PLACAR

Fritz: “Novo formato da United Cup não favorece os EUA”

Foto: James Gourley/Tennis Australia

Perth (Austrália) – Integrantes da equipe vencedora da United Cup em 2023, Taylor Fritz e Jessica Pegula serão novamente os grandes nomes dos Estados Unidos na competição que abre a temporada do tênis. Em entrevista coletiva na cidade de Perth nesta quinta-feira, o atual número 10 da ATP falou, no entanto, que o novo formato do torneio não é o ideal para os atuais campeões.

“Foi incrível, obviamente, vencer no ano passado, mas acho que este ano, com a mudança de formato, fica muito mais difícil para o nosso time. O formato do ano passado foi favorável para equipes como a nossa. Mesmo que Jess e eu não fôssemos bem, ainda tínhamos os nossos números 2, nos quais confiávamos muito em todos os confrontos”, explicou.

Vale lembrar que em 2024 cada duelo terá três partidas, sendo duas de simples (uma masculina e outra feminina) e uma de duplas mistas. Na edição anterior, os confrontos eram feitos em cinco jogos, sendo quatro de simples e uma mista.

Seguindo a linha de pensamento de Fritz, Jessica Pegula entende que a diminuição do elenco causou certa estranheza no grupo e revelou que alguns jogadores ficaram chateados por não poderem disputar o torneio neste ano, como Frances Tiafoe.

“É meio triste, porque perdemos metade da nossa equipe. Eu sinto que não é a mesma coisa, tivemos momentos muito divertidos no ano passado. Tenho certeza de que faremos algo para manter as memórias vivas. Maddie [Madison Keys] disse que se precisássemos de boas vibrações, poderíamos ligar para ela a qualquer momento. Acho que eles estão meio chateados por não estarem aqui, então não sei se querem falar conosco. Pelo menos Foe estava”, disse a terceira colocada no ranking da WTA.

Dupla também critica formato olímpico
Em outro momento da entrevista, Fritz e Pegula foram questionados sobre o cronograma para a nova temporada, que terá como elemento especial os Jogos Olímpicos de Paris. Para os dois tenistas, o formato de classificação e realização do torneio de tênis no evento deveria ser revisto.

“Meu planejamento será muito afetado pela regra atual, pois tenho que disputar uma eliminatória da Copa Davis para poder jogar em Paris. Isso me obriga a ir à Lituânia depois do Aberto da Austrália. Eu adoraria ter aquela semana de folga, mas preciso fazer isso para poder estar na Olimpíada”, reclamou.

Ainda segundo ele, os Jogos Olímpicos deveriam voltar a contabilizar pontos no ranking. “É uma grande honra jogar pelo seu país, mas não apenas não ganhamos pontos como perdemos pontos se estivermos defendendo algo naquelas semanas. Precisa haver algum tipo de incentivo.”

Já para Pegula, a competição olímpica poderia ser disputada por equipes. “Do meu ponto de vista, deveria ser um torneio de seleções. Acho chato ter que enfrentar outro tenista da mesma nacionalidade porque isso quebra todo o espírito de equipe. Eles poderiam pensar em organizar algo como a United Cup”, sugeriu.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE