PLACAR

“Federer é certamente uma referência importante”, diz Sinner

Foto: Julien Crosnier / FFT

Turim (Itália) – Primeiro italiano a assumir a liderança do ranking da ATP, chegando ao número 1 nesta segunda-feira, Jannik Sinner conversou com diversos veículos de seu país para falar sobre o seu feito. Em entrevista à Gazzetta dello Sport, ele lembrou seus ídolos de infância, destacou o suíço Roger Federer entre os tenistas e também outros dois nomes do esporte italiano.

“Acredito que todos os números 1 tiveram algo especial, são grandes jogadores, grandes personagens, é difícil deixar alguém de fora. Claro que, para a minha idade e para a minha geração, Roger Federer é certamente uma referência importante. Cresci no seu auge e sempre adorei o seu estilo dentro e fora das quadras”, contou Sinner, que não se inspirou apenas no suíço.

Fora do tênis, o italiano também teve nomes de compatriotas de outras modalidades para se espelhar. “Quando criança eu esquiava, competia e morava nas montanhas, meu primeiro ídolo do esporte não era do tênis e foi Alberto Tomba (esquiador italiano)”, disse o tenista de 22 anos sobre seu primeiro ídolo.

“Depois também me inspirei muito em Valentino Rossi . Os dois são os grandes nomes do esporte italiano que vêm à mente quando falamos de lendas do esporte. Não só pelas suas vitórias, mas também porque foram capazes de liderar um movimento, de fazer crescer suas modalidades”, acrescentou Sinner, que tem ajudado justamente no crescimento do tênis italiano.

Sinner é produto de um forte investimento italiano no tênis, que rendeu muitos outros nomes se destacando no circuito. “Não estou sozinho, somos muitos, temos cinco jogadores no top 50, um número incrível. Outros estão subindo e esperamos ter cada vez mais no futuro. Em Roland Garros fizemos grandes coisas entre as finais e as semifinais. Devemos estar felizes, mas nunca satisfeitos”.

O novo número 1 do mundo tenta não se empolgar demais com o feito alcançado e quer seguir trabalhando. “É uma sensação ótima, mas não sou uma pessoa que pensa muito em resultados. Olho para frente, uma meta após a outra”, comentou Sinner.

Derrotado nas semifinais no Grand Slam francês, ele já pensa no retorno ao mesmo palco para os Jogos de Paris e acredita que possa fazer ainda melhor. “Em Roland Garros foi como aconteceu, mas considero uma grande lição entender como e onde preciso melhorar. A esta altura, vencer as Olimpíadas naquela quadra seria um sonho”, finalizou.

15 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo H
Paulo H
1 mês atrás

Sonho olímpico bastante real para o jovem número 1. Tem que aprender a controlar o emocional (mais do que já faz) nos momentos decisivos, como no segundo e terceiro sets da semifinal contra Alcaraz em RG), pois talento e técnica tem de sobra.

Ronildo
Ronildo
1 mês atrás

Os tenistas mais talentosos tem Federer como ícone principal. Carlos Alcaraz também tecia muitos elogios ao Federer como principal inspiração, mas depois que percebeu que isso geraria impopularidade para ele em seu país, recontou a história dizendo que seu principal ídolo sempre foi Nadal. Mas tudo bem, a pessoa não pode viver ignorando o meio em que vive, é completamente compreensível esta mudança que ele fez.

Belarmino Jr
Belarmino Jr
1 mês atrás

Roger Federer é simplesmente o melhor e maior tenista da história! Referência para todos!

Ronildo
Ronildo
1 mês atrás

Geralmente os tenistas jovens e habilidosos tem Federer como ícone, o que é bem natural. Alcaraz também dava declarações deste tipo. Mas depois que percebeu que era altamente impopular falar isso na Espanha, recontou a história dizendo que seu principal ídolo sempre foi Nadal. Normal, não se pode viver desconsiderando o meio onde se vive.

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Ronildo

Siner tem tudo pra chegar longe junto de Alcaraz, pois a sua humildade é exemplar não só para os seus adversários assim como para nós.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás

Tenis Brasil,

Por que vocês não colocam a declaração de Federer em relação a Djoko?

José Nilton Dalcim
Admin
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Irei questionar a redação, Paulo.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Dalcim,

Sempre lúcido e correto. Obrigado!

CRAS
CRAS
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Relaxa Paulo,
Os fãs do Federer são como o proprio Federer (o Suiço declarou essa semana nao ter dado o devido respeito ao Djoko). Ele percebeu isso ha muito tempo, mas so deu a declaraçao agora. Para ele custou muito caro ignorar o Djoko. Custou a aposentadoria precoce do esporte la em 2010….. Enfim, continuem ignorando o Djoko, isso alimenta ele. Depois nao chorem caso ele volte e ganhe ainda mais uns 3 a 5 Grand Slans!! Força Nole!!!

Gilvan
Gilvan
1 mês atrás
Responder para  CRAS

Esse discurso de auto-ajuda, da superação do “coitadinho” é de nausear.

Nei Costa
Nei Costa
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Tá aí, uma boa pergunta.

JClaudio
JClaudio
1 mês atrás

“Não só pelas suas vitórias, mas também porque foram capazes de liderar um movimento, de fazer crescer suas modalidades”.
Sinner falando de seus ídolos italianos.
O impacto do atleta no esporte que prática é algo que não tem como esconder.
Federer é sem dúvida o jogador mais importante que o tênis teve.
Eu sei, o Sinner também sabe.

Rogério Frederico
Rogério Frederico
1 mês atrás

que bom ver o sérvio farsante, aos poucos, sendo varrido para a lata de lixo da história

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Rogério Frederico

Pra que esse ódio cara, onde que você acha que vai chegar assim? Ora tu deverias era reconhecer o talento do sérvio como eu reconheço de todo big 3, aliás, deveria era sentir orgulhoso por viver nessa era e ter visto a história a ser contada no futuro por ver os 3 gênios, Nadal, Djokovic, Federer, jogarem e pense nisso meu caro. Abraço.

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Rogério Frederico

Pra que esse ódio cara? Lembre-se que destilar ódio não leva a nada, repense nisso . Agora tu deverias era reconhecer o talento do sérvio como eu reconheço de todo big 3, aliás, deveria era sentir orgulhoso por viver nessa era e ter visto a história a ser contada no futuro por ver os 3 gênios, Nadal, Djokovic, Federer.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon

PUBLICIDADE