PLACAR

Joããããoooo Fon-se-ca sacode a galera

Numa atuação de gala, em que obteve notável eficiência ao tomar a iniciativa o tempo todo com seu poderoso arsenal, o carioca João Fonseca marcou uma das mais espetaculares vitórias do tênis profissional brasileiro nesta quarta-feira carrancuda do Rio Open. Ainda com 17 anos e apenas 655 do ranking, encurralou o também talentoso Arthur Fils, francês dois anos mais velho e já um 36º do mundo, para obter sua primeira vitória em nível profissional.

E que vitória! João optou por ser o recebedor do primeiro game e saiu logo disparando golpes potentes e desconcertantes. Não dava tempo para Fils respirar, já que aproveitava qualquer bola menos profunda para atacar com um míssil de forehand, além de explorar as paralelas de backhand para desequilibrar ou surpreender o adversário bem mais tarimbado. Atacou sempre o segundo serviço e isso só aumentava a pressão.

Fils estava completamente perdido depois de quatro games impecáveis do brasileiro e seu treinador apenas recomendava que ele mudasse o plano tático e também tentasse agredir mais cedo. Isso custou erros e o ‘pneu’, mas enfim resultou num começo de segundo set mais equilibrado, ainda que Fonseca ditasse o ritmo e ameaçasse com mais frequência o serviço adversário. Nesse ponto, ele já também havia acrescentado espertas deixadinhas, já que não havia saída para Fils senão recuar mais da base para aguentar a pancadaria.

O teste final de Fonseca era segurar a quebra obtida e novamente ele se saiu com nota 10. O primeiro saque deu a natural queda de eficiência e esses dois games de serviço foram bem longos e sofridos, ainda que jamais Fonseca permitisse um break-point. Falhou nos dois primeiros match-points com forehands descalibrados. Não deixou que isso afetasse e, com a ajuda da animadíssima torcida, concluiu a tarefa.

O próximo desafio é um verdadeiro especialista no saibro, o chileno Cristian Garin, que ja foi 17º do mundo, tem cinco troféus de ATP, todos na terra, incluindo o Rio Open de 2020. Mas Garin desandou há algum tempo. No ano passado, ganhou 21 de suas 39 partidas de primeira linha e nesta temporada não havia vencido antes da estreia duríssima diante do espanhol Roberto Carballes.

Não deixa de ser curioso Fonseca falando na entrevista oficial sobre maturidade. Dentro suas boas respostas, destacou que mostrou o nível de tênis que gostaria de apresentar e de sua relação com a torcida, lembrando que antes se sentia nervoso por estar diante de muitas pessoas, porém aos poucos aprendeu a chamar a torcida e a tirar energia dela.

Caso mantenha a decisão de tentar a universidade nos EUA a partir de julho, Fonseca terá de abrir mão dos 35 mil dólares que tem direito por sua vitória em simples e mais a entrada na chave de duplas. Por enquanto, seu salto no ranking deve ser superior a 200 postos, o que deve levá-lo por enquanto para perto do 450º lugar. No caso de mais uma surpresa, ele então poderá entrar nos 350 mais bem posicionados. E quem sabe a aventura americana fique esquecida.

Mais tarde volto com Wild e os demais jogos

104 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Michel Mellis
Michel Mellis
1 mês atrás

Esse garoto tem muito talento e coragem. Combinando tudo isso com precisão, tem tudo pra ir muito longe.

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
1 mês atrás

Ai sim, esse dá gosto de vê-lo jogar, tinha acompanhado ele no US Open, se não me engano, e foi até campeão juvenil do Grand slam americano.

Atuação de gala mesmo, e se continuar assim, foco e determinação, esse vai longe, e quem sabe, como disse o Dalcim, abrir mão da faculdade lá nos EUA.

Thiago
Thiago
1 mês atrás

Não pelo dinheiro, porque tenho certeza que pra ele/família esse montante é irrelevante frente ao que já investiram nele e a realidade financeira que têm. Mas depois de um resultado FABULOSO desse… é pensar na carreira e sequer cogitar essa sandice de college.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Thiago

Bom, já que o montante é irrelevante, vou pedir pra ele jogar no lixo… da minha casa. O resultado foi mesmo fabuloso, mas a carreira não é feita de 1 jogo só. Precisamos ver como ele vai se sair na média.

JONY MARCIO SANTOS
JONY MARCIO SANTOS
1 mês atrás

Impressionante mesmo Dalcim. Fonseca joga muito e mais uma vez demonstrou isso hoje. Que direita poderosa, que jogo consistente. Gosto de manter os pés no chão com as nossas revelações. Vc acompanhou até melhor do que eu todo o frisson que norteou a carreira do Marcelo Saliola nos anos 80. Jogava demais também, derrotou aqui no Brasil o Emílio Sanches, espanhol que era número 12 do mundo, quando tinha apenas 16 anos. A Band fazia uma cobertura bem ampla dos torneios aqui no Brasil (tínhamos muitos e a Band passava praticamente todos, principalmente Challengers) e deu ampla divulgação aos feitos do garoto na época. Lembro como se fosse hoje o saudoso Luciano do Valle enaltecer os feitos do Saliola nos programas esportivos. Aliás a mídia toda na época abraçou. Infelizmente não aconteceu como todos gostaríamos. Mas isso é passado e a performance do Fonseca até aqui tem sido fantástica. Torcida muito grande pra que tenhamos um brasileiro no circuito masculino brigando lá em cima.

Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás
Responder para  JONY MARCIO SANTOS

Muito bem lembrado pois o Saliola era até mais precoce que o João, parecia ultra-talentoso e não deu em nada. Se não me engano, aos 14 anos ele já tinha pontuado na ATP. Mas eram outros tempos.

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  JONY MARCIO SANTOS

Enaltecer demais é sempre um tiro no pé… do enaltecido!

Marcelo Ikeda
Marcelo Ikeda
1 mês atrás

não sabia dessa regra de ter que abir mão do prize money se for para Universidade… curioso…

Paulo Vinícius da Silva Reis
Paulo Vinícius da Silva Reis
1 mês atrás
Responder para  Marcelo Ikeda

Também fiquei curioso sobre isso, Dalcim poderia explicar mais

André Borges
André Borges
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Sim, mas isso não seria a partir do momento que ele se matricula? Ou ele já está matriculado? Porque perderia um prize money de fevereiro se começaria a estudar em julho, isso que não entendemos.

Rafael Azevedo
Rafael Azevedo
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Não tem como se “desprofissionalizar”, quando for se matricular? rsrs

Última edição 1 mês atrás by Rafael Azevedo
Gustavo
Gustavo
1 mês atrás
Responder para  Rafael Azevedo

Brasileiro querendo dar jeitinho …

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Marcelo Ikeda

Porque somente profissionais recebem prize money. Ele ainda não é um profissional.

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Ele já é profissional uai.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Ivan

Não é não.
Foi convidado para jogar esse torneio, no Rio. Não tinha ranking para entrar em nenhuma chave.
Mesmo que seja o campeão, não receberá nenhum dinheiro oficial da competição.

Vítor Barsotti
Vítor Barsotti
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Eu entendi que ele recebe normalmente a premiação. A não ser que ele queira abrir mão para permanecer amador. Pode esclarecer, Dalcim?

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

De onde vc tirou essa conclusão absurda? Como ele falou em uma entrevista, está 100% dedicado à carreira profissional, tanto que nem quis saber de jogar o finals “kids”. Como é que é? O cara está em um torneio profissional e não vai receber nada? Isso não procede, vc está confundindo tudo, isso não é torneio juvenil e nem carreira juvenil, isso é carreira PRIFISSIONAL.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Ivan

Talvez seja mais convincente as respostas do Dalcim então.

Evandro
Evandro
1 mês atrás

“E quem sabe a aventura americana fique esquecida.”

Conto com isso. Acho que é unanimidade (à exceção dos lambe-botas).

Uma correção no ótimo texto: aventura estadunidense. Somos igualmente americanos, embora de uma América toda própria, a Sula!

Tiago PW
Tiago PW
1 mês atrás
Responder para  Evandro

Caro Evandro, tudo bem?

Sem querer polemizar, mas usar o termo “americano(a)” para situações q envolvam algo relacionado aos EUA está correta, pois eles possuem “América” no nome do país (Estados Unidos da América) , assim como falamos brasileiro(a) para situações q envolvam o nosso país por possuirmos o termo “Brasil” (República Federativa do Brasil) .

O termo “estadunidense” é equivocado, ou no mínimo cacofônico, pois seria o mesmo de chamar os brasileiros de “republicofedereta” ou algo similar.

Abs

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
1 mês atrás
Responder para  Tiago PW

Deu uma aula. Parabéns!

André Aguiar
André Aguiar
1 mês atrás
Responder para  Tiago PW

Caro Tiago, se é equivocado escrever estudunidense, equivocado está também o Houaiss, um dos mais conceituados dicionários da língua portuguesa, para quem os termos são equivalentes. Equivocados estão também todos os outros países da América Latina.
Sean Purdy, canadense, professor de História dos Estados Unidos na USP, em reportagem da BBC News Brasil:
“O uso consistente (do termo America nos EUA) demorou, porque os fundadores sabiam que a nova república não incluiu toda a América. Por décadas, muitos governantes usaram ‘United States’, ‘the Republic’, ‘the Union’ e ‘Columbia’ para o país. Foi somente quando os EUA se tornaram potência, no fim do século 19, com intervenções externas na América Latina, que o termo “América” se tornou de uso comum. Presidentes e outros governantes da república raramente se referiam ao país como América até o fim do século 19. Após a Guerra Hispano-Americana, em 1898, contra a Espanha, quando os EUA conquistaram Cuba, Porto Rico e as Filipinas, presidentes como Theodore Roosevelt e todos desde então começaram a usar ‘América’ como seu país. Reflete, portanto, como a linguagem é construída em contextos de poder e relações sociais. Em outros idiomas, como o espanhol falado na América Latina ou o francês falado no Canadá, o mais utilizado seria o equivalente a “estadunidense”, diz o professor Purdy.
Conclusão: quem diz que “americano” está errado, está equivocado. Quem diz que “estadunidense” está errado, equivocado está.
O uso fica ao gosto do freguês.

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  André Aguiar

Os fiscais das supostas regras do idioma são como os censores: não entendem nada do que censuram. Mas acreditam piamente nas supostas regras sem sentido que ouviram de alguma “autoridade” e que repetem sem entender.

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás
Responder para  Evandro

O chato vai falar. Vai, fala, chato.

Andre Eduardo
Andre Eduardo
1 mês atrás
Responder para  Evandro

Evandro, se você perguntar a alguém nascido nos Estados Unidos qual é a sua nacionalidade, ele dirá “I’m american”. American, em português, quer dizer “americano”. Portanto, deixe de lacração e esqueça essa bizarrice de “estadunidense”, pois além de cacófoto, não corresponde à verdade.

Andre Eduardo
Andre Eduardo
1 mês atrás
Responder para  Evandro

*cacófato

Ricardo - DF
Ricardo - DF
1 mês atrás
Responder para  Evandro

Perfeito, Evandro. “América” é o continente, somos todos americanos. Eu acho “estadunidense” chato, chamo de Euano. Aos que tem chiliques com isso, que chamem, ao menos, de norteamericanos.

Haroldo Guimaraes
Haroldo Guimaraes
1 mês atrás

Grande Joao Fonseca, ja mostrando solidez nessa idade, como os grandes jogadores. Sem me precipitar esse promete. muitas alegrias aos brasileiros e pra ele mesmo. Nao entendi essa de perder o dindin ganho com o seu suor. Eh verdade essa regra? Perde tudo que ganha? soh uma parte,? Pode re-aver se voltar? Tem prazo? Muitas duvidas..

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Haroldo Guimaraes

Somente profissionais recebem prize money. O Fonseca ainda é juvenil, por isso, foi convidado da organização e por isso também o mesmo afirmou que ainda vai decidir se vai aos EUA participar do circuito universitário ou se profissionaliza já. Não há prêmios em dinheiro para juvenis.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Sim, mas não falei de idade. Falei que dinheiro só para profissionais mesmo e ele ainda não é.
Gasquet já era profissa aos 15.

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Ele já é profissional sim uai, já largou o juvenil há alguns meses, desde o US OPEN.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Ivan

Não é não.
Veja outras respostas do Dalcim e até mesmo do próprio Fonseca, numa entrevista, dizendo que ainda não decidiu que rumo dará à sua carreira.

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Ele disse que tá 100% dedicado à carreira profissional, e o Dalcim falou que se ele optar pelo tal do college, terá que devolver a premiação do Rio Open. Logo, conclui-se que ele irá receber a premiação sim.

Porkuat
Porkuat
1 mês atrás

Garin mudou de raquete seguramente umas 5x desde 2022 o cara ta perdido. Consigo ver o Fonsecão da massa la na semifinal.

Sandra
Sandra
1 mês atrás

Dalcim, porque ele perderia o prize money se ele ainda não entrou para universidade ?

Sandra
Sandra
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Então ele não ganhou nada com essa vitória ? E se fosse campeão também não ganharia ? Seria rosca?

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Sandra

Ele já ganhou o $ pelas duas vitórias, e se for campeão ganha também. Apenas se optar pela universidade, terá de devolver.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Ivan

Não Ivan.
Não leste o que o Dalcim acabou de responder à Sandra?
Ademais, nenhum tenista recebe dinheiro enquanto está “vivo” no torneio.

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Li sim, e vou repetir as palavras do Dalcin aqui, ipsis litteris. “Caso mantenha a decisão de tentar a universidade nos EUA a partir de julho, Fonseca terá de abrir mão dos 35 mil dólares que tem direito por sua vitória em simples e mais a entrada na chave de duplas”. Entendeu? Ou seja, vai receber a premiação sim, pois ele é um profissional, e deixou a carreira juvenil desde o US Open.

Sandra
Sandra
1 mês atrás
Responder para  Ivan

Foi isso que entendi também, que confusão ?

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Sandra

Sim Sandra, é o Fabriciano que tá fazendo confusão.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Ivan

Não estou não.
Ele ainda não é profissional. Manter a condição de amador, conforme escrito pelo Dalcim, diz o que você é e não o que será. E quando o mesmo diz “abrir mão” da premiação, não é o mesmo que devolver, mesmo porque, até o final do jogo de ontem a noite, ele não tinha recebido nenhum prêmio ainda.

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
1 mês atrás

Que o João Fonseca possa ter progressos grandiosos e numa crescente constante, pois não é fácil essa transição para o profissional, ainda mais, em que pese, ele quere ir para faculdade por lá.

Espero eu, que ele, e todo o staff, decidam pelo correto, se assim for, para a carreira profissional, e que protejam esse garoto, para que realmente esteja totalmente focado no tenis.

Como disse antes, não fácil o caminho, mas pelo que jogou hoje, e se mantiver os pés no chão, e claro, embora o mental dele forte, já o vi meio que esquentadinho no US Open, mas claro, por uma jogada ali e acolá, em que ele errou, e ficou frustrado, falando, mas depois ele se concentrou e jogo o correto como sempre

Bamos bamos bamos John Fon Secaaaaaaaaaaaa

Ernani Chaves
Ernani Chaves
1 mês atrás

No L’Equipe, o.mais importante jornal francês de esportes, Joao Fonseca é comparado a Sinner! Gostei do reconhecimento que o Fils fez da superioridade do zJoão!

Ernani Chaves
Ernani Chaves
1 mês atrás

No L’Eqipe, o mais importnte jornal francês de esporte, o João é descrito como sendo, ao mesmo tempo, um garotinho de 17 anos e um gigante no saibro, com um jogo parecido ao do Sinner!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás

Segundo os critérios do prezado Ronildo, o João Fonseca foi de total desrespeito ao francês Fils, pois, abusou de deixadinhas quase o jogo todo.

Ricardo
Ricardo
1 mês atrás

The new big three: Sinner, Alcaraz and Fonseca!

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
1 mês atrás

Os Estados Unidos é um país imperialista. Participou de muita guerras indevidas, tirou a autonomia de estados soberanos, patrocinou exércitos mercenários mundo afora, entre outras coisas. Há muitos problemas sociais e está ocorrendo uma polarização política muito forte. Mas são a excelência em educação de alto rendimento de nível superior. Seria uma experiência incrível estudar em uma universidade americana, além de sair com uma ótima formação acadêmica. Ele ainda teria uns quinze anos de tênis profissional. Eu optaria pelo College, sem dúvida!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Rodrigo Lightman

É realmente um problema para resolver, aliás, um ótimo problema.
Ir estudar lá, sabendo de todas essas vantagens ou entrar no tênis profissional agora.
Já, decisões assim têm que ser tomadas de cabeça fria. Não no calor de uma grande vitória.

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Rodrigo Lightman

Seria a maior sandice da carreira do João optar por esse caminho da universidade.

Leonel
Leonel
1 mês atrás
Responder para  Rodrigo Lightman

Rodrigo. Quando vc tem juvenis carentes igual a Victória e tantos outros que o futuro ainda é incerto eu concordo com essa ajuda universitaria. Quando vc tem um monstro que tem paixão pelo que faz e faz muito bem é colocar ele numa gaiola e aparar as asas dele e achar que ele vai se apaixonar pela matemática.kkk. Esse garoto vai estudar e pagar QQ universidade que quiser com os milhões ganhos. Tiro no pé se interromper uma sequência de aprimoramento técnico e mental no tênis. Vai dispersar seu foco.vai ter mais tempo pra namorar, pra curtir extra campo. Poderá descobrir outras “paixões” e o risco. Bora ser feliz com as boas escolhas ou cagadas que cada um quer fazer.

Luiz
Luiz
1 mês atrás

“E quem sabe a aventura americana fique esquecida” entendo o comentario e a frustracao de eventualmente nao ter um talento como o dele jogando tenis pelo Brasil. Mas, com todo respeito, como um brasileiro que mora nos Estados Unidos ha muitos anos e tem filhos de 22 e 18 anos, ambos na universidade aqui, entendo perfeitamente o desejo do Joao Fonseca. A experiencia da universidade aqui eh muito enriquecedora e ele sempre pode voltar a ATP depois que se graduar. Pode ser o melhor dos dois mundos….

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Luiz

Seria a maior sandice da carreira do João optar por esse caminho da universidade. É bom para pessoas normais, como por exemplo os seus filhos, ou tenistas normais como o Sell, a Luisa, o Koele, o Decamps, etc, não para um fenômeno do tenis. Isso iria atrapalhar a carreira dele em 2 anos.

Paulo F.
Paulo F.
1 mês atrás

Se é Meligeni, eu torço contra sempre.
Vamos Monteiro!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás
Responder para  Paulo F.

Boa, kkkk…

Danilo
Danilo
1 mês atrás
Responder para  Paulo F.

Imagino que deve ser pelo fato do Fininho não considerar o sérvio como “Deus supremo do Tênis”, rs

Paulo F.
Paulo F.
1 mês atrás
Responder para  Danilo

Não, por quê ele é um visceral secador do sérvio mesmo.
E odiava o tênis circense que o mesmo praticava também.

Ruy Machado
Ruy Machado
1 mês atrás

Sensacional vitória do Fonseca sobre o Garin! 17 anos e cheio de moral! Parabéns

Claudio
1 mês atrás

Menos pessoal! Ele realmente é uma grande promessa, mas o desportista brasileiro, e aqui me refiro aos esportes em geral, é muito mal preparado psicologicamente. Então vivem uma montanha russa de emoções. Num dia como este a empolgação domina, na derrota é a vez da frustração e “está tudo errado”. Falta equilíbrio e inteligência emocional. No tênis isto é mais fácil de conseguir por que há recurso, então se alguém puder ajudar o João com isto tem um grande futuro pela frente.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Claudio

Eu acrescento que falta equilíbrio pro torcedor, também. Ganhou, é ídolo e vai pro pedestal. Perdeu no dia seguinte, derruba do pedestal a pedradas, quebra a imagem e joga barranco abaixo. Bem isso.
Volúvel é a palavra.

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

E eu acrescento que também falta o mesmo equilíbrio para a imensa maioria da imprensa brasileira, que normalmente tem atitude de torcedor e só pensa em audiência imediatista.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás

E João Fonseca está ON em todos os sentidos. Com essa direita devastadora dificilmente Titio Federer vai deixa-lo 8 meses no USA e depois trancar matrícula. Ele , Iga Swiatek e Ben Sheldon, são os únicos Tenistas patrocinados pela Empresa ON de Roger Federer. Iga com apenas 22 aninhos já 90 semanas como N 1 . Ben com apenas 21 atingiu o TOP 15. E João, repetindo estas atuações, atinge o TOP 100 ainda nesta Temporada. Humilde disse que em breve estará pessoalmente com o Craque Suíço. Superou GUGA na precocidade de fazer Quartas num ATP 500 …ABS !

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás

Mãããsss que forhand mais “delicado” esse do João Fonseca… Misericórdia! E as ‘deixadinhas’ em nada ficaram devendo às do precocemente ausente Alcaraz.
Agora vai!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Rapaz, chamasse de precocemente ausente o Alcaraz?
Já já tomarás uma invertida do SR.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

E aí provas definitivamente como tudo realmente é ” confuso ” para o sempre atento LF 2 . Alcaraz lutava pelo BI Campeonato ( foi Vice em 2023 ) , cai logo de cara e não fou precoce ???? . És uma figura kkkkk. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Claro que foi, aliás, precoce desde um tempinho do final do ano passado para cá.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Errado novamente. Do final do ano pra cá, ele fez Semi no ATP FINALS e Quartas no AOPEN . A queda precoce somente no Rio OPEN. Acompanhas mesmo um Circuito paralelo, o mesmo de alguns membros da Kombi kkkkk. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Estamos falando de proporção, mas não deve ser fácil perceber isso.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Será q ele sabe o q é protagonista????? Confuso é quem nem isso sabe…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Quando é que tu deixarás o outro L.F . protagonizar um simples comentário. Sabemos que o L.F 1 não está capacitado pra protagonizar coisa alguma sem a ajuda do ” amado Mestre ” kkkkk. Abs !

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Realmente, somente nos 237 comentários aqui, tu és protagonista único.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

*forehand. Mas parece firehand…

Airton
Airton
1 mês atrás

Não entendi pq não seria boa a opção pela faculdade agora. Atrasaria por uns 4 anos a carreira. Seria isso ?

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Três brazucas em quadra hoje: 1) Monteiro é simpático, todos gostam dele, em especial pq aparenta ter origem humilde. Mas em matéria de tênis é aquele cara não confiável, irregular, torcerei muito por ele, mas se fosse apostar grana apostaria no hermano; 2) Wild é um cara q gera sentimentos antagônicos, a lógica é torcer p ele, afinal é brasileiro. Não ficarei chateado se perder; 3) Fonseca carregará as esperanças e toda a torcida, pois mais do q um jogador brasileiro, ele é a esperança de sonhos maiores no futuro para o Brasil no nosso esporte…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Não entendi a edição do comentário sobre o Wild, será que quem fez o q ele fez deveria ser chamado de “bom moço”?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Agradeça. Desde sempre és protegido por aqui . Quantas bobagens postas e quem acaba editado sou eu kkkkkkk. Abs!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Se editassem o q vc posta em razão de bobagem não haveria nada seu postado…

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Só ontem li algo bem horrível sobre o Wild e que me faz jamais torcer por ele: a matéria q li dizia que ele se orgulha do passsado nazista da família e que tem orgulho inclusive de uma foto do avô ou bisavô com hitler.

Para mim, inadmissível!!!!!

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
1 mês atrás
Responder para  Gustavo

Cara..
Tenha cuidado de dizer uma coisa dessa, primeiro tem que ver se é veridico, nos autos do processos e tal, print de conversa entre ele e a ex-mulher dele, tem na internet, resta saber se é verdadeiro.

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás
Responder para  Evaldo Moreira

Acabei de dizer que li numa matéria, não sou eu que to dizendo nada. Segundo, não mencionei nada sobre o processo de violência doméstica.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Gustavo

Boa!
Dizer que leu em uma matéria é completamente diferente de dizer o que acha, sua opinião.

Samuel, o Samuca
Samuel, o Samuca
1 mês atrás

Dalcim,

Recentemente foi divulgado que, pela primeira vez, todos os jogadores top 10 do ranking da ATP jogam com backhand de duas mãos.
Você teria a informação de quando isso aconteceu pela primeira vez no ranking da WTA?

Samuel, o Samuca

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Samuel, o Samuca

Interessante esta informação, Samuel. Vejo como um marco numa clara tendência, que, acredito, se consolidará cada vez mais.

Às vezes penso que os mais bem-dotados são mais tentados a optar erroneamente (em termos dos resultados que conseguirão atingir no tênis profissional) pelo back-hand de uma mão.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Monteiro, q smash horroroso, meu Deus…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Monteiro quase venceu o set2 de 60, o gringo perdido em quadra, quebrou de cara no set3, o cara entregue e com aquele smash horroroso o brazuca entregou o jogo. Cara medíocre, vamos ver o q postam os bons moços cegos q frequentam o blog, que ficam nervosos quando se posta a realidade…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Será que ele é o medíocre ou o comentarista ?. Quem posta uma bobagem desta na altura da carreira do Brasileiro , não conhece e nem gosta do Esporte. Inacreditável !!!. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Faça um pequeno esforço SR, para não descambar completamente para outro rumo o tom da conversa do outro.
Monteiro está longe de ser acima da média em sua carreira.
Na proporção das idades, o menino João Fonseca já está acima dele.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Vc pra julgar medíocres é perfeito, é só comparar com vc mesmo. Como vc rotularia quem não sabe o q é ser protagonista? Um cara culto?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Protagonista como tu , eu conheço aos montes . Nenhum deles sabe coisa alguma sobre o Esporte , nisso os L.F .s se completam . “ Proporcionalmente João Fonseca já está acima do homem de 5 milhões de dólares na carreira ( por enquanto )” . Quantos moleques já não vingaram para o Sabichão afirmar uma bobagem desta ??? . Monteiro próximo aos 100 maiores do Esporte durante bom tempo , já fez por merecer mais respeito dos comentaristas Live Score . Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Como eu disse antes, não entenderia nada de proporção.
Passo!

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
1 mês atrás

Boa noite

“O Rio Open conta com nove quadras de saibro, sendo uma delas o estádio central (Quadra Guga Kuerten) com capacidade para 6.200 pessoas. Além dos jogos, há uma área interativa, o Leblon Boulevard, com diversas atrações para o público, com stands, lojas e uma praça de alimentação.”

Dalcim,
Partindo dessas informações citadas acima, o Rio Open o qual não conheço e você pode falar melhor, essas estruturas, tendo em vista, que na entrevista do govwernador do Rio de Janeiro, em que ele dizia ser um sonho o Rio Open, se tornar um Master 1000.

Mas com essas estruturas ai citadas, é o suficiente, ou você acha que deva melhorar, e termos mais quadras, para comportar um evento 1000 de porte? Além das quadras, o trânsito ali de pessoas, o fluxo deveria melhor estudado, concordas Dalcim? Qual a visão de um evento desse no Brasil, termos de Master 1000, achei que o governador estava delirando, mas vendo o sucesso de público, pelo neste ano, mas será que ele consegue, ou pelo menos tentar trabalhar melhor nos bastidores, o que pensa Dalcim?

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
1 mês atrás

È pelo visto…
O Monteiro, ficou pelo caminho, e agora lá se vai o outro Thiago, por mais que torcemos, mas o brasileiro hoje, tá pra lá de marrakesh, erros imagináveis, misericórdia.

Esse Cameron Norrie, não joga esse tanto assim, por mais que não esteja em boa fase, com todo o respeito, se Thiago entra mais ligado, acredito que não perderia esse jogo, fica para a próxima.

Agora, é com o João Fonseca, espero que ele jogue solto, claro que, vai haver o nervosismo habitual, afinal de contas, é uma vaga para as semi-finais, vale a torcida.

Parabéns ao Rafael Mattos/Barrientos, que vitória….

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
1 mês atrás

Dessa vez não deu. Foi nítido o cansaço mental e físico a partir da metade do segundo set. Agora ele tem alguns meses para decidir se segue no circuito ou vai para o College. Potencial ele tem.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás

Prezado Dalcim, ontem vi o jogo do Fonseca completo.
O físico apitou já no segundo set. Beleza sabermos que aos 17, o corpo ainda está se formando e o trabalho nesse aspecto deverá ser constante.
Mas achei que do ponto de vista técnico, seu saque é o golpe menos relevante. Não?
De qualquer forma, nessa idade, o tempo é aliado para evolução, em qualquer aspecto.

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals