PLACAR

Livre de lesão, Murray está pronto para a estreia

Foto: Mike Lawrence/USTA

Nova York (EUA) – Depois de ter se retirado da disputa do Masters 1000 de Toronto no início deste mês e de também ficar fora de Cincinnati, Andy Murray volta ao circuito nesta semana no US Open. Campeão do torneio em 2012, o britânico já se sente recuperado da lesão muscular na região abdominal, que vinha incomodando nas últimas semanas.

“O radiologista verificou meus exames e os verificou, tive um pequeno rasgo, que está cicatrizando e os últimos cinco ou seis dias de treino foram muito bons”, disse Murray em sua coletiva de imprensa pré-torneio. “Não tive problemas para sacar, quando você volta depois de uma semana parado, é um pouco difícil, meu abdômen está Ok”.

Atualmente no 37º lugar do ranking aos 36 anos, Murray faz sua 17ª participação no US Open e falou sobre o sua motivação para seguir jogando profissionalmente, mesmo depois de tantos problemas físicos, especialmente as duas cirurgias no quadril. “Acho que cada caso é um pouco diferente. Para mim, voltei a jogar porque senti que ainda tinha mais a entregar, mas também porque fisicamente eu ainda consigo competir ao mais alto nível. É por isso que ainda estou jogando”.

A estreia de Murray no US Open será contra o francês Corentin Moutet, 72º do ranking, em confronto inédito no circuito. Se vencer, o britânico pode enfrentar o eslovaco Alex Molcan ou o búlgaro Grigor Dimitrov, cabeça 19 em Nova York.

Murray fez três jogos contra top 10 este ano e ainda não conseguiu vencer. A derrota mais dura foi para Stefanos Tsitsipas na grama de Wimbledon, em cinco sets. Ele conta que, depois daquela partida, conversou com a equipe para fazer mudanças em seu jogo para ser mais competitivo contra os grandes nomes.

“Saí de férias logo depois daquele jogo e fiquei uns seis dias fora. Depois, falei com minha equipe sobre as mudanças que eu preciso fazer no meu jogo se eu quiser vencer e ditar mais essas partidas. Minha sensação era de que precisava trabalhar um pouco tecnicamente para me permitir jogar do jeito que eu quero e do jeito que meu time quer que eu jogue”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE