PLACAR

Grand Slam tem regras que nem todo mundo conhece

FFT

Os quatro maiores torneios do calendário do tênis seguem as normas básicas do circuito profissional masculino e feminino, como recente uniformização do tiebreak do set final, porém possui regras próprias.

Elas figuram no Livro de Regras dos Grand Slam, divulgado anualmente pela Federação Internacional e que é administrado por um Conselho específico.

Devido à grande popularidade do torneio Grand Slam de tênis, muitas casas de apostas oferecem promoções exclusivas para esse evento e assim conhecer estas regras se torna valioso. Neste link obtenha mais informações sobre códigos promocionais e ofertas nas quais você pode participar.

Cada membro dos quatro Slam é obrigado a seguir estritamente as regras estabelecidas e quaisquer destas normas só podem ser alteradas se três dos quatro organizadores de Slam concordarem.

Selecionamos abaixo as regras mais curiosas e ainda assim importantes que regem os grandes torneios:

– Só tenistas classificados entre os 500 primeiros do ranking podem participar dos Slam, incluído os convidados da organização.
– Nenhum tenista que não tenha 14 anos completos, considerados a partir do primeiro dia de jogos da chave principal do Slam, poderá competir.
– Cada tenista inscrito autoriza automaticamente os organizadores a usarem fotos, vídeos e imagens de TV em que o jogador apareça, sem que o tenista tenha qualquer recompensa financeira por isso.
– Todos os jogadores que entram em torneios de Slam concordam, como condição de sua entrada, abrir mão de qualquer tipo de reclamação, incluindo lesões passadas, presentes ou futuras sofridas em viagens de ou para o local do torneio ou participando de um torneio do Grand Slam.
– Os Slam tem chaves máximas (128 jogadores para simples e 64 parceiras para duplas), mas não um número mínimo, o que em tese pode permitir torneios com chave de 96 jogadores.
– Em caso de chuva ou de força maior, os torneios de Slam podem se estender o quanto for necessário até sua conclusão.
– Não há limite para a quantidade de ‘convite’ que um tenista possa receber na soma dos Slam e ao longo de toda sua carreira.
– A inscrição dos tenistas nos Slam é gratuita.
– A cada jogo, os tenistas terão seis bolas em uso. Caso uma ou duas se percam, podem ser substituídas por bolas semelhantes. Não se pode jogar com menos de quatro bolas.
– Cada tenista tem direito a três bolas novas para treinar todos os dias, mas deve devolver ao final da prática.
– O tenista ou dupla que desistir de jogar a primeira rodada da chave principal ou do qualificatório por lesão e ceder seu lugar, receberá metade do prêmio de primeira rodada, mas somente se estiver no estádio, submeter-se a exame médico e se tiver jogado ao menos um torneio nas três semanas anteriores. Essa regra só pode ser usada duas vezes por temporada.
– O tenista que entrar e iniciar seu primeiro jogo no torneio na condição de ‘amador’, não recebe premiação. Ele no entanto pode ter ‘ajuda de custo’.
– Cada Slam paga premiação na moeda corrente de seu país e precisa informar claramente todas as taxas e deduções que serão aplicadas. As multas recebidas pelo tenista são descontadas diretamente dessa premiação.
– Um Slam pode oferecer hospedagem, refeição e transporte aos tenistas participantes, mas apenas se tudo isso for aplicado a todos os competidores.
– Os jogos de simples masculino devem ser feitos em melhor de cinco sets. Para as demais chaves, o Slam pode optar por três ou cinco sets.
– O ranking oficial da ATP e WTA são os únicos para determinar quem tem direito a jogar um Slam.
– O árbitro geral pode substituir um juiz de cadeira ou um juiz de linha que considerar não estar trabalhando corretamente.
– É obrigação do tenista checar a Ordem de Jogos, que é fixada na área externa da sala de arbitragem ou publicada eletronicamente.
– O árbitro deve colocar um Relógio Oficial de forma visível e notificar os tenistas de sua localização.
– A chamada dos tenistas para os jogos deve ser feita em área a ser determinada pelo árbitro. O tenista precisa estar pronto quando a chamada for feita.
– O tenista pode jogar até três partidas do qualificatório num só dia em caso extremo.
– O ideal é o tenista disputar no máximo um jogo de simples e um jogo de duplas no mesmo dia e que o de simples seja o primeiro. Porém, o árbitro geral tem a decisão final.
– Em caso de mau tempo, uma partida pode ser encerrada em quadra diferente da que foi iniciada. Os tenistas também podem decidir isso de comum acordo.
– É obrigação do árbitro de cadeira adotar a pronúncia correta do nome dos jogadores em quadra.
– Se um jogo for adiado antes de começar, o sorteio de lado e saque terá de ser refeito.
– Se um tenista se vestir de forma incorreta, o árbitro lhe dará 15 minutos para corrigir. Após esse prazo, será considerado ‘w.o.’.
– O tenista com cãibra só pode ser tratado nas viradas de lado ou no encerramento dos sets. Não é permitido pedir ‘tratamento de 3 minutos’ para cãibra.
– Em caso de sangramento, o tempo médico pode ser de até 5 minutos.
– Um tenista que não estiver pronto para entrar em quadra recebe US$ 10 mil de multa e, caso exceda os 15 minutos regulamentares de espera, receberá mais US$ 10 mil de multa, além de w.o.
– O candidato a ‘lucky-loser’ precisa assinar uma lista até 1 hora antes de a rodada começar. Caso seja chamado, terá 5 minutos (homem) e 15 minutos (mulher) para entrar em quadra.
– A multa por uso de propaganda irregular no uniforme pode chegar a US$ 250 mil.
– A ausência do tenista na entrevista oficial pós-jogo gera multa de US$ 20 mil. O mesmo valor é aplicado se ele não participar da cerimônia de premiação final.
– O tenista que violar a lei, por questões criminais ou cíveis de qualquer país, pode ser incluído na regra de ‘integridade à imagem do esporte’ e ser multado em até US$ 250 mil e ainda ser impedido permanentemente de disputar os Slam.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja como foi a espetacular vitória de Fonseca sobre Sonego

Nadal pode ter feito seu último jogo oficial em Barcelona

PUBLICIDADE