PLACAR

Corretja aposta em domínio de Djoko no fim do ano

Xangai (China) – Em sua visita ao Masters 1000 de Xangai, onde recebeu homenagem por sua carreira, o suíço Roger Federer conversou com o podcast da ATP e analisou o desempenho do jovem espanhol Carlos Alcaraz, que apesar da pouca idade já tem dois títulos de Grand Slam no currículo e 36 semanas como número 1 do mundo.

“Alcaraz é ótimo, ainda é jovem e tudo o que já conquistou é fantástico, não apenas no saibro ou no piso duro, mas também agora venceu Wimbledon contra Novak (Djokovic) na final. Não é brincadeira. Ele não precisava provar isso, mas esse é mais um enorme feito em seu currículo, muito impressionante”, afirmou o dono de 20 títulos de Grand Slam.

“É claro que depois de Rafa (Nadal), Novak, (Andy) Murray e eu, todos esperamos que a próxima geração consiga jogar um grande tênis todas as semanas por algum motivo, mas é difícil de conseguir. E acho que Carlos se saiu tão bem quanto pôde até agora”, elogiou o suíço.

Federer reconhece qualidades do Big 3 em Alcaraz, mas ressalta que também há diferenças. “Vejo um pouco de força no forehand no estilo de Rafa, talvez também mais técnica da minha parte, como no drop shot. Você vê o slice dele, que pode jogar por trás como Rafa faz. E ele tem algumas habilidades defensivas que rivalizam com as de Novak, que está obviamente em um nível acima porque faz isso há tantos anos”, observou.

“Se Carlos continuar fazendo isso, falaremos ainda mais dele e ele tem potencial para conseguir. É importante também ficar livre de lesões. Talvez haja uma combinação, mas também não é justo dizer isso porque Carlos é Carlos, assim como Novak é Novak e Rafa é Rafa. Não gosto quando há muitas comparações”, complementou o suíço, colocando as semelhanças de jogo em perspectiva.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE