PLACAR

Ex-top 40, Delbonis anuncia sua aposentadoria

Federico Delbonis (Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour)

Azul (Argentina) – Sem disputar uma partida desde outubro do ano passado, o argentino Federico Delbonis anunciou nesta semana sua retirada definitiva do circuito profissional. Aos 33 anos, o ex-top 40 do ranking mundial era o último remanescente ainda em atividade do quarteto que levou a Argentina à inédita conquista da Copa Davis, em 2016. Responsável pelo triunfo decisivo na final contra a Croácia, ao bater Ivo Karlovic no quinto jogo por 3 sets a 0, Delbonis pendura a raquete depois de Leonardo Mayer (2021), Juan Martín del Potro (2022) e Guido Pella (2023).

“Hoje é o fim de uma das viagens mais enriquecedoras da minha vida, mas haverá mais caminhos para percorrer. Fui muito feliz fazendo o que gosto de fazer”, escreveu em suas redes sociais. “É o fim de uma etapa da minha vida em que aprendi a ser esportista e pessoa. Tive momentos inesquecíveis e imbatíveis dentro e fora da quadra de tênis, mas é hora de ouvir o meu corpo, que pede uma pausa”, explicou o argentino.

Em 17 temporadas, Delbonis conquistou dois títulos de ATP, o primeiro deles no Brasil Open de 2014 e o outro em Marrakech, no Marrocos. Na campanha em São Paulo, ele derrotou o paulista Thomaz Bellucci na semifinal, antes de bater o italiano Paolo Lorenzi na decisão.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Seu melhor ranking foi o 33º lugar, alcançado em 2016. Já em Grand Slam, teve como principal resultado as oitavas de final de Roland Garros em 2021, mesmo ano em que atingiu as quartas no Masters 1000 de Roma.

Entre as maiores vitórias da carreira, Delbonis derrotou Roger Federer na semifinal de Hamburgo em 2013, bateu Stan Wawrinka nas quartas de Genebra em 2015 e superou Andy Murray na terceira rodada de Indian Wells em 2016. Outras vítimas do argentino foram Nikolay Davydenko e Grigor Dimitrov.

Antes de se despedir oficialmente, Delbonis ainda competirá na chave de duplas do ATP 250 de Buenos, dentro de duas semanas, ao lado do compatriota Facundo Bagnis. Na especialidade, ele possui dois títulos na carreira, ambos no Brasil Open ao lado do também argentino Máximo González, em 2018 e 2019.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Henrique
Henrique
3 meses atrás

Esse é um dos exemplos de eficiência. Com um repertório de golpes não tão extenso, conseguiu muita coisa legal. Parabéns caraaaa!!! Valeu pela luta.

Arajaribu
Arajaribu
3 meses atrás
Responder para  Henrique

E uns bons pilas na guaiaca…

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE