PLACAR

Brasil terá calendário robusto de torneios em 2024

Foto: Luiz Candido/CBT

Florianópolis (SC) – O ano de 2023 está chegando ao fim, mas a temporada 2024 promete ser repleta de tênis no Brasil. De acordo com a Confederação Brasileira de Tênis (CBT), estão previstos de 40 a 50 torneios distribuídos pelas cinco regiões do país. Números que confirmam um dos maiores calendários da história, em termos de premiação.

A maioria dos torneios fazem parte do Circuito BRB e ENGIE de Tênis Profissional. Entre os eventos internacionais, masculinos e femininos, realizados pela CBT e/ou organizados junto às promotoras, já estão confirmados cerca de sete a nove ATP Challenger, dois a quatro ITF W75, dez a 12 ITF M25 e outros dez a 12 ITF W15 ou W35.

Entre as competições nacionais, ainda serão realizados 12 torneios masculinos e femininos, com premiação de R$ 20 mil cada um. Ao todo, a CBT deverá distribuir de R$ 6,25 milhões a R$ 8,15 milhões em prêmios.

Para o presidente da CBT, Rafael Westrupp, o calendário robusto em 2024 é fruto do trabalho que a entidade já vem realizando. “Ter um calendário desse porte no Brasil mostra que estamos seguindo no rumo certo do desenvolvimento da nossa modalidade, ao mesmo tempo em que buscamos passos ainda maiores para o tênis nacional. Todo esse trabalho só é possível graças aos nossos patrocinadores, federações estaduais, equipe de colaboradores, e promotores de eventos, que acreditam e confiam no nosso trabalho”, disse.

14 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo A.
2 meses atrás

Eu parabenizo a gestão atual da CBT. Vem desenvolvendo um ótimo trabalho. O futuro é promissor.

Márcio
Márcio
2 meses atrás

Boa notícia, principalmente para os jovens tenistas!

Tobewild
Tobewild
2 meses atrás

É um início…

Antônio Vieira
Antônio Vieira
2 meses atrás

Quando a economia cresce o tênis acompanha.

Christiano
Christiano
2 meses atrás

Já vai ter um salto quantitativo e qualitativo em relação aos anos anteriores. Ano passado, houveram 4 torneios futures, sendo 3 M15 e 1 M25. Já nos Challengers, tivemos 4 CH75 e 1 CH100, totalizando 5 Challengers. Já no feminino, teremos uma evolução de 3 para 12 W15, 3 para 4 W75. Não basta ter torneios só no Brasil ao longo de 2024, mas também ter torneios na América do Sul com datas próximas ou sequenciais a esses torneios, para que seja financeiramente viável a logística e montagem do calendário jogando próximo de casa, ou até mesmo pegando ritmo e confiança antes de ir pra Europa/America do Norte. O Brasil fechou 2023 com 27 tenistas entre os 1000 do mundo na ATP, e com esses torneios esse número tende a aumentar. A disputa contra os Argentinos vai ser boa por pontos nesses torneios….

Maurício
Maurício
2 meses atrás

Quantos Challenger tivemos esse ano?
Piracicaba
Campinas
Curitiba
Brasília
Tivemos mais algum Dalcim?

José Nilton Dalcim
Admin
2 meses atrás
Responder para  Maurício

Florianópolis. Foram 5 no total.

Sidney
Sidney
2 meses atrás

Demorou demais, antes tarde…

Gusmão
Gusmão
2 meses atrás

Esperemos que CBT reaja e consiga até ampliar o número de Torneios ITF no Brasil. Os jovens Jogadores Brasileiros precisam desses torneios para a transição do amador para o profissional.
Que O Instituto Sports, Nélson Aerts e Danilo Marcelinho deem suporte.

Força Brasileiros.

Jorge Luiz
Jorge Luiz
2 meses atrás

Até que fim, agora o Gusmão vai ao delírio

Andy Schmid
Andy Schmid
2 meses atrás

ATP que é bom… niente.

Marcos Antonio Vargas Pereira
Marcos Antonio Vargas Pereira
1 mês atrás
Responder para  Andy Schmid

Já ouviste falar em Rio Open ?

Cacio Luiz Crozariolo
Cacio Luiz Crozariolo
2 meses atrás

O Gusmão pira

Luiz Correia
Luiz Correia
1 mês atrás

Boa notícia! É o caminho para popularizar mais o esporte no país

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE