PLACAR

Connors é mais um a apostar em redenção de Djokovic

Foto: Tennis Australia

Nova York (EUA) – A eliminação do sérvio Novak Djokovic nas semifinais do Australian Open abriu espaço para opiniões diversas sobre o futuro do ex-número 1 do mundo. Enquanto alguns acreditam que isso é o início de sua derrocada, para outros ‘Nole’ ainda tem muito o que entregar. Um desses últimos é o norte-americano Jimmy Connors, vencedor de oito títulos de Grand Slam

Para o ex-tenista profissional norte-americano, os jovens começam a dar um passo em frente, embora o Djokovic nunca deva ser descartado. “Ele sempre encontra uma maneira de se inspirar. Ele encontrará uma maneira de usar tudo o que puder para voltar aos trilhos e vencer Roland Garros, Wimbledon, ou US Open antes do final deste ano”, afirmou em seu podcast Advantage Connors.

Embora reverencie os feitos do sérvio Connors vê com bons olhos o crescimento da próxima geração, conseguindo desafiar e bater Djokovic nos principais torneios. “O que gosto em (Daniil) Medvedev e (Jannik) Sinner é que parece que os jovens estão agora começando a dar um passo em frente”, opinou o norte-americano.

“Uma final diferente na Austrália atraiu outras pessoas para assistir. O tênis também precisa disso. Os fãs amam seus campeões e amam os vencedores, mas eles também querem saber, quando esses jogadores partirem, quem ocupará o seu lugar? E acho que eles estão vendo isso agora”, acrescentou Connors, destacando a consolidação de novos nomes.

Para ele, a rivalidade entre Djokovic e Sinner será algo a ter em conta num futuro próximo. “Estão estabelecendo mais uma boa rivalidade no tênis, é necessário. Desta vez Sinner venceu as semifinais em Melbourne, o que acontecerá da próxima vez? Mal posso esperar para ver uma partida entre os dois novamente”, finalizou.

20 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Gilvan
Gilvan
17 dias atrás

Eu aposto totalmente numa redenção do Djocovid: ainda é tempo de ele se vacinar e dar um bom exemplo para os seus fãs e os amantes de tênis.
Por enquanto, ele é apenas o porta-bandeira de um movimento homicida e um ser humano execrável.

Gilvan
Gilvan
17 dias atrás
Responder para  Gilvan

E antes que chegue aqui a turma toda, vão alguns dados para vocês da queda da cobertura vacinal brasileira, que só agora estamos retomando a patamares razoáveis, para vocês terem uma ideia do perigo que é essa brincadeirinha de ficar fazendo campanha contra a vacinação:
BCG – a cobertura vacinal que chegou a ser de 100% em 2018, caiu para 75% em 2021
Hepatite A – a cobertura vacinal chegou a ser de 97% em 2015, caiu para 67% em 2021
Hepatite B – a cobertura vacinal chegou a ser de 971% em 2015, caiu para 67% em 2021
Pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, meningite e hepatite) – a cobertura vacinal chegou a ser de 96% em 2015, caiu para 71% em 2021
Poliomelite – a cobertura vacinal chegou a ser de 100% em 2015, caiu para 71% em 2021
Rotavirus – a cobertura vacinal chegou a ser de 95% em 2015, caiu para 72% em 2021
Tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) – a cobertura vacinal chegou a ser de 100% em 2014, caiu para 75% em 2021
Pneumocócica – a cobertura vacinal chegou a ser de 95% em 2016, caiu para 75% em 2021
Meningococo – a cobertura vacinal chegou a ser de 100% em 2013, caiu para 72% em 2021

Só para ficar na vacinação infantil.

Leo, o realista
Leo, o realista
17 dias atrás
Responder para  Gilvan

É lógico que caiu… E não porque supostamente foi culpa do Djokovic. Estávamos em pandemia com restrições de acesso a diversos lugares. Nessa época, ninguem saudavel gostaria de ir numa ubs ou hospital cheios de contaminados para vacinar de outra coisa. Mas claro, a culpa é dp djokovic e do bozo. É verdade esse bilete!

Última edição 17 dias atrás by Leo, o realista
Gilvan
Gilvan
17 dias atrás
Responder para  Leo, o realista

Por essas e outras escolhi os dados de 2021, quando a pandemia já estava controlada. Poderia ter colocado aqui os dados de 2022, que foram ainda piores, mas vou simplificar a questão: a turma negacionista segue negando o efeito das vacinas e agora querem liberar a circulação de crianças não vacinadas (de qualquer vacina) no ensino regular. Estão dispostos a ver crianças com deficiencias da polio, morrendo pelo sarampo, transmitindo as piores chagas em nome de uma tal “liberdade”.
A única coisa que mudou foi o governo mesmo, pois os velhacos permanecem sendo velhacos.

Leo, o realista
Leo, o realista
16 dias atrás
Responder para  Gilvan

Não, não estava controlada.
Em 2022 foi o primeiro ano que uma parcela das pessoas começaram a ter mais segurança para fazer suas atividades cotidianas. Eu lembro que em 2022 eu evitei aglomerações o ano inteiro. E olha que eu nem era muito apocalíptico com o cv19, eu era mais adepto da linha do dr Drauzio Varella que disse que era uma gripesinha. Seus dados são inúteis. Parabéns por perder tempo coletando!

Última edição 16 dias atrás by Leo, o realista
Gilvan
Gilvan
16 dias atrás
Responder para  Leo, o realista

Lógico que você não era muito apocalíptico. Afinal, o que são 700 mil almas? Mas não é justamente sobre isso que estamos falando? Sobre a má influência de figuras públicas e o efeito de suas ações para a saúde pública?
Para quem briga com os dados, realmente, eles não servem pra nada. A covid19 continuará sendo para sempre uma gripezinha, as vacinas (as mais de 5 variedades diferentes de vacinas) continuarão sendo experimentais (e lá se vão 4 anos) e os mitos continuarão intocáveis.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
17 dias atrás
Responder para  Gilvan

Como dói ser terceirete sofredora. As chagas de tantas surras em quadra jamais se fecharão.

DjokoGOAT é o maior exemplo de ser humano e jogador salgado!

Eduardo
Eduardo
17 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Umas malas falando merdas , pqp
Djoko GOAT a algum tempo. Gilvan desinformado.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
17 dias atrás
Responder para  Eduardo

Gilvan é membro antigo do Blog e se contorce de raiva desde Wimbledon 2014 pelo menos. O fato é que não está nem aí pra conversa de vacina; o importante é encontrar uma forma de detonar o GOAT incontestável Djokovic.

Carlos
Carlos
17 dias atrás
Responder para  Gilvan

Um ser humano execrável? Sou a favor da vacinação (o que para mim deveria ser uma obviedade)… Só acho incompreensível e sem sentido transformar um tenista num porta voz de seja lá quem for na política. Até pelo simples fato dele não ser político e não ter feito política ou levantado “bandeiras e movimentos” nesse sentido. Escolhas ruins e boas todos pode ter. Agora afirmar que o Djokovic é um “ser humano execrável”? Acho que você está misturando bastante as coisas… E acaba caindo numa vala comum, talvez a mesma daquela que você tanto queira manter distância: a do ódio gratuito.
Mais leveza, amigo. Estamos falando de esporte, tênis, FairPlay e coisas afins. Vc está confundindo os sinais.

Gilvan
Gilvan
17 dias atrás
Responder para  Carlos

Temas leves merecem ser encarados de forma leve, temas sérios de forma sério. Só quem perdeu familiares sabe.
Quando falamos em “redenção” de Djokovic é inevitável pensar na verdadeira redenção que ele poderia buscar.
Fico imaginando se não temos membros aqui no fórum que não deixaram de se vacinar ou de vacinar seus filhos por influência do sérvio e tantos outros.
E, lógico, uma coisa puxa a outra. Começa deixando de vacinar pra covid, depois entra nas outras vacinas regulares e por aí vai. As teorias da conspiração não tem limites. Quem pagam são os pequenos, infelizmente.

Samuel
Samuel
16 dias atrás
Responder para  Gilvan

Nossa cada comentário sofrível nesse site ,,,

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
17 dias atrás

Pelo que eu saiba o Djokovic nunca fez movimento para que as pessoas não tomassem vacina contra a covid-19. Durante a pandemia ficou provado que o coronavírus não oferece perigo para as pessoas que são saudáveis e tem boa imunidade. Então, como o Djokovic sempre se cuidou e confia na resistência do seu corpo, ele decidiu não tomar uma vacina que não foi suficientemente testada. Eu, particularmente, acho que a grande responsável pelo encerramento da pandemia foi a vacina, mas eu respeito aquele que confiou na sua imunidade e decidiu não se vacinar.

Osvaldo
Osvaldo
17 dias atrás

infelizmente não, a carreira dele em alto nível já encerrou

Diogo Menezes
Diogo Menezes
17 dias atrás
Responder para  Osvaldo

Oswaldo, acho muito válido que o senhor continue falando que a carreira do Djoko já era, pois repetindo e escrevendo todo dia aqui vai ajudar a fixar essa ideia em sua mente.

O problema é que sua afirmação é descolada da realidade, mas aí é outra história.

É melhor você continuar afirmando todo dia que o fato do Sinner ter atropelado o sérvio foi o suficiente pra enterrar a carreira do cara. Te fará melhor assim.

Lee
Lee
17 dias atrás

Djokovic não se entrega fácil não, essa derrota para Sinner vai fazer ele vir com mais vontade aínda de vencer os próximos torneios mas é claro que a idade pesa muito e ele vai ter que deixar de disputar vários torneios e os que ele disputar com certeza será um dos favoritos ao título.

Diogo Menezes
Diogo Menezes
16 dias atrás
Responder para  Lee

Sim, nem torneio nível 500 ele tá jogando mais. E se chegar a semi ou final em Indian Wells é capaz de pular Miami ainda. Não tá errado não

Claudio Pereira
Claudio Pereira
16 dias atrás

Acho que existem outros conteúdos jornalísticos, para se comentar sobre saúde ou política. Este aqui é esportivo. E a questão é: a derrota fará Nole regredir ou progredir em suas conquistas? É disso que trata a matéria.
Não me vacinei por não confiar nessa vacina. Aliás, acho que nem a Pfizer(fabricante) confiava. Era tudo muito confuso na pandemia. E isso não tem nada a ver com política.
Por isso sou uma pessoa execrável?
Por isso sou um ser humano da pior espécie?

Gilvan
Gilvan
16 dias atrás
Responder para  Claudio Pereira

Vamos lá: já se passaram 4 anos desde que as vacinas (bom ressaltar aS vacinaS) foram lançadas e aplicadas com sucesso. Todas elas já utilizavam tecnologias previamente usadas em outros vírus respiratórios e, com o dinheiro que foi investido à época, não foi à toa que elas foram produzidas em tempo recorde. E lá se vão 4 longos anos.
E é preciso ressaltar que estamos falando das vacinas, diferentes tipos, feitas com base em diferentes técnicas: vacina de vírus inativado, vacina de vetor viral, vacina baseada em proteínas etc. E só no Programa Nacional temos 3 delas à disposição. Ou seja, está ao gosto do freguês e só não se vacina quem não quer (ainda mais em pleno 2024).
Quanto a ser uma pessoa execrável, lhe pergunto: você organizou um torneio de tênis no auge da pandemia, que ajudou a alastrar o patógeno pelo seu país? Você tentou entrar com documentos falsos de um laboratório para disputar um torneio na Austrália? Você é o principal embaixador do tênis mundial e suas falas interferem sobre decisões e as vidas das pessoas? Você se colocou como porta-bandeira de um movimento anti-ciencia e anti-vacina, com direito a passeatas em paises estrangeiros? Você faz propaganda de “curas alternativas” e soluções “naturebas”, para se opor aos fármacos tradicionais e ganha dinheiro com isso? Se as respostas acima forem todas negativas, pode ficar tranquilo, que você não está na mesma categoria de um certo sérvio. Apenas foi enganado por pessoas mal intencionadas.

Vera Lucia
Vera Lucia
15 dias atrás

Mau exemplo fora das quadras. Ser contra vacinas é uma delas. Opiniões desastrosas de seu pai demonstram posicionamentos anti desportivos.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE