PLACAR

Iga se sente recuperada após semana dura de Cincy

Foto: Darren Carroll/USTA

Nova York (EUA) – Depois de relatar que sentiu bastante o desgaste nas últimas semanas, especialmente durante o WTA 1000 de Cincinnati, Iga Swiatek já se sente melhor no US Open e a excelente estreia desta segunda-feira traz ainda mais confiança para a número 1 do mundo e atual campeã do torneio. A polonesa precisou de apenas 58 minutos para marcar 6/0 e 6/1 contra a sueca Rebecca Peterson, 86ª do ranking.

“Eu diria que todas as partidas foram muito intensas em Cincinnati. Às vezes eu tinha que sair de situações difíceis. O cansaço era tanto mental quanto físico”, avaliou Swiatek. “Eu vinha de jogos muito longos, estava muito quente e úmido lá. Não foi fácil para o corpo e também para a mente, porque eu precisava sair da minha zona de conforto a cada partida”.

“Além disso, estamos na segunda parte da temporada. Então você já precisa de um pouco mais de tempo para você se recuperar em comparação com a primeira parte da temporada”, acrescentou a polonesa de 22 anos. “Tive alguns dias de folga. Não estava treinando, mas continuei ativa e mantive minha rotina de aquecimento. É o suficiente para mim nessa fase”.

A respeito da tranquila estreia em Nova York, Swiatek aprovou o bom desempenho em quadra. “Eu queria jogar de forma sólida e começar bem o torneio. Fico feliz por ter feito um jogo tão bom e, apesar de toda a pressão e expectativas, pude me divertir em quadra. Joguei de forma agressiva desde o início e simplesmente não parei. Estou muito feliz que esta tenha sido uma primeira rodada tão boa, porque estreias geralmente são complicadas. Além disso, fico feliz por ter tido tempo para implementar todas as coisas que pratiquei”.

A próxima adversária da número 1 do mundo será a australiana Daria Saville, que fez 6/0 e 6/2 contra a jovem norte-americana de 17 anos Clervie Ngounoue. Saville é ex-top 20, mas sofreu duas graves lesões, primeiro no tendão de Aquiles e depois no ligamento cruzado do joelho. Por isso, ocupa apenas o 322º lugar do ranking atualmente.

“Já joguei contra ela uma vez, antes das lesões e da cirurgia que ela fez. Não tenho certeza de qual é a história dela, mas ela é uma ótima pessoa e sempre muito positiva quando conversamos. Sobre o jogo, não posso dizer muito. Com certeza vou me preparar, mas vou tentar focar em mim mesma. Eu só quero jogar o melhor possível”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE