PLACAR

Djoko acha seu tênis, Zverev não se entrega

Foto: ATP

Na hora mais importante de uma madrugada histórica em Paris, Novak Djokovic reencontrou o tênis que o marcou na última década. O garoto Lorenzo Musetti resistiu por três sets, com um misto de bons ataques e enorme espírito defensivo, que o levaram a liderar por 2 a 1, mas o número 1 jamais desistiu. No seu melhor estilo, encontrou uma forma de encurtar o tempo de reação do italiano com golpes cada vez mais profundos e batidos a ponto de impor um sonoro ‘pneu’. Após 4h29 de uma gigantesca batalha, era o tenista que flutuava em quadra, enquanto o adversário, 15 anos mais jovem, dependia do tudo ou nada.

Não poderia haver forma mais simbólica para Nole igualar o recorde de 369 vitórias de Grand Slam de Roger Federer, sendo 95 delas em Roland Garros, onde apenas Rafael Nadal o supera, com 112. Quadrifinalista em Paris em todas as edições que disputou desde 2010, Djokovic tenta manter essa sequência incrível diante do argentino Francisco Cerúndolo, que muitas horas antes repetiu a vitória de Madri em cima de Tommy Paul até com certa folga. É um saibrista típico, com quase 70% de todas suas vitórias de nível ATP vindas sobre a terra. O duelo é inédito.

Com sua 39ª vitória em 50 jogos já feitos decididos no quinto set, Djokovic garantiu um feito a este tão equilibrado Roland Garros, já que 9 dos top 10 estão classificados para as oitavas, como aconteceu no Australian Open de janeiro e em Paris de 2022.

Zverev resiste em jogo tenso

Virada ainda mais difícil conseguiu Zverev. O alemão viveu intensos altos e baixos, não sacou tão bem e ainda relutou em arriscar o backhand na paralela. Para piorar, o bom holandês Tallon Griekspoor se soltou aos poucos e fez lances espetaculares ao longo dos cinco sets, principalmente junto à rede. Parecia ter o jogo nas mãos quando sacou com 4/1 no quinto set, alemão perdido em quadra, e aí entrou em cena a conhecida falta de confiança de Griekspoor. Cedeu o empate, ainda empurrou para o tiebreakão e aí foi massacrado, mesmo tirando o serviço do adversário no ponto inicial.

Em nove presenças em Paris, Zverev atinge as oitavas pela sétima vez, o que é notável, sendo três semis consecutivas. Outro que adora um quinto set, seu recorde sobe agora para 22 em 33, sendo 9 em 10 em Paris, incluindo aqueles três seguidos de 2018. É bom Sascha aproveitar o domingo para recuperar energia porque aí vem o imprevisível Holger Rune. O dinamarquês fez o que era natural diante de um limitado Josef Kovalik, mostrando cabeça em ordem depois da derrota iminente da rodada anterior. O único duelo entre eles foi em Munique de 2022 e deu Rune.

Muito esforço para Ruud e Medvedev também

Casper Ruud e Tomas Etcheverry fizeram ótimos ralis, mas no geral a partida foi de menor qualidade técnica do que era de se imaginar. O argentino segue sem vencer um top 10 em sua oitava tentativa, enquanto Ruud chega a 38 vitórias numa temporada em que já fez cinco finais e reencontrará o norte-americano Taylor Fritz, que suou para tirar Thanasi Kokkinakis e enfim somar ao menos oitavas em todos os Slam. De quebra, Fritz bate seu recorde pessoal de triunfos sobre o saibro num mesmo ano, agora com 13.

Também em quatro sets muito trabalhosos, Daniil Medvedev chegou a 360 vitórias na carreira e certamente comemorou não ter ido ao quinto set com o talentoso Tomas Machac, já que seu recorde nesse quesito é negativo (0-2 em Paris e 7-10 na carreira). O tcheco fez maravilhas com o backhand na paralela e com os voleios, mas a consistência do russo pesou. Ele fará agora o oitavo duelo contra Alex de Minaur, que lidera com seis triunfos, depois que o australiano passou por Jan-Lennard Struff. Até 2022, De Minaur só tinha uma vitória em Paris em cinco participações. Agora, soma seis em sete edições.

O longo sábado teve ainda o complemento dos três jogos que foram prejudicados pela chuva de sexta-feira. Félix Aliassime atropelou um desnorteado Ben Shelton e agora desafia Carlos Alcaraz, sobre quem tem 3-2 no histórico. Quem não se lembra, o canadense levou Nadal a cinco sets no último título do espanhol, em 2022. Já Hubert Hurkacz cedeu um set para Dennis Shapovalov mas chega às oitavas pela segunda vez para fazer um duelo de top 10 contra Grigor Dimitrov. O búlgaro nunca perdeu do polonês em cinco confrontos, um deles em Monte Carlo.

Sabalenka e Rybakina seguem firmes

Se os grandes nomes do masculino deixaram set e muito suor em quadra para ir às oitavas de final, as duas maiores concorrentes da parte inferior da chave feminina dosaram muito bem seus esforços. Aryna Sabalenka teve um primeiro set exigente, mas depois marcou a quarta vitória sobre a amiga Paula Badosa no saibro das cinco que possui no total. Semi de seus últimos seis Slam, a bielorrussa pega agora Emma Navarro, 24ª do mundo, que venceu o duelo americano contra Madison Keys, alguém que vinha de semi em Madri e quartas em Roma. Navarro nunca havia sequer disputado a terceira rodada de um Slam.

A confirmar a lógica, a tarefa seguinte será no mínimo curiosa, porque enfrentaria ou a adolescente Mirra Andreeva, a mais jovem tenista a fazer oitavas em três pisos diferentes de Slam desde Anna Kournikova em 1998, ou a esperança da casa Varvara Gracheva, a russa que virou francesa no ano passado e é mera 88ª do mundo. Para quem não vê um título desde Mary Pierce há 24 anos, ela própria nascida canadense e criada nos EUA, vale a festa.

Elena Rybakina tem feito ainda mais. Jogos rápidos, sem brechas, com firmeza no saque e na base. Contra a experiente Elise Mertens, disparou 25 winners que foram 45% de seus pontos vencidos na partida. Tremendo volume para manter invencibilidade de cinco vitórias sobre a belga. E deve vir mais dificuldade, agora contra Elina Svitolina, quadrifinalista do ano passado. Roland Garros é o torneio em que a ucraniana mais ganhou partidas na carreira e, é claro, leva o apoio do público por conta do maridão Gael Monfils. Duelo promissor porque Svitolina mistura ritmos.

A dura possível sequência de Rybakina poderá ainda ter a confiante Jasmine Paoline, nada menos que 15º do ranking, que tem agora oitavas nos dois Slam da temporada. A italiana teve algum trabalho com a guerreira Bianca Andreescu, ausente do circuito desde Montréal do ano passado. A adversária será a surpreendente Elina Avanesyan, 70º do mundo, repetindo a quarta rodada de 2023. Mas a russa fez um jogo feio contra Qinwen Zheng, cheio de erros, fragilidades e incertezas dos dois lados.

92 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás

Essa não foi com 2-0 abaixo, mas foi tão mágica quanto. Estava entregue, sem saídas, sendo humilhado e achou uma solução no quarto set. Aí ligou o God Mode e passou por cima com 6 quebras seguidas.

Jamais duvidem de Novak Djokovic!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
16 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

E’ mesmo? .Musetti estava jogando Challenger semana retrasada kkkkkkk . Jamais dudidem de Alexander Zverev !!!!. Seu oponente era mais parrudo . Rsrsrs, Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

E hoje jogou um absurdo até a primeira quebra no quarto set. Djoko passou o trator no Griekspoor no Genebrão a partir do segundo set.

Rsrs, abs!

Belarmino Jr
Belarmino Jr
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Não cara não, Sérgio! Kkkkkk

Fernando S P
Fernando S P
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Fraco, né? Top 30. É tão fácil menosprezar os outros. Parabéns pelo comentário.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
16 dias atrás
Responder para  Fernando S P

Jogou 2 Challengers consecutivos na Itália e perdeu os dois . CAIU pra Top 30 devido a péssima temporada que vem fazendo. Quinto Set de Top 120 , meu caro. Parabéns pelo teu abalizado comentário. Abs!

Paulo F.
Paulo F.
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Desconsiderando um tenista top-30?
Ah, contra o Djokovic pode.
Sei
A conferir
rsrsrsrsrsr Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Rafael Nadal caiu na primeira rodada. Deve ser naturalmente três vezes mais fraco que o italiano.
E ainda se diz entendedor do esporte.
Por que não te calas?

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Vixe, essa foi pesada.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
15 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs !

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
15 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Ou melhor , porque o desinformadissimo Sabichão não te calas ??? . Dois Challengers na Itália , apenas até semana retrasada . Num total de 4 em sequência perdendo até para Wild . Despencou de Top 18 para 30 nesta pessima Temporada 2024 . Deu calor no cara do Post do teu quarto ? E daí ??? . Até TOP acima do 100 deu desde janeiro . O baba ovo sempre se mete sem base e sem nenhum argumento. És um fanático fraquíssimo como comentarista L F 2 …rsrs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
15 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Afinal, deixou de ser talentoso ou melhor tenista que qualquer brasileiro do ranking atual, por que não ganhou nenhum Challenger ou não? Serve para o Dalcim também. Wild fez terceira rodada em RG?
SR, tu adora ofender, mas se defender com argumentos lógicos e coerentes, és 0 à esquerda, antes da vírgula.
Passe bem.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
15 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs !

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Sentiu saudades do Rei Baghdatis?

Cabelo de Boneca 2024
Cabelo de Boneca 2024
16 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

“God Mode” …se toca cara, usa o bom senso.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Cabelo de Boneca 2024

Essa expressão é sempre utilizada no canal da ATP no YouTube em vídeos quando jogadores estão muito inspirados. Sério que você nunca viu?

Djoko não é Deus, mas é o GOAT com folga. Use o bom senso.

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
16 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Olha, eu não vi o jogo, mas aposto que a tal mágica deve ter sido algo como: “hocus pokus, matarei meu oponente de correr até ele se cansar”. ☺️ Nisso, o Djoko é tão chato no tênis quanto você é nos comentários…

Última edição 16 dias atrás by Rodrigo S. Cruz
Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Rodrigo S. Cruz

Não, foi a categoria e a força mental que lhe são peculiares. Na verdade, o italiano que estava chegando em todas as bolas até o quarto set e o Djoko sem pernas e perdido no terceiro.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás
Responder para  Rodrigo S. Cruz

Federer com 37 perdia para um de 31 e era esse o fator que determinava a derrota.
Dokovic com 37 ganha de um de 22 é o cansaço causado ao menino o fator determinante.
Analistas do esporte, putz!
Agora, que causa cansaço sem ter a habilidade necessária para isso?
Sei que não terás capacidade de resposta…

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
16 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Na cara não…

Belarmino Jr
Belarmino Jr
15 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Federer não fugia de exame anti doping… Para um bom entendedor. .

Piter Oliveira
Piter Oliveira
15 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Quem fugiu foi o Gabigol! Djokovic fez no mesmo dia!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
15 dias atrás
Responder para  Piter Oliveira

Ora , ora . O Sr Oliveira por aqui ? . E lá no Site tira onda que eu não acrescento nos comentários kkkkkk. Não tem privilégio pra ninguém no antidoping,ou ao menos, não deveria…Abs!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
14 dias atrás
Responder para  Piter Oliveira

PITER OLIVEIRA, o “Djokovic fez” xixi?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
15 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Vá lá e prenda o cara, bom entendedor!

Lucas Moreira
Lucas Moreira
16 dias atrás

oi, boa noite, o rune que ganhou do zverev em munique, 6/3, 6/2.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
16 dias atrás

6 a zero no quinto set. Aff… Tá vendo, Ronildo? Bem que eu avisei. Sua previsão “icefoot” fez o italiano levar um ‘pneu’ de presente pra casa.

Ronildo
Ronildo
16 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Ele não estava na melhor versão ainda Maurício. Se enganou e levou muitos consigo. Mas Cerundolo é mais forte e resistente. Vai envolver Djokovic numa ciranda de golpes até a consumação final!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás
Responder para  Ronildo

Uai, até ontem cedo ele estava sim na melhor versão.
E sinto lhe informar, mas, não levou muitos. Levou só você…

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Ronildo

Estava na melhor versão sim.

Rafael
Rafael
16 dias atrás

Que jogaço do sérvio e Musetti! O Djoko é uma máquina e mesmo aos 37 anos ainda nos dá lição de garra, inteligência e genialidade! Que vitória! Agora os outros que se cuidem. Concorda, mestre?

Clodovil Mott
Clodovil Mott
16 dias atrás

Fico feliz que Zverev e outros homens que são bonitos e ricos têm começado a resistir aos ataques judiciais de uma sociedade invejosa, ressentida e enciumada. Mulheres ressentidas partem para o ataque pessoal e para o choro. Homens invejosos partem para o assédio moral e para a humilhação. Mesmo sendo provavelmente mais um progressistinha, como certos jogadores de futebol e atores, o alemão não merece. Go , Zverev, go!

Fernando S P
Fernando S P
16 dias atrás
Responder para  Clodovil Mott

Deixa a justiça decidir. A Alemanha é reconhecida como uma das melhores do mundo nisso. Não passam pano.

Se tiver evidências, ele será devidamente punido. Sou contra o prejulgamento feito pelos extremistas de ambos os lados.

Última edição 16 dias atrás by Fernando S P
Sandra
Sandra
16 dias atrás
Responder para  Fernando S P

Concordo

Maurício Luís *
Maurício Luís *
16 dias atrás
Responder para  Fernando S P

Faço minhas as palavras.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
16 dias atrás
Responder para  Clodovil Mott

E como que você afirma assim, como se fosse certeza que quem o está processando é ressentida? Não seria o caso de deixar pro juiz decidir, uma vez que você sabe do processo tanto quanto um analfabeto sabe de Física Quântica?

Miguel BsB
Miguel BsB
14 dias atrás
Responder para  Clodovil Mott

Acho que o Clodovil tava no quarto quando as supostas agressões ocorreram, ou não ocorreram…
Vai lá depor a favor do Zverev, se tem tanta certeza.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
16 dias atrás

” Não importa o quão necessária seja uma guerra, ela sempre será um crime.” – Ernest Hemingway

Carlos Pereira
Carlos Pereira
16 dias atrás

No 5°set será que não foi o físico novamente que traiu o Musetti?

Belarmino Jr
Belarmino Jr
16 dias atrás

O Wild teve bem menos trabalho pra vencer o italiano dias atrás. Musetti é habilidoso, mas um tenista fraco

Fernando S P
Fernando S P
16 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Os tenistas não mantêm um desempenho constante ao longo dos torneios. Eles se esforçam para estar no auge durante os Slams. Todo mundo sabe disso.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás
Responder para  Fernando S P

Parabéns por sua altivez, FERNANDO S P…

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Deve ser porque ontem o Musetti fez a sua melhor partida do ano. Você já estava comemorando a derrota do GOAT e viu outra virada épica, Marquinhos/Robert Souza.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Wild ontem tomaria um triciclo de qualquer um dos dois.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Fato. Nível absurdo de tênis dos dois.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

MUITO ME ADMIRA vocês ainda gastarem tempo com esse nó cego, o talzinho que declarou outro dia ser capaz de vencer qualquer tenista do circuito. Ele deveria é jogar mais bola, ao invés de querer oferecer aos desavisados o que não tem…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
15 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Realmente Valmir, gastamos algo muito precioso, como o tempo, quando discutimos algo como qualidade tenística entre Djokovic e Seyboth Wild.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
14 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, quem sabe( e vê ) a abismal diferença entre o inseto e o inseticida e ainda se vale de argumento com teor comparativo, só pode ter água de coco na cabeça…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

BELARMINO JR, você está coberto de razão, Thiago Wild é muito melhor tenista que Novak Djokovic, aliás, há anos que este cenário vem se configurando. No mais, Musetti é “um tenista fraco”, enquanto o tal de Thiago, não…

Daniel Rohr
Daniel Rohr
16 dias atrás

Mestre, Medvedev tem 6/2 contra o De Minaur no H2H. Achei esquisito o Nole levando as mãos aos joelhos ainda no primeiro set. Parecia estar passando mal em quadra. E no quinto set foi um trator, parecia ter 19 anos. Você acha que essa batalha até a madrugada pode ter reflexos na parte física para as próximas rodadas?

Sandra
Sandra
16 dias atrás

Dalcim , vc acha que o processo contra o Zverev atrapalha se desempenho ? Vc não acha estranho a mídia soltar esse burburinho sempre no meio de um torneio importante ? Não estou defendendo ele , quem tem que decidir e a justiça.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
16 dias atrás

NÃO TEM JEITO MESMO, A CEO da Goodyear, Caloi, Michelin e Monark, não dá chances às suas concorrentes no mercado. O mais curioso é que ela desfila seu talento e supremacia, com uns trajes que supostamente prendem mais os movimentos que os uniformes convencionais, usados habitualmente por suas colegas raqueteiras. Vive surfando pelas quadras mundo afora, com camisetas de mangas compridas e bermudonas que vão até os joelhos, além do inseparável boné cobrindo-lhe as madeixas e sombreando-lhe o olhar de lince, a enxergar os limites da quadra com mais apuro que suas adversárias. Iga Swiatek pode não ser a tenista que mais gosto, mas é, com certeza, a melhor…

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
16 dias atrás

Esta partida com certeza ajudou o Djoko a ganhar “ritmo”=memória cinética=tempo de bola, que é tão importante quanto preparo físico, técnica e mental. Seu nível tende a subir.

Mas ainda terá um grande problema pela frente: alguns jogadores tão bons ou melhores do que os melhores da sua geração. Os próximos jogos deverão mostrar melhor em que ponto está esta comparação das gerações.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Marcos Ribeiro

Melhores do que o Fedal ou mesmo Murray? Aí você forçou.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás

Boss, seu primeiro parágrafo desse post deveria ser lido várias vezes.
Através dele, fãs, admiradores, detratores, conhecidos e quem não conhece, terão a noção exata do quão gigantesco Novak Djokovic é.

Belarmino Jr
Belarmino Jr
15 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Ninguém dúvida que Novak é gigante. Só não é maior e nem do mesmo tamanho que Federer e Nadal, e talvez de Sampras, Laver e Borg, os maiores ícones do esporte.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
15 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

24 > 22 > 20 14 > 12 > 11
Quem é o maior mesmo?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

PARA UMA BOBAGEM como essa, a esparrela bolsonarista está de bom tamanho. Portanto, eis a resposta à sua pergunta, PAULO SÉRGIO: Brasil acima de tudo e Deus acima de todos…

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
15 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Recorde em esporte de alto rendimento é bobagem? Volte para sua “literatura” que é melhor.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
14 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

PAULO SÉRGIO, a bobagem não é o recorde, é o fato de você se ligar no maior, ao invés de se ligar prioritariamente no que o maior e o “menos maior” fazem com bolinha e raquete. Quanto à minha literatura( sem aspas, pois é muito melhor ), eu não preciso e não tenho que me ausentar desta confraria, para me ater à minha arte literária, ainda mais empurrado por um desavisado como você.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
15 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

24
428
8
7
40
71

Quem tem números menores do que esses é inferior ao rei dos esportes.

Luis Ricardo
Luis Ricardo
15 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

esporte é resultados e o resultados falam por si só ….

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
15 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Não Belarmino, do mesmo tamanho de nenhum desses ele é mesmo não.
Tem deles aí, que mesmo juntando dois, não alcançam o sérvio.
Todos esportes e mesmo fora deles, criam rankings com princípios bem elaborados para definirem seus melhores re representantes.
Em que escola, um ranking de 310 semanas como o maior de todos ao menos encosta em 420?

Roger Porciuncula
Roger Porciuncula
15 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

O sérvio é até o momento o melhor de todos tempos. Os números dizem isso. 24 GS, 40 master 1000 e 7 ATP Finals. E 427 semanas como número 1.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
15 dias atrás
Responder para  Roger Porciuncula

428 semanas amanhã e também 8 temporadas #1 e 71 Big Titles.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
15 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Segundo SR, o Sinner já é #1, porque, os pontos de Djokovic do ano passado já descontados, promovem o italiano.
Ele só não sabe que na semana do GS, permanece para contagem de semanas o status do início do evento, porque se Djokovic for campeão, mantem-se no topo e as duas semanas de RG continuam em sua conta.
Se isso não acontecer, Sinner só iniciará essa contagem a partir da próxima segunda-feira.

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
16 dias atrás

Bom dia
Será que é Brutuuusssss esse Alcaraz, kkkkkkkkkkk, o cara tá pegando forma, concordas Mestre Dalcim, esse terceiro set, contra o Aliassime, dá gosto de ver.

Julio Marinho
Julio Marinho
16 dias atrás

Bom dia, Dalcim!
Desculpe ponderar, mas você se esqueceu de comentar que já estou quase te alcançando no fantasy RG! Meu único objetivo é alcançar esse José Nilton que insiste em ficar pontuando! Mas se cuide! Rsrs!
Abraço!

Oswaldo Euclydes Aranha
Oswaldo Euclydes Aranha
16 dias atrás

O jogo Djpkpvij e Musetti demonstrou como são importantes a condição física e a mental. Como alguém aqui no blog já comentou que querem nos empurrar goela abaixo o Alcaraz, também vejo nos intervalos o Itaú e Rolex fazerem isso

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás
Responder para  Oswaldo Euclydes Aranha

NOSSA! QUE coisa não engraçada…

José Eduardo Pessanha
José Eduardo Pessanha
15 dias atrás

Ali Acima é ruim demais. Esse não tem mais salvação. Abs

Andre Eduardo
Andre Eduardo
15 dias atrás
Responder para  José Eduardo Pessanha

De fato. Aliassime é um dos tenistas mais “sem graça” dos últimos tempos.

Souza Oliveira
Souza Oliveira
15 dias atrás

É….. Nunca será.!! Paz

Maurício Luís *
Maurício Luís *
15 dias atrás

Lorenzo Musetti; ” Eu não estou arrependido, estamos todos muito satisfeitos (com o desempenho). Só falta a vitória.”
Que ‘pérola”… Quer dizer que só falta a vitória? Ficou parecendo o médico que sai da sala de cirurgia: ” A operação foi um sucesso! O paciente morreu…”

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
15 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Ué, não são vocês que dizem que legado e amor de torcida importam mais do que recordes e vitórias?

Maurício Luís *
Maurício Luís *
15 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Não eu. Pode procurar aí que nunca escrevi isto.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

MAURÍCIO LUÍS, “não sou coveiro”…

Andre Eduardo
Andre Eduardo
15 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

“O gol é apenas um detalhe” (PARREIRA, Carlos Alberto).

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
14 dias atrás
Responder para  Andre Eduardo

“DOIS A ZERO É UM resultado perigoso” – Milton Neves…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
15 dias atrás

Opinião cada um tem uma, la vai a minha do momento em RG. Tenho comentado q via Alcaraz, Sinner, Djoko e Zverev como os principais candidatos ao titulo. No entanto o q vimos nos últimos dois dias: Sinner com supostos problemas físicos, Djoko e Zverev oscilantes, embora vitoriosos. Assim, neste momento, vejo Alcaraz um degrau acima de Sinner e Djoko, e Zverev um degrau abaixo dos últimos dois. O espanhol esta voando em quadra, só um cego pra não ver isso…

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
15 dias atrás

Êeeeeee Musettão, kkkkkkkkkkkkkkk, caracoles bambino, com Djkovic não se brinca, quando vi perdeu o 4º set, ai pensei: ja era bambino, kkkkkkkkkkkkkk, e o sérvio achou o caminho, o cara é foda, aguardar os próximos embates, questão fisica, será o adversário dele, claro a depender, do adversário que ele vá pegar, deve vir só jogos exigentes, bom…entre sim ou não, vamos esperar.

Espanhol voando no momento, vou concordar com o LF, ele está acima dos dois (Nole e Sinner), Zverev um pouco abaixou dos dois últimos citados, só diria para o espanhol: o jogo acab no último ponto, então BB, se concentra no grego, kkkkkkkkkkkkk.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
15 dias atrás
Responder para  Evaldo Moreira

Acho q será o “teste” definitivo pra ele, o grego vem fazendo uma ótima temporada de saibro, já fez final em RG inclusive. Se Alcaraz vencer “bem” se firmará como principal postulante ao título…

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
15 dias atrás

Para complementar, olho no Ruud, ele vem de mansinho….

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
14 dias atrás
Responder para  Evaldo Moreira

EVALDO MOREIRA, bem observado, “ele vem de mansinho”, e quando a gente percebe, ele já foi vice campeão…

Última edição 14 dias atrás by Valmir da Silva Batista
Luiz Fernando
Luiz Fernando
15 dias atrás

Sinner irreconhecível no set1, perdeu pra um jogador inferior a ele em tudo, inclusive na velocidade da bola. Ainda creio q vença, mas uma oscilação absurda dessa ordem (escapou de pneu) não pode significar coisas boas…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
15 dias atrás
Responder para  Luiz Fernando

Ao contrário. Joga como um veterano e nem torcida mexe com seu mental . Quando o Francês percebeu a partida já estava perdida no terceiro Set . Como não está com nenhum problema físico , difícil cravar alguém na Semi de Roland Garros 2024 . Abs!

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals