PLACAR

Halep processa fabricante de suplementos por doping

Foto: Corinne Dubreuil / FFT

Nova York (EUA) – Ex-número 1 do mundo, a romena Simona Halep está processando a empresa canadense que produziu um suplemento nutricional que ela acredita ter sido o responsável por fazê-la ser suspensa por quatro anos por doping, o que poderia encerrar sua carreira.

Halep pede mais de US$ 10 milhões em indenização para a Quantum Nutrition, que opera como Schinoussa Superfoods, depois de testar positivo no US Open de 2022 para Roxadustat, um medicamento frequentemente usado por pessoas com anemia.

Substância na lista das proibidas da Agência Mundial Antidoping (Wada), Roxadustat pode aumentar a hemoglobina e a produção de glóbulos vermelhos, aumentando a resistência. A romena alega que o suplemento que tomava durante o US Open estava contaminado com Roxadustat, o que não foi divulgado no rótulo.

O fundador da empresa disse ao jornal canadense The Globe and Mail, em outubro, que Halep estava procurando um bode expiatório e que sua empresa estava sendo transformada no “bode expiatório”.

Mesmo que concorde que Halep não sabia que o suplemento poderia conter Roxadustat, o tribunal disse que a contaminação não poderia ser responsável pela quantidade do medicamento encontrada em sua amostra de urina de 29 de agosto de 2022.

A romena está apelando da suspensão de quatro anos imposta em setembro passado por um tribunal da Agência Internacional de Integridade do Tênis. Ela recorreu dessa decisão na semana passada perante o Tribunal Arbitral do Esporte em Lausanne, na Suíça.

Audiência termina e Halep está confiante na volta. Veja.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Balbino Neto
Balbino Neto
2 meses atrás

Halep alega, desde sempre, ter sido contaminada por essa substância proibida. Fica muito difícil essa demora para tomar uma atitude como a que está tomando só agora, depois de tanto tempo. Capaz da WTA permitir o seu retorno antes do resultado da ação.

Julio Siqueira
Julio Siqueira
1 mês atrás

Há muitos anos, precisei tomar várias medicações para um problema grave de saúde. Recuperação difícil. Durante esse tempo regularizei meus exercícios físicos que mantenho até hoje. Naquela época, tomei um simples suplemento alimentar de proteína, inclusive dos considerados mais “fracos”. Esse suplemento alterou vários biomarcadores meus de fígado e rins, muito embora eu não tivesse nenhum problema de fígado ou rim. Foi como se eu tivesse com uma hepatite medicamentosa e falência renal nível II-III. Imediatamente a minha médica ao saber que eu tomava, mandou eu suspender, e as taxas voltaram ao normal em uma semana.

Ao perguntar a ela, ela me disse que esses suplementos para atletas possuem substâncias para melhorar o desempenho, muitas vezes medicações usadas off label, sem que eles digam no rótulo porque seria um “segredo” da marca. Não se trata apenas de contaminação, mas de uso deliberado, uma adição deliberada, para melhorar o rendimento e fazer os atletas adeptos do produto. Claro que isso tudo explode quando é alguém submetido a testes de doping!

Então ela disse que a medicação estava no suplemento, e os outros dizem que a contaminação não seria suficiente para o nível encontrado. Eu desconfio que o suplemento tinha essa substância de propósito para aumentar rendimento.

Mas claro que é chute. O que ocorrerá de fato não sou eu que vou saber.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da decisão em Monte Carlo

Medvedev em outro ataque de fúria e desconta na raquete

PUBLICIDADE