PLACAR

Bia comemora vitória de virada e agradece à torcida

Foto: Juarez Santos

Miami (EUA) – Depois de vencer sua partida de estreia no WTA 1000 de Miami, Beatriz Haddad Maia destacou a capacidade de reação diante da francesa Diane Parry, 57ª do ranking e dona de um estilo de jogo incomum de enfrentar, com muitos slices e bolas curtas. Bia começou atrás no placar, perdeu o primeiro set, mas conseguiu a virada. Foi sua primeira vitória em três jogos contra a francesa. Os dois duelos anteriores foram em 2021.

“Sei que ela uma grande jogadora, que vem de bons resultados neste ano. Ela tem muitas qualidades e sabia que ela usaria muitos slices”, disse Bia na entrevista em quadra, após a vitória por 3/6, 6/1 e 6/4 em 2h20 de partida nesta quinta-feira. “Tentamos nos preparar da melhor maneira possível. Mas não queria pensar tanto nela e, sim, focar no que eu precisava fazer. E acho que a chave foi essa. Meu time estava me passando muitas energias positivas”.

“Já tinha perdido duas vezes para ela também. Tive um momento um pouco mais ansiosa, mas a gente tem que solucionar os problemas. Na metade do segundo set, eu comecei a me senti melhor. Estou muito feliz com minha luta interna e por ter a lucidez de conseguir mudar o que precisava durante o jogo”, acrescentou a número 1 do Brasil e 13ª do mundo.

Bastante habituada com jogos longos e definidos no terceiro set, Bia acredita que o tempo foi um aliado e que ela conseguiu boa adaptação às condições. O jogo chegou a ter uma breve paralisação por chuva no meio do segundo set, quando ela já tinha uma quebra acima, mas que a ajudou na correção de rumos. “O terceiro set é difícil para todo mundo e tentei encarar de forma positiva, pensando que o relógio é meu aliado, e não um inimigo. É quente e úmido para todo mundo. São coisas que eu não posso controlar. Sei que às vezes não é fácil para quem está torcendo para mim, sempre jogar três sets. Mas fico feliz de nunca ter desistido e sempre tentado o meu melhor. Então, às vezes eu tenho jogos longos por causa disso”, acrescenta a tenista, que terminou o jogo com 28 winners e 19 erros não-forçados.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

A paulistana de 27 anos também agradeceu à torcida brasileira, que tradicionalmente comparece ao torneio em Miami. “Muito obrigada a todos que vieram hoje. É muito especial estar em Miami de novo. Primeiras rodadas são sempre difíceis e ter essa torcida comigo é muito importante. Acho que é o torneio mais próximo do Brasil que eu jogo, então é especial sentir essa energia. Eu me sinto muito feliz e honrada por representar vocês em quadra e todas as mulheres brasileiras”.

Bia tem agora oito vitórias e oito derrotas na temporada, com destaque para a semifinal de Abu Dhabi em fevereiro. Ela já iguala a campanha do ano passado em Miami, voltando à terceira rodada. Sua próxima rival será a britânica Katie Boulter, 30ª do ranking, que ganhou da brasileira em San Diego há três semanas. Em entrevista à ESPN, a brasileira projetou o próximo confronto.

“É uma jogadora que eu enfrentei algumas semanas atrás e que está num momento bom, talvez o melhor da carreira dela. Eu a conheço desde muito jovem, temos a mesma idade. Diria que vou tentar entrar com a mesma mentalidade, de melhorar o meu tênis, de fazer boas escolhas e espero um jogo duro. Vou tentar melhorar o que eu puder e tirar alguns detalhes que hoje eu não consegui fazer tão bem no comecinho do jogo, para começar melhor da próxima vez”.

Leia mais:

Bia começa devagar, cresce e estreia com vitória de virada

11 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Rockton
Rockton
25 dias atrás

Tem de comemorar muito mesmo.
Pegou uma jogadora que não bate com a esquerda, só faz slice. Isso é terrível para a Bia, que só tem porada de forehand. Bia é alta e lenta, difícil de abaixar e sempre sofre com jogadora que tem variação de jogo.
Mas tá bom demais se ficar na segunda rodada. O jogo da Bia em torneios grandes em quadra dura acho que não avança além da terceira rodada.

Renato
Renato
25 dias atrás
Responder para  Rockton

Bom, vc pode estar de referindo ao momento atual, já que a Bia faturou título há menos de 4 meses. Mas é sua opinião, faz parte…só pra contrariar vou apostar de brincadeira que ela faz pelo menos semi em Miami

Rockton
Rockton
24 dias atrás
Responder para  Renato

Qual o título de de Master 1000 que a Bia ganhou há 4 meses?
Ganhou há quatro meses o WTA Elite Trophy, com istema de jogo totalmente diferente, Torneio mas caça níquel. Chega nem perto desse Master 1000 de Miami.

Paulo Mala
Paulo Mala
25 dias atrás
Responder para  Rockton

irmão… melhor coisa é pegar jogador destro com backhand slice para uma jogadora canhota como ela. É so ver o que o Nadal fazia com o backhand do Federer…

Rockton
Rockton
24 dias atrás
Responder para  Paulo Mala

Nadal gira a bola alta, Bia só bate reta. Nadal é rápido e abaixa , Bia é alta, lenta e pouco abaixa.
Veja aí o histórico da Bia com jogadoras com variação de jogo.

Paulo A.
25 dias atrás
Responder para  Rockton

Nada entendes de tênis. Isso fica evidente.

Rafa
Rafa
25 dias atrás
Responder para  Paulo A.

Vc que entende, né?

Roberto
Roberto
25 dias atrás

Ufa que sufoco, Bia precisa treinar os smaches, parece que errou todos ou jogou na mão da adversária, mas o que vale foi ter vencido.

Andre
Andre
25 dias atrás

Ótimo início sem dúvida, tirou um tremendo peso das costas, mas as subidas de rede e smash continua dando medo !!!

Sidney
Sidney
25 dias atrás

Perdeu pra boulder na primeira rodada em San Diego que foi campeã, agora é na segunda “terceira rodada” já ambientada, vamos torcer que o confronto desta vez de Bia.

Antônio Luiz Júnior
Antônio Luiz Júnior
24 dias atrás

Um jogo sem favoritismo, a fase atual e BIA requer muita calma nas análises. Retrospecto anterior mesmo desfavorável, ajuda no sentido de saber o que vai enfrentar. Ainda vejo o jogo de BIA muito previsível e ela tem grande dificuldade de movimentação. O saque quando funciona ajuda muito, mas, nem sempre o primeiro serviço de BIA gera controle e construção do ponto. Vamos torcer para estra num dia bom e principalmente que entrar em quadra muito mais ligada e principalmente bem mais agressiva do que jogou no primeiro set do jogo anterior.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE