 2024

Foto: Peter Staples/ATP

Abu Dhabi (EAU) – Aos 27 anos de idade, o russo Daniil Medvedev se prepara para iniciar sua 11ª temporada no circuito profissional. Dono de 20 troféus na carreira, ex-número 1 do mundo por 16 semanas e com 38 milhões de dólares ganhos em premiações, ele afirma que nunca se sentiu tão motivado para melhorar como agora.

“Todo mundo terá uma motivação diferente por razões distintas. E vou ser honesto, nos últimos dois anos senti que estava mudando. Estou envelhecendo, não tenho mais 23 anos, então nesta fase da minha vida espero que isso possa durar muito tempo. Nunca me senti tão motivado para continuar a desafiar os meus limites e ir em busca de mais”, disse ao The National durante a World Tennis League, em Abu Dhabi.

Depois de viver talvez a melhor temporada de sua carreira em 2021, culminando no primeiro título de Slam no US Open, o Urso alcançou a liderança do ranking no início de 2022, mas teve uma sequência de ano abaixo das expectativas, conquistando apenas dois torneios. Os maus resultados acabaram lhe tirando do top 10 pela primeira vez em três anos e meio, após a queda na terceira rodada do Australian Open na atual temporada.

“Eu diria que fiquei um pouco decepcionado comigo mesmo e não é uma sensação fácil”, disse Medvedev no início do ano, ao refletir sobre a má fase. Depois disso, no entanto, ele voltou a encontrar a melhor forma e levantou cinco taças em nove finais disputadas ao longo de 2023, retornando à terceira colocação na lista da ATP.

Outro destaque na temporada do russo foi sua evidente melhora no saibro, piso que já declarou por diversas vezes não gostar. Em maio, conquistou seu maior título na terra batida ao faturar o Masters 1000 de Roma.

“Mesmo que eu tenha provado para mim mesmo que posso ser um jogador muito bom em quadra de saibro, sinto que estou lutando um pouco, e foi assim durante toda a minha carreira para mudar superfícies. E esse ano a gente sabe que será difícil, não importa se for no saibro, grama, quadra dura. O calendário não é fácil, mas é igual para todos.”

“Mais uma vez, tenho grande motivação para estar ainda mais forte fisicamente para conseguir aguentar a temporada até ao fim. E espero poder ter muitos torneios excelentes. Não posso vencer todos, então tentarei vencer alguns”, acrescentou.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE