PLACAR

Krejcikova: “Cheguei ao topo do tênis jogando duplas”

Barbora Krejcikova (Foto: Tennis Australia)

Melbourne (Austrália) – A tcheca Barbora Krejcikova está nas quartas de final do Australian Open pela segunda vez na carreira. Aos 28 anos, ela tem como melhor resultado em Grand Slam o título de Roland Garros em 2021, além de ter feito quartas também no US Open naquela mesma temporada.

Com sete títulos na elite do circuito feminino no currículo, Krejcikova já foi número 2 do mundo em 2022 e frequenta o top 20 de forma ininterrupta desde fevereiro do ano passado. No entanto, seus maiores feitos foram atingidos nas duplas, prova na qual liderou o ranking por 19 semanas e possui troféus em todos os Slam, com sete no total, além de um ouro olímpico.

Após superar de virada a jovem russa Mirra Andreeva nas oitavas de final em Melbourne, a tcheca atribuiu o seu sucesso no tênis às suas conquistas no circuito de duplas, mostrando não se incomodar com o fato de vencer mais torneios na especialidade do que individualmente.

“Acho que cheguei ao topo do tênis porque jogava duplas. Eu sinto que isso faz parte do meu jogo, faz parte de mim. Às vezes ouço muitas perguntas sobre isso. Enquanto eu quiser aproveitar assim, continuarei jogando qualquer competição que eu decidir entrar. Estou me sentindo muito bem e é fantástico chegar às quartas de final. Este ano tenho grandes objetivos e vou lutar por todos eles”, afirmou durante a coletiva de imprensa neste domingo.

Na próxima fase, Krejcikova enfrentará a bielorrussa Aryna Sabalenka, ex-líder do ranking de duplas e hoje número 2 do mundo nas simples. “Ela está jogando em alto nível, sei que vai ser muito difícil, mas estou melhor a cada jogo”, se limitou a dizer a tcheca.

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Ubiratan (Black)
1 mês atrás

Está de parabéns chegando nas QF! já está somando pontos além das oitavas do ano passado. Mas para somar mais é difícil esperar uma semifinal deste lado diferente de Gauff x Sabalenka.
Ela não passou do R1 em Adelaide e deixou de acumular pontos para a grande defesa em fevereiro de mais de 1000.
Deve acontecer com todo tenista uma maior tensão para defender títulos, muitos pontos além dos normais de 250 a 300 em média por mês para a faixa de ranking dela.
Está cheio de torneios de 1000 pela frente. Não tem espaço para todo mundo nas QF ou nas SF mas todas elas precisam chegar lá em um e outro torneio.

Última edição 1 mês atrás by Ubiratan (Black)

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE