PLACAR

Brasileiros tentam vaga na final do Sul-Americano de 14 nesta 6ª

Equipe masculina do Brasil conta com Thiago Santana, Henrique Vialle e Livas Damazio (Foto: Divulgação)

Tarija (Bolívia) – A sexta-feira será decisiva para a equipe masculina do Brasil no Campeonato Sul-Americano de 14 anos, em Tarija, na Bolívia. Os meninos enfrentam a Colômbia, a partir das 10h, em confronto válido pela última rodada classificatória, de olho na vaga para final da competição e para o Mundial da categoria, que acontece em agosto. Para garantir a classificação, os meninos precisam vencer apenas um dos três jogos do confronto.

A equipe formada por Livas Damazio, Henrique Vialle e Thiago Santana é comandada por Ivan Cressoni e lidera o Grupo A da competição, com vitórias por 3 a 0 sobre Argentina, Venezuela e Bolívia nas rodadas iniciais. Nesta quinta-feira, os meninos folgaram na rodada.

Equipe feminina é superada pela Argentina

Já a equipe feminina não tem mais chances de avançar à fase decisiva do Sul-Americano. As brasileiras foram superadas nesta quinta-feira pela Argentina por 2 a 1 e estão em quarto lugar do Grupo B. Na sexta, enfrentam o Paraguai apenas para definir a posição no Grupo.

O Brasil saiu em desvantagem contra a Argentina após a derrota de Larissa Silenci para Isabel Arabarco por 6/1 e 6/2. No jogo seguinte, Maria Eduarda Carbone igualou a série ao vencer Ambar Corbalan por duplo 6/0. Mas nas duplas, Arabarco e Corbalan venceram Duda e Nathalia Tourinho 6/4 e 7/6 (10-8)

O técnico Flávio Rosa fez um balanço sobre a campanha da equipe feminina na competição: “No geral, a nossa equipe demorou muito para se adaptar à altitude e entender como conseguir jogar nessa situação. Estreamos contra a Bolívia, donas da casa, que estão bem habituadas as condições e foram superiores. Isso nos colocou numa posição de estar sempre correndo atrás no grupo. Se a gente tivesse vencido todos os confrontos até aqui, estaríamos na briga para ir ao Mundial”.

“Hoje contra a Argentina foi um jogo muito pegado, com muita energia, mas no final as argentinas jogaram com mais intenção e mereceram a vitória. Foi uma pena, porque a nossa equipe é muito boa, com jogadoras que tiveram bons resultados no início da gira, mas que não conseguiram desempenhar aqui da mesma forma”, completou o treinador.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE