PLACAR

Brasileiras se despedem nas quartas em Buenos Aires

Gabriela Cé e Rebeca Pereira (Foto: Cristiano Andujar)

Buenos Aires (Argentina) – As três brasileiras que atuaram nesta sexta-feira pelo ITF W35 de Buenos Aires se despediram do torneio em quadras de saibro na capital argentina. A gaúcha Gabriela Cé e a paulista Carol Meligeni caíram nas quartas de final em simples. Já nas duplas, Cé e Rebeca Pereira pararam na semi.

Carol Meligeni, de 27 anos e 303ª do ranking, era a quarta cabeça de chave em Buenos Aires e foi superada pela francesa Alice Rame, 531ª colocada, que marcou as parciais de 6/4 e 7/5.

Já Gabriela Cé, de 30 anos e 385ª do ranking, caiu diante da suíça Ylena In-Albon, cabeça 2 do evento e 257ª do mundo, por 6/4 e 6/2. A canhota gaúcha voltou à quadra para a semifinal de duplas, ao lado da fluminense Rebeca Pereira, mas elas foram superadas pela peruana Romina Ccuno e a russa Daria Lodikova por duplo 6/3.

As campanhas até as quartas em Buenos Aires rendem 8 pontos no ranking da WTA para as duas brasileiras. Já a semifinal de duplas rende 14 pontos. Rebeca Pereira é a 335ª no ranking de duplas, Cé está no 688º lugar na modalidade.

4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Luiz
Luiz
1 mês atrás

Carolina Alves e Cé em triste fim de carreira
No aspecto financeiro pior ainda
Fazer r1 ou r2 nesses ITFs é sinal de bankruptcy iminente

Sergio
Sergio
1 mês atrás

Como eu disse no comentário de ontem, elas estão no nível delas W25. Onde conseguem umas vitórias e, muito, eventualmente um título. Com mais chance se for na América do Sul. É isso……. Não adianta querer se iludir. A Bia está sozinha, em outro patamar.

Bukele
Bukele
1 mês atrás

Tênis feminino brasileiro é muito fraco ainda, quase uma nulidade inexistente. A Bia e a Stefani só tem esse patamar por terem treinado nos EUA, a Pigossi é apenas esforçada tipo a Teliana Pereira foi, e o resto é um monte de nulidades. Teria que mudar radicalmente o nível de treinamento e a estrutura da CBT pra ter alguma chance de criar uma escola como a tcheca, a russa ou a ucraniana que formam um monte de tenistas de alto nível no feminino.

Jorge Luiz
30 dias atrás
Responder para  Bukele

Teliana foi 40 e pouco no ranking, não dá pra comparar com a Pigossi

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE