PLACAR

Gauff vira o jogo contra Svitolina e defende o título em Auckland

Foto: ASB Classic

Auckland (Nova Zelândia) – Pelo segundo ano consecutivo, o título do WTA 250 de Auckland é de Coco Gauff. Depois de chegar sem perder sets à decisão, a norte-americana precisou virar o jogo contra a ucraniana Elina Svitolina neste domingo, marcando as parciais de 6/7 (4-7), 6/3 e 6/3 em 2h35 de partida.

Número 3 do mundo aos 19 anos, Gauff conquista seu sétimo título no circuito da WTA e tem ótimo histórico em finais. Seu único vice foi para Iga Swiatek no saibro de Roland Garros em 2022. A jovem norte-americana também se torna a quarta mulher a defender o título em Auckland. A última havia sido a alemã Julia Goerges, em 2018 e 2019.

“Estou muito feliz com a vitória e com a forma como consegui virar a partida hoje”, disse Gauff após a vitória. “Acho que em termos de nível não foi minha melhor partida ou o melhor nível esta semana. Mas às vezes, quando você vence mesmo sem jogar seu melhor, você se sente mais satisfeita”.

Gauff recebe 250 pontos na WTA e um prêmio de US$ 32.500. Ela estreou vencendo a também norte-americana Claire Liu e também passou pela tcheca de 16 anos Brenda Fruhvirtova e pela francesa Varvara Gracheva nas fases iniciais. Já na semifinal do último sábado, venceu a compatriota Emma Navarro.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Já Svitolina ganha 163 pontos e uma premiação de US$ 20.830. A ucraniana de 29 anos segue com 17 títulos no circuito e disputou sua 21ª final. Ex-top 3, ela ficou mais de um ano sem jogar por conta da gravidez e nascimento da filha, Skai, mas retornou em ótima forma na temporada passada e já é 25ª do mundo.

Gauff esteve por duas vezes com uma quebra acima durante o primeiro set, chegando a liderar o placar por 3/1 e depois por 5/3. Mas as oscilações no saque dificultaram o trabalho da norte-americana nos momentos decisivos da parcial.

Sacando para fechar, cometeu duas duplas faltas, uma delas em um set-point, e permitiu que Svitolina devolvesse a quebra. Outra dupla falta aconteceu no tiebreak. A ucraniana era a jogadora mais consistente nos ralis de fundo, cometeu apenas 10 erros contra 21 da norte-americana. Gauff liderava nos winners por 16 a 7.

A norte-americana não se deixou abalar pela desvantagem momentânea e conseguiu uma quebra logo na abertura da segunda parcial. Ela voltou a quebrar para fazer 5/2, perdeu novamente a chance de sacar para o set, mas tinha uma margem mais confortável. Desta vez, as estatísticas eram mais equilibradas, 7 a 6 em winners para Svitolina e também um erro a mais para a ucraniana, 7 a 6.

Já no set decisivo, Gauff passou a confirmar o saque de maneira mais tranquila. Ela enfrentou somente um break-point e cedeu apenas oito pontos nos games de serviço. Svitolina chegou a pedir tempo médico de três minutos para tratamento do pé direito, mas seguiu na partida. A única quebra do set decisivo foi no penúltimo game, quando a norte-americana conseguiu fazer 5/3 antes de definir a disputa no saque. Gauff fez 32 a 21 nos winners e cometeu 43 erros contra 36. Ela conseguiu seis quebras em 13 break-points e perdeu três games de serviço.

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE