PLACAR

De Minaur supera Ruud e fatura o bi em Acapulco

Foto: Abierto Mexicano Telcel

Acapulco (México) – Pela primeira vez desde que trocou o saibro pelo piso sintético, em 2014, o ATP 500 de Acapulco tem um bicampeão consecutivo. Na madrugada deste sábado, no horário de Brasília, o australiano Alex de Minaur superou o norueguês Casper Ruud com um duplo 6/4 em 1h57 e levantou o seu segundo troféu do torneio mexicano.

Considerando todas as edições do evento desde que se transformou em um ATP 500, no ano 2000, De Minaur é apenas o terceiro jogador a vencer a competição em anos seguidos, repetindo os espanhóis Nicolas Almagro (2008 e 2009) e David Ferrer (2010, 2011 e 2012), ambos ainda sobre a terra batida. Ao lado do compatriota Rafael Nadal, Ferrer é o maior campeão do torneio, com quatro conquistas.

De Minaur, por sua vez, chega ao oitavo título de sua carreira e iguala seu maior triunfo, tendo ainda outras seis conquistas em nível 250. Ao conseguir defender os pontos do ano passado ele se mantém no top 10 do ranking, porém será ultrapassado pelo próprio Ruud na atualização desta segunda-feira. Enquanto o australiano cairá para o décimo lugar, o norueguês assumirá o nono posto. Além dos 500 pontos renovados no ranking, De Minaur receberá uma premiação US$ 412,5 mil.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

“Foi uma semana incrível. Provavelmente uma semana que eu não esperava, para ser honesto. Cheguei ao México não me sentindo bem e continuei dizendo a mim mesmo para continuar me dando chances. Acho que hoje joguei minha melhor partida do torneio, então estou extremamente feliz com isso”, destacou o campeão em sua entrevista pós-jogo. Na atual temporada ele tem 15 vitórias e quatro derrotas.

“Acapulco tem sido um lugar muito bom para mim. É onde ganhei meu primeiro ATP 500 e agora pela primeira vez defendo um título. Sinto-me em casa aqui e é um ótimo lugar para se estar”, acrescentou o jogador de 25 anos.

Em um primeiro set marcado pelo equilíbrio, De Minaur não ofereceu uma única chance de quebra a Ruud em toda a parcial e aproveitou uma das duas chances de quebra que teve no terceiro game para abrir vantagem e sair na frente. No segundo, foi o norueguês quem começou quebrando, mas o australiano se recuperou imediatamente, voltando a superar o serviço do adversário no sétimo game. A partir daí, seguiu firme rumo à vitória.

Nas principais estatísticas, De Minaur anotou 27 winners contra 8 de Ruud. Apesar de ter acertado apenas 53% dos primeiros serviços, o australiano foi crucialmente capaz de ganhar 74 por cento (20/27) dos pontos atrás do seu segundo saque, o que fez toda a diferença para alcançar mais um título na carreira.

Nys e Zielinski são campeões nas duplas
Na chave de duplas, o título ficou com o monegasco Hugo Nys e o polonês Jan Zielinski, que derrotaram na decisão os principais favoritos do torneio, o local Santiago Gonzalez e o britânico Neal Skupski por 6/3 e 6/2.

Esta foi a quarta conquista da parceria de Nys e Zielinski, que já haviam faturado o Masters 1000 de Roma no ano passado e o bicampeonato do ATP 250 de Metz em 2022 e 2023. Atuais 25º e 24º colocados no ranking, respectivamente, os dois vão ganhar quatro posições na próxima segunda-feira.

11 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

A evolução desse australiano salta aos olhos! Sempre foi muito agressivo, mas não tinha consistência nenhuma nas trocas e na defesa! Hoje ele praticamente não tem buracos no seu jogo. Lembra muito o Djokovic, óbvio, guardada as devidas proporções

Nei Costa
Nei Costa
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Djokovic é o modelo máximo de quem quer ter sucesso no circuito. Jogar de forma parecida é meio caminho para obter bons resultados.

Norbert
Norbert
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Ola! Acredito que sua analise está equivocada, justamente é o contrário. Ele tem e tinha um jogo de grande qualidade defensiva, muita troca de bola, ótima agilidade e com grande leitura dos pontos. O que lhe faltava era agressividade e poder de conclusão dos pontos, “ter mais winners”. Claramente do ano passado em diante vem trabalhando muito nisso e nota-se pelo seu posicionamento em quadra e agressividade principalmente no FH como evoluiu muito e com essa evolução a sua subida de ranking foi instantânea por ja ter um jogo muito bom nesses atributos defensivos e que se manteve e foi melhorado com essas novas adições. O antigo de Minaur nunca chegaria nesse ranking atual.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Sinner, Di Menor, todos tentam imitar o GOAT Djoko, que é o maior exemplo de jogador perfeito de tênis.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Paulo Almeida

Que bobagem sem tamanho caríssimo, Piloto . Seu jogo em nada se assemelha ao do Sérvio. A cobertura de quadra lembra muito a de seu mentor , Lleyton Hewitt, aquele mesmo que menospreza que venceu as últimas 4 contra Sampras cedendo apenas um Set , e as últimas 3 contra GUGA sem ceder Set . Acrescentando que melhorou barbaridade o Serviço…Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Eu disse que tentam imitar, não que conseguem. Ninguém jamais teve ou terá a cobertura de quadra do GOAT Djoko com suas defesas impossíveis, além da maior caixa de ferramentas já vista.

Hewitt realmente se aproveitou da decadência do Sampras e da demora pra ascensão do Federer pra reinar por um breve período, mas depois virou uma nulidade, que tomou 6×1 do Craque ainda bem jovem no h2h.

Rsrs, abs!

Fã de Tenis
Fã de Tenis
1 mês atrás
Responder para  Paulo Almeida

Jogador perfeito? Vc não pode crer nisso…que bobagem gigantesca. Então Sinner, ao bater nele de chinelo é um ET? Menos….bem menos meu caro

Neto
Neto
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Como? Lembra o Djokovic? Não, não.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás
Responder para  Neto

Neto, você não sabe interpretar textos? Leia o meu comentário novamente

Rbclima
Rbclima
1 mês atrás

Um tenis vem menos vistoso, mas aos poucos vai deixando o malucão do Kyrgius pra trás!

Sociedade da Neve
Sociedade da Neve
1 mês atrás

Ugo Humberto, Sinner e De Mineur, creio q já temos 3 nomes no Finals

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE