PLACAR

“Cresci muito desde o ano passado”, afirma Alcaraz

Foto: Simon Bruty/USTA

Nova York (EUA) – Um ano após conquistar no US Open seu primeiro título de Grand Slam, o espanhol Carlos Alcaraz vai demonstrando serenidade na defesa do título. Com um grande tênis, ele derrubou mais um obstáculo rumo à final, batendo o alemão Alexander Zverev em sets diretos na noite de quarta-feira, garantindo assim um lugar já nas semifinais.

Comparando a evolução de 2022 para cá, o jovem tenista se vê em um momento bem diferente. “Acho que estou mais maduro agora; cresci muito desde o ano passado, quando  enfrentei minha primeira semifinal de Grand Slam e agora já estou nas quartas. Lido melhor com a pressão nesses momentos. Sinto que sou uma pessoa diferente e um jogador diferente”, analisou.

Cada vez mais perto de uma nova final contra o sérvio Novak Djokovic, o espanhol já vislumbra um novo duelo, mas sabe que não há qualquer garantia que isso ocorra. “Obviamente está mais próximo do que no início do torneio. Seria ótimo jogar uma final contra o Novak aqui em Nova York, mas nós dois temos uma semifinal muito difícil, então vamos ver”, disse Alcaraz, que enfrentará o russo Daniil Medvedev.

“Nas últimas partidas que joguei contra Daniil fiz um jogo tático perfeito. Fui bem em todas as coisas que me propus fazer, acho que meu jogo combina muito bem contra esse tipo de adversário. Espero jogar no mesmo nível que joguei naquelas partidas e conseguir a vitória”, disse o espanhol, que perdeu o primeiro duelo entre eles, mas venceu os últimos dois, todos eles definidos em sets diretos.

 

Sobre a vitória para cima de Zverev, ele ficou feliz com seu desempenho, principalmente no primeiro set, que considerou o mais duro da partida. “Ver o nível que Sascha estava jogando no primeiro set e poder vencer, foi ótimo para mim e me dá mais confiança. Ele caiu um pouco no segundo set e aproveitei minhas chances. Foi ótimo chegar ao terceiro set sabendo que estava em alta, jogando em ótimo nível. Para ele foi muito difícil”.

Questionado sobre a diferença de estratégia que usou nos break-points a favor e nos contra, o espanhol descreveu como planeja as situações. “No breakpoint quando ele estava sacando, tentava devolver e subir para volear quando possível. Se eu pudesse ir para a rede na segunda bola, eu fazia isso. É nisso que pensava naquele momento”, falou Alcaraz.

“Já quando estou enfrentando um break-point contra, eu tento não pensar nesse ponto, tento pensar que é um ponto normal. Então busco manter o meu estilo, jogando de forma agressiva. E se posso ir para a rede, vou para a rede”, complementou o espanhol de 20 anos.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE