PLACAR

Dimi-trovão estremece Miami

Dono de um tênis estiloso e de um atleticismo invejável, Grigor Dimitrov conseguiu se reinventar aos 32 anos. O ex-número 3 do mundo, que passou quase seis temporadas sem erguer um troféu depois de fazer maravilhas lá em 2017, parece acima de tudo ter reencontrado o prazer da competição.

Não se pode dizer, porém, que falte consistência a seu jogo, um dos últimos remanescentes do estilo mais clássico. Afinal, desde que conseguiu reagir na carreira, em setembro de 2019, atingindo a semifinal do US Open quando havia despencado para um temeroso 78º posto, Dimitrov só não figurou no top 30 por meras nove semanas.

Claro que todo mundo sempre quis mais dele, porque nunca foi bem digerido que alguém com um tênis tão semelhante ao de Roger Federer não alcançasse um sucesso mais expressivo. Seu auge foi lá em 2017, quando conquistou Cincinnati pouco antes de ganhar o Finals e virar o terceiro do ranking.

É muito bom saber que ele ainda não se contenta com o papel de coadjuvante. Voltou a uma grande decisão em Bercy de novembro e dois meses depois encerrou aquele amargo jejum de títulos, em Brisbane. A vitória desta quinta-feira sobre Carlos Alcaraz – a segunda consecutiva – foi sua quarta diante de um top 5 em seis meses.

E que exibição de gala. O búlgaro colocou em quadra o que faz de melhor, desde o saque preciso e o voleio afiado aos contragolpes bem escolhidos. Devolveu com determinação o ainda vacilante serviço do espanhol e mostrou aquela agilidade incrível para chegar em bolas difíceis, sem falar nas alternâncias de ritmo com o slice. Quando Alcaraz tentou reagir, manteve a cabeça no lugar.

Com esta semi inédita em Miami, Dimitrov chega na penúltima rodada de oito dos nove Masters e recupera o 11º lugar do ranking. Se vencer Alexander Zverev nesta sexta-feira, aparecerá no top 10 pela primeira vez desde 2018 e irá recolocar o backhand de uma mão na tão prestigiada lista.

O reencontro com Sascha, no entanto, é um desafio emocional a mais. Ele venceu o alemão de saque poderoso no primeiro confronto, lá em 2014, e daí em diante perdeu todos os sete duelos, quatro deles no ano passado. Justiça seja feita, Zverev tem feitos ótimas exibições nas últimas semanas e isso foi essencial para dominar o ascendente húngaro Fabian Marozsan nesta quinta-feira com muita aplicação na base e mínimos erros não forçados.

A queda de Alcaraz, diga-se, recoloca Jannik Sinner na luta pela vice-liderança do ranking. Ele terá de ganhar enfim Miami, onde já perdeu duas finais, o que significa superar Daniil Medvedev nesta sexta-feira pela quinta vez seguida.

Como não torcer para Collins?
Em que pese toda a simpatia que se possa ter por Elena Rybakina, será bem difícil não torcer para Danielle Collins na final feminina de Miami. Aos 30 anos e com aposentadoria precocemente anunciada para outubro, rumo à sonhada maternidade, a norte-americana enfim chega a uma final de nível 1000.

É bem verdade que ela já teve até chance de ganhar seu Grand Slam, no Australian Open de 2021, e desde então raramente voltou a mostrar um tênis tão competitivo como nestes últimos 10 dias. Agressiva o tempo todo, sempre buscando o domínio do ponto na primeira bola, seu padrão exige ou muita confiança ou enorme relaxamento. E Collins parece ter reunido os dois.

Rybakina, que também não economiza na força, continua a superar seus altos e baixos. Chegou a levar um ‘pneu’ de Victoria Azarenka e precisou garantir sua vaga lá no tiebreak do terceiro set, depois de deixar escapar o saque a favor no 5/4 que deveria ter definido antes o placar.

O favoritismo da cazaque é natural. Ganhou três dos quatro duelos contra Collins, e tem muito mais títulos de peso, incluindo Wimbledon e dois de nível 1000. Caberá a Collins jogar com a mesma alegria com que tirou Carolina Garcia e Ekaterina Alexandrova nesta reta final.

113 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo Almeida
Paulo Almeida
23 dias atrás

Dimi-trovão segurando o Bei…. da mídia, para o desespero do Sr. SR.

Rsrsrs, abs!

Paulo F.
Paulo F.
22 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Kkkkkkkkk!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Beiçola da Midia com DOIS SLAM e 5 MASTERS 1000 aos 20 anos ? . Em 2007 na mesma idade , o ” goat ” tinha ZERO SLAM e 2 MASTERS 1000 .Rsrsrs , Abs!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Só falta 1 Nadal de masters 1000 e Serena Williams de slam para você ficar aliviado kkkkk.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Jura ??? . Imagine se tivermos apenas um Big 2 em vez de 3 rs. Quantos SLAM os dois garotos poderão atingir ? . Mas não se desespere que ainda dá tempo de torcer pelo surgimento de um Big 5 kkkkk. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

O GOAT ganhou Australian Open e Indian Wells em 2008 com menos idade do que o espanhol tem agora, prestes a completar 21.

Sem choro, Sr. SR! Rsrs, abs!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
22 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Fora que o primeiro slam do espanhol contou com a ausência do goat por causa da pandemia.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

O ÚLTIMO AOPEN do “ goat “ não contou com a presença do Tourinho Assassino. Aí quando chegou em WIMBLEDON… Rsrsrs, Abs!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Sim. Esqueceu da semi de RG, final de Cincinnati e a aula no atp finals?

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Você disse que foi campeão do finals 2022 por causa da ausência do espanhol. O que falar do finals 2023? A conferir kkkkk

Paulo Almeida
Paulo Almeida
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Antes chegou em Roland Garros.

Rsrsrs, abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
22 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

3 Slams perdidos por conta da pandemia. Dureza…

Maurício Luís *
Maurício Luís *
20 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Não. É por causa da TEIMOSiA.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
20 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Wimbledon 2020 não aconteceu e ele era o favorito natural. Ele também teria disputado AO e USO 2022 sem pandemia. Isso que quis dizer.

Renato Toniol
Renato Toniol
21 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Djokovic esteve ausente por suas convicções e não há nada de errado nisso. O errado é quando seus torcedores usam o vitimismo para dizer que ele foi impedido de jogar nos EUA e na Austrália por perseguição e alegam que os adversários só ganharam o título devido a ausência do sérvio. US Open 2021, Wimbledon 2023 e Ausopen 2024 prova o que ele pode perfeitamente ser batido por Medvedev, Alcaraz, Sinner, ainda que o favoritismo do sérvio não se discute.
Se ele tem suas convicções, que aceite as consequências e seus torcedores larguem de vez o vitimismo.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Em maio de 2008 o ” goat ” completou 21 . Até maio de 2024 , Tourinho Assassino ainda joga ( 5 de maio faz 21 ) , tem jogo ainda . Não se desespere pois não existe sucesso sem Fracasso! . Rsrsrs, Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Eu estou tranquilo. Nem ele, nem Sinner e nem qualquer outro chegarão nos números do GOATaço. A tendência é de muito equilíbrio, muito perde/ganha daqui pra frente. Medvedev e Zverev também não estão mortos.

A conferir, abs!

Viviane
Viviane
23 dias atrás

Tarefas difíceis tanto para Dimitrov quanto para Collins, mas tudo é possível. No caso da Collins pesa os altos e baixos da Rybakina, apesar de achar que dessa vez ela não vai deixar o Miami Open escapar. Quanto ao Dimitrov, é preciso jogar com a mesma intensidade que jogou contra Alcaraz. Mas depois de hj, me perguntou se ele vai ter gás suficiente pra isso.

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
22 dias atrás
Responder para  Viviane

Acho que sim Viviane, e ele virá motivado, quem sabe quebrar essa serie negativa contra o Sacha……

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
23 dias atrás

” Ele me fez sentir como se tivesse 13 anos de idade. Foi louco, eu estava conversando com minha equipe, falando que não sabia o que fazer, não sabia seus defeitos, não sabia de nada . É por isso que tenho frustração agora” . Carlos Alcaraz na Coletiva pós jogo. Abs!

João
João
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Quando ele se compara com um garoto de 13 anos, será que está falando do saque?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  João

Também. Montou uma estratégia equivocada com segundo Serviço na esquerda de Dimi. Na verdade o Búlgaro jogou barbaridade. O problema é que no momento, Sasha saca muito mais que Carlos Alcaraz…Abs!

João
João
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Wild saca melhor que Carlos
hahhahah

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Isso é verdade Sérgio….

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
22 dias atrás
Responder para  João

Não João, ele estava falando em relação á não encontrar soluções para encurralar o dimitrovão, como não achou, além do saque instáve, foi presa fácil.

SANDRO
SANDRO
23 dias atrás

A velocidade, a técnica e a variação de golpes do talentoso DIMITROV pôs a cachola do Beiçola em parafuso… Parabéns ao talento do DIMITROVÃO !!!

SANDRO
SANDRO
23 dias atrás

Que concentração a da Daniele Collins, que winners de devolução maravilhosos !!! Parabéns Collins!!!

Alexandre G.
Alexandre G.
23 dias atrás

Dimitrov impôs um ritmo tal qual Federer fazia em suas partidas, que faz o adversário se acuar em seu lado da quadra, apenas se defendendo.
O espanhol foi tratado como um novato, e não conseguiu achar o seu tênis de #2 do ranking.
Só espero que Dimitrov mantenha o mesmo foco contra Zverev, que também vêm jogando um bom tênis.
O H2H de 7×1 contra ele colocam Zverev como favorito, e eu também aposto nessa estatística.

Julio Marinho
Julio Marinho
22 dias atrás

Fale, Dacim!
Primeiro, vou só discordar citando a enorme antipatia que tenho pela Collins. Para mim, eu sinto a mesma coisa por Wild, Ostapenko, Putintseva, Tsitsipas, Kokkinakis. Antes de eu pensar no tenista, se não gosto da pessoa, fica difícil torcer. Na verdade, só torço contra. Essa do Wild então da última vez, só mostra como ele é uma pessoa pequena que não sabe reconhecer que o Jarry não só foi melhor jogador em quadra (super competitivo ele), como é um cara muito mais gente boa.
Sobre Dimi, realmente teve uma atuação irretocável. Que prazer vê-lo assim, solto, sem aquelas amarraras mentais que tornaram ele tão pouco competitivo contra o big3.
Mas uma coisa sobre o Alcaraz tem que ser dita e espero que aprendida. A bem da verdade, Sinner poderia melhorar bem também. Que é entender taticamente um jogo, enquanto o jogo está rolando, coisa que o big 3, principalmente Nadal e Djok eram mestres.
Creio que Alcaraz teria que ter desacelerado o jogo, jogado bolas altas sem peso, para tentar tirar o melhor momento do búlgaro? Iria funcionar? Não sei. Mas certamente o big3 não teria tentado amassar Dimi em um dia em que ele estava sentindo a bola tão bem na pancadaria. Mas ele queria passar por cima, uma coisa meio mental de revide. Certa vez Nadal disse o seguinte: certas vezes seu objetivo é jogar bem, certas vezes fazer o adversário jogar mal. E essa 2a opção nunca passou pela cabeça do espanhol.
Saque ainda frágil e vacilante, sobretudo nos games mais agudos, mas isso é quase uma consequência dessa questão de querer amassar a bola.

Alvaro Armbrust
Alvaro Armbrust
22 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Julio, endosso suas palavras, você expressou uma coisa que eu também sinto, mas o fez muito melhor do que eu faria. Também não consigo torcer para alguém se não simpatizo com a pessoa. Incluo nesta lista algumas figuras das antigas como MacEnroe, Connors, Verdasco, Hingis..
Também acho que faltou a Alcaraz a humildade de entender que tinha que alterar sua tática de jogo. Nadal fez isso como ninguém, Djoko, idem, apesar deste fazer parte da lista dos que eu não simpatizo.
Abraços

Alex
Alex
22 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Que post e respostas legais.
Pensamos de maneira muito parecida.
E extrapolando para esportes, é inevitável também ter preferências e não preferências. Difícil é entender como elas se formam.
Mas que todos que curtem acompanhar esportes sentem simpatias e aversōes, isso sentem.

Luiz Afonso
Luiz Afonso
22 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Teu comentário me faz afirmar como Nole e Nadal são mentalmente e taticamente espetaculares! Até pouco tempo atrás, o técnico não podia dar instruções aos tenistas. Mesmo assim, sem qualquer ajuda externa, Nadal e Nole sempre foram mestres em mudar o rumo da partida. Hoje os técnicos podem intervir para salvar os tenistas.

Carlos Pereira
22 dias atrás

A carreira se faz de regularidade e não de brilharecos! Mas foi espetacular essa vitória do Dimi!

João Sawao ando
João Sawao ando
22 dias atrás

Torço pelo dimittov e pela collins

Washington
Washington
22 dias atrás

Dalcim, quais são seus palpites entre Dimitrov X Zverev, Sinner X Medvedev e Rybakina X Collins

André Aguiar
André Aguiar
21 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Lendo esses palpites depois das semifinais masculinas e antes da final feminina, vou fazer uma fezinha na Collins…rsrs.
(É só uma brincadeira, mestre).

Paulo Mala
Paulo Mala
22 dias atrás

O alcaraz sempre quis jogar contra o Federer…
Ele teve parcialmente seu sonho atendido

João
João
22 dias atrás

Será que o netflix vai fazer um documentário sobre o Dimitrov?
Hahahaha

Paulo F.
Paulo F.
22 dias atrás

Ficou difícil para quem torcer em Miami agora.
Gosto do Sinner, Medvedev irrita as terceiretes com seu jogo “feio” e Dimitrov eliminou o herdeiro da seita alpina.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Onde fica a Seita ” goat ” ? . Já sei a pior de Todas desfila na Kombi , cujo Piloto é o mais fanático de todos . Rsrsrs, Abs!

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Jonas
Jonas
22 dias atrás

Um atropelo, tirou todo tempo de reação do espanhol que não sabia o que fazer. Nem dá pra dizer que Carlitos jogou mal.

As duas SF agora estão abertas: Med x Sinner não tem amplo favoritismo, idem para Zverev x Dimitrov, mas eu gostaria de ver o Sinner nessa final contra o Zverev.

As coisas estão mudando no circuito, vejo um pouco mais de equilíbrio e não mais um domínio de um único jogador sobre o resto. Ainda que o trio Sinner, Alcaraz, Medvedev continue chegando nas fases finais dos maiores torneios, porque são melhores mesmo, tem excelentes jogadores que podem ganhar de qualquer um. Claro que ainda tem o Djoko, que motivado segue sendo o melhor no detalhe, mas no momento não parece estar tão focado e ainda por cima tá sem técnico. Espero que venha alguém de peso que saiba lidar com o difícil temperamento do sérvio.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
22 dias atrás

RYBAKINA EM QUADRA…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
22 dias atrás

ASSIM param com aquela palhaçada de Maria Sharapova…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
22 dias atrás

JOSÉ NILTON, me dê notícias da Belinda Bencic, por favor…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
22 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

JOSÉ NILTON, muito obrigado…

Marcelo F
Marcelo F
22 dias atrás

Cada um torce para quem quiser mas, em que pese o fato de Collins estar se despedindo, torcer por ela é dose pra dinossauro. Tenista extremamente chata, desagradável e antipática. Como Ostapenko, Vandewhegue, Putintseva e várias outras. Aliás há uma diferença brutal nos jogos entre homens e mulheres no momento do aperto de mão ao final das partidas. Enquanto há simpatia e até camaradagem em 90% dos casos entre homens, há frieza e indiferença em 90% dos casos entre mulheres. Acho isso muito lamentável da parte delas. Mas há umas legais, como Jabeur, Kvitova, Sakkari, Bia. Enfim…vou torcer pela talentosa, bonita e discreta Rybakina, minha tenista favorita atualmente, junto com Anna Kalinskaya, de iguais predicados.

Flávio
Flávio
22 dias atrás

Falou bem Mestre como sempre, agora sobre Dimitrov é muito bacana vê-lo resgatando seu tênis e mantendo, quem sabe, vivo o backhand de uma mão como o Tsitsipas esta em queda ele pode voltar a ser o principal jogador de backhand da atualidade e pela sua boa técnica vou torcer para ele, mas vai ter que enfrentar o fantasma do retrospecto desfavorável, Zverev, no caso da Collins seria bacana também ela vencer só que sabemos que a Ribakina é difícil e se não cometer erros em demasia aí será dureza para Collins ,mas cada jogo é um jogo e quem sabe os deuses do tênis não querem premiá-la não é? Portanto Mestre, Dalcin, você acha que se o DIMITRV vencer o importante master Miami pode fazer com que o genial backhand de uma mão volte a ser observado? Abraços e bom trabalho neste final de master.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
22 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Você ainda acha o Musetti promissor?
Acho que o prazo dele está se esgotando.

Alvaro Armbrust
Alvaro Armbrust
22 dias atrás

Eu não sei quanto aos amigos do blog mas, eu, quando saio na rua, todo mundo me pergunta: “consórcio é crédito ou investimento?” Arghhhhhh

Careca
Careca
22 dias atrás
Responder para  Alvaro Armbrust

Alvaro, não sei se vc se refere ao que direi, mas como é abominável e irritante a transmissão BR com comerciais de tela dividida durante o jogo e nos intervalos.. Sempre assisto a transmissao dos eua ou espanha (star+), que mantêm as câmeras 100% do tempo na quadra.

rafael luis
22 dias atrás

Alcaraz comecou devolvendo muito atraz da linha (5 m) e demorou pra mudar o posicionamento. Quando mudou, ja tinha perdido o 1o set. TAmbem achei que faltou humildade . Entrou na quadra achando que o Dimitrov nao era pareo. Devolucoes discplicientes, rifando muito a bola pra fora . Nao tem iniciativa pra ler o jogo e mudar a tatica quando nao ta funcionando. Os adversarios ja aprenderam como jogar contra ele(back hand erratico) ,devolucoes displicentes e saque que nao ajuda na hora do sufoco. Precisa melhorar muito pra querer se equiparar ao Big Three. Perder o jogo e sair sorrindo da quadra é uma atitude esquisita pra mim. Impressao que eu tenho é que ele tem muitos recursos tecnicos mas é um peladeiro. Quer jogar pra torcida.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  rafael luis

Não acredito que li este comentário. Onde o Sr Rafael estava na virada espetacular de Carlos Alcaraz sobre JANNIK SINNER apenas uma semana atrás, e depois dando um passeio em MEDVEDEV na final ?… Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
22 dias atrás
Responder para  rafael luis

Nossa!
Semana passada foi “o cara”.
Agora se transformou nisso daí.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Nisso daí ?? Explica sabichão…rs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
21 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Putz SR, nem quando temos a mesmo opinião tu pegas leve com a pegação de pé.
Leia novamente o comentário do Rafael Luis que talvez perceberás do que falei.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
20 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Peladeiro, para dar um exemplo apenas.

Miguel BsB
Miguel BsB
22 dias atrás

Dimitrovão escovou o Alcaraz pela segunda vez seguida. O Bulgaro joga muito e tem um tênis muito legal de se assistir.
Entre Collins e Ribakina, não tenho nem dúvidas pra quem torcerei. É só olhar a caranca de arrogante e bravinha da americana, e a cara tranquila e simpática da Russa.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
22 dias atrás

Gostei do Dimi-trovão… kkkkk.
E é como disse certa ocasião o Federer. Tem pouca diferença entre o ‘1 e o 30. Então, num jogo entre profissionais deste nível, tudo pode acontecer.
O “Dimi-trovão” fez uns ‘winners’ de bachhand desconcertantes, inclusive na resposta de saque.

Barocos
Barocos
22 dias atrás

Belíssimo jogo do Dmitrov, acho que uma das melhores partidas dele, repleta de lances muito plásticos, destes que se usa em comerciais para incentivar a prática do esporte.

Não acredito que o búlgaro passe pelo Zverev, mas como ninguém ganha de véspera, é assistir e torcer por mais um grande espetáculo.

Quanto ao Medvedev, não tenho nada contra ele, inclusive acho que ele é um tipo de jogador que faz bem ao circuito, mas vou torcer para o pecador.

Especialmente neste momento tão difícil em nosso pequeno e arredondado lar azul, vou torcer também para que algum juízo e compaixão consigam percolar na mente dos mandatários dos destinos do restante de nós.

Saúde e paz para todos.

Refaelov
Refaelov
22 dias atrás

Olha, concordo q o Dimitrov teve sim uma atuação primorosa mas, n dá pra n botar uma grande fatia dessa vitória no desempenho medíocre do Alcaraz com o saque ontem.. pros q vinham falando q “as críticas do Roddick tinham tido um efeito positivo” foi uma bela ducha de água fria..

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  Refaelov

A oscilação é natural com esta idade . O ” goat ” precisou de Todd Martin , Becker e Ivasinevic até atingir o seu ápice como sacador . Alcaraz tem talento suficiente pra chegar quando amadurecer, em todos os fundamentos que no momento precisam ser aperfeiçoados . TODO o Big 3 ao longo da carreira melhorou vários. Até mesmo Roger Federer. Abs!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
22 dias atrás

Final do primeiro set: Esporte 6×1 eterna nextgen…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  Luiz Fernando

Errado: JANNIK SINNER atual TOP 3 , vence MEDVEDEV atual TOP 4 em Sets diretos e atinge sua vitória de número 21 em 22 jogos… Isso é o verdadeiro Esporte. Abs!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
22 dias atrás

Grande evolução de Medvedev no set2, dobrou o número de games vencidos, parabéns ao russo kkkk…

Maurício Luís *
Maurício Luís *
22 dias atrás
Responder para  Luiz Fernando

Se fosse uma melhor de 7, talvez o Malvadão ganhasse com essa “evolução” assombrosa…

Oswaldo Euclydes Aranha
Oswaldo Euclydes Aranha
22 dias atrás

Também aprecio o tênis de Dmitrov, entretanto não sei se vão publicar porque fiz uma mensagem que não consegui encontrar.

Oswaldo Euclydes Aranha
Oswaldo Euclydes Aranha
22 dias atrás

Vendo agora diversos comentários fico pensando se este blog é de tênis ou de simpatia e antipatia

Sandra
Sandra
22 dias atrás

Dalcim , sera Que Sinner , Medevedev, Rune e Alcaraz se espelharam no Djokovic? Eles estão se tornando imbatíveis, Tenho sérias dúvidas se Djokovic consegue ganhar deles hoje em dia !

Maurício Luís *
Maurício Luís *
22 dias atrás

E pelo andar da carruagem, federetes e nadalzetes vão sendo substituídas por alcaretes e sinneretes.
Já as “noletes” seguem firmes e não sei o que é que vão virar.
” … E la nave va…”

Jonas
Jonas
22 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Pelo que percebo, maioria dos “Noletes” irá torcer para o Sinner, até pelo estilo de jogo que é parecido.

Já Alcaraz é a mistura do Fedal e tende a herdar a torcida dos “Fedalzetes”.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
21 dias atrás
Responder para  Jonas

Eu, fora da maioria, não escolho para quem torcer. É o tenista que me escolhe. Foi assim com Djokovic e Guga, único brazuca para quem torci até agora.
Mas amanhã, por uma questão simplesmente matemática, torcerei muito para Dimitrov.

Rafael
Rafael
22 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Eu vou virar Sinner

Jonas
Jonas
22 dias atrás

Inegável o potencial de Sinner. Se continuar evoluindo vai se tornar o novo Djokovic. Alcaraz que se cuide com ele e com outros que já não o respeitam.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás
Responder para  Jonas

Me diga um só que não respeite Carlos Alcaraz, caríssimo Mestre Jonas ??? . Joga mais aos 20 anos que todos do Big 3 na mesma idade. És outro que acompanha outro Circuito. Onde estavas em Alcaraz x SINNER, semana passada???…Abs!

Jonas
Jonas
22 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Digo no sentido de saberem como batê-lo. Óbvio que ele é duro de se enfrentar em qualquer piso.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
22 dias atrás

Teoricamente, esta disputa pelo segundo lugar no ranking é importante pra definição dos cabeças-de-chave em Roland Garros. Teoricamente.
Porque se observarmos a pontuação do ranking, há um degrau entre os 4 primeiros e o quinto em diante. Então, qualquer um dos quatro que se enfrentar vai ser jogo duro. Principalmente os 3 primeiros, porque Medvedev não se sente à vontade no saibro.
E se o Nadal entrar, vai ficar solto na chave e apesar de tanto tempo afastado, pode causar estrago.

Carlos Pereira
22 dias atrás

Pra mim, não tem como não torcer pela Ribakina. Tremenda gata!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
22 dias atrás

Quem viu as trocas de BH entre Sinner e Medvedev esta vendo o inverso na partida noturna, ja q Dimitrov joga com slice 50-60% dos golpes. Pior, Zverev q tem um BH excepcional e bem superior ao do búlgaro troca mais FH do q BH, ou seja, não força o jg para seu melhor golpe, uma total falta de estratégia. Até o momento total equilíbrio…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
22 dias atrás

Esporte 6×4 eterna nextgen, vamos pro segundo set…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
22 dias atrás

Quem vê o BH do búlgaro entende bem o apelido de baby Federer…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
22 dias atrás

O bem perdeu o set 2…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
22 dias atrás

Não foi Dimitrov q venceu, foi o bem, foi o esporte. Esses mimados da eterna nextgen merecem isso mesmo, um perde da nova geração e o outro de um veterano. Parabéns ao esporte…

Claro q Sinner é mais jogador do q o búlgaro; além disso é muito mais jovem e tem um BH superior. Mas Alcaraz é Zverev também eram superiores e ele venceu. Qualquer um q vença amanhã estará de bom tamanho…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
22 dias atrás

E pra que serve o h2h pela milésima vez ( era 1 x 7 ) ? . Dimitrov ( seria “ eterna Next Gen ? ) nos brindou novamente com um Tênis ( agora sim ) de golpes contundentes, brilhante pela grande variação, levando os amantes do Back Simples ao delírio . Onde o Craque Suíço estiver , deve ter aberto um largo sorriso . Acreditem , mais Aces , mais WINNERS e mais agressivo que o Alemão. Voleios espetaculares, com direito a “ peixinho “ pra êxtase do público. Vamos combinar que JANNIK SINNER devolve no momento bem mais que Sasha . Daí , a meu ver , e’ o favorito amanhã contra o novo TOP 10 aos 32 anos . E ‘ mole ou quer mais …rs . Abs!

Paulo F.
Paulo F.
22 dias atrás

Para quem torcer na final?

O mais provável arquirrival, baita tenista, dicreto e que não possui a badalação e o hype do Beiçola da Mídia x aquele que derrotou o herdeiro da seita helvética?

Difícil.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
21 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Deves ter sofrido com a Torcida mais uma vez empurrando Alcaraz contra qualquer um . Sua popularidade em breve vai igualar a do Craque Suíço. Como faz um bem danado pro Esporte, haja desespero na Seita ” goat ” kkkkkkkk. Abs!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
21 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Os torcedores nolistas estão preocupados com a quebra de inúmeros recordes. Nós não escolhemos tenistas badalados e mimados pela mídia corporativa.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
21 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Mais cedo ou mais tarde, tu cometerás ato falho e escreverás GOAT sem aspas.

João Sawao ando
João Sawao ando
22 dias atrás

Dalcim .dimitrov ganha? Collins ganha?

João Sawao ando
João Sawao ando
21 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Obrigado dalcim.mas vou torcer pelos dois

Wilson
Wilson
21 dias atrás

Guerrinha idiota de alguns torcedores, irrita.
Coisa chata.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
21 dias atrás

Dimi também é de Maio , faz 33 mas já como N 9 , se vencer vai a N 7 . SINNER com a vitória assume pela primeira vez o N 2 . Mas defende 400 pontos contra 100 de Novak e ZERO de Alcaraz em Monte Carlo a partir do dia 7 . Se Djokovic cismar de não aparecer no Principado,perde o N 1 para Carlos Alcaraz caso vença o MASTERS 1000 de Monte Carlo 2024 , a não ser que eu esteja equivocado. Abs!

Sandra
Sandra
21 dias atrás

Dalcim , quem cuida da carreira do João Fonseca ? Ninguém tira seus méritos, mas ele recebe convites que nunca vi outro brasileiro receber

Maurício Luís *
Maurício Luís *
21 dias atrás

Acho até bom quando alguém consegue surpreender os do topo do ranking, porque aí os holofotes focam histórias de luta de quem está mais lá em baixo.
A matéria ” Dimitrov: ‘Tenho sorte de ter enfrentado e vencido os melhores’ ” ficou bem interessante.

Mas aviso que na versão há 2 problemas de concordância.
Trecho 1: ” Acho que cada um tinha um jeito muito diferente de fazer as coisas, mas todos “tinha” (correto é tinham) qualidades incríveis”
Trecho 2 (na mesma frase acima): ” …sei que Novak e Andy ainda “está” (correto é estão) jogando.
No mais, como eu disse, gostei muito da matéria.

Mário Sérgio Cruz
Editor
21 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Agradecemos pelo comentário, Maurício, e já fizemos as devidas correções.

João Sawao ando
João Sawao ando
21 dias atrás

Collins ganhou. Agora só falta o grigor

Luiz Fernando
Luiz Fernando
21 dias atrás

Collins jogou bem e mereceu o título. Simples assim!

Oswaldo Euclydes Aranha
Oswaldo Euclydes Aranha
20 dias atrás

não encontrei 2 mensagens que postei

Groff
Groff
20 dias atrás

O show do búlgaro não se limitou ao jogo com o Alcaraz. A semi foi de nível absurdo, e do pouco que vi esse ano o “voleio” dele caindo no chão pra ganhar o break no terceiro set foi o ponto da temporada na minha modesta opinião. Puro reflexo, poder de adaptação e raciocínio rápido.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
19 dias atrás
Responder para  Groff

Groff, como você interpreta que esse comentário seu, tem até agora 9 pontos negativos?
Eu, realmente, não estou entendendo essa qualificação que estão dando aos comentários.
Para mim, de negativo, ele não tem nada.

Groff
Groff
19 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Não faço a menor ideia, Luiz, meu caro! Aliás, desculpe, não é verdade, faço sim, e estava para escrever ao Dalcim a respeito disso. Assim que conseguir d[a uma olhada no post atual que vou postar por lá. Abraço!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
19 dias atrás
Responder para  Groff

Eu vi, obrigado.
Mas, ainda acho completamente sem nexo.

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals