PLACAR

Bia começa devagar, cresce e estreia com vitória de virada

Foto: Juarez Santos

Miami (EUA) – A estreia da paulista Beatriz Haddad Maia no WTA 1000 de Miami foi bem ao seu estilo, com uma partida longa e disputada até o final. Após sair perdendo da francesa Diane Parry, 54ª colocada no ranking da WTA, a número 1 do Brasil e 13 do mundo se recuperou e buscou a virada, fechando a partida com o placar final de 3/6, 6/1 e 6/4, em 2h20 de batalha.

Cabeça de chave 11, Bia já sabe quem será sua próxima adversária nas quadras do Hard Rock Stadium. Na terceira rodada ela enfrentará mais uma vez a britânica Katie Boulter, 24ª pré-classificada, que contou com a desistência da tcheca Brenda Fruhvirtova quando vencia com parciais de 7/6 (7-5) e 1/0. Elas se cruzaram semanas atrás em San Diego, onde a brasileira levou a pior e perdeu de virada.

Mais adaptada às condições locais depois de superar a romena Jaqueline Cristian na primeira rodada, Parry foi superior no primeiro set, tanto que venceu os dois primeiros games da partida. Bia até reagiu imediatamente e devolveu a quebra logo em seguida. Porém, a francesa foi mais precisa no decorrer da parcial, anotou o dobro de bolas vencedoras (12 a 6) e cometeu menos erros não forçados (6 a 8).

Parry voltou a liderar o placar com uma quebra no sexto game e desta vez não deu brechas para a canhota paulista, que venceu apenas três pontos nos três últimos games, vendo a atual 54 do mundo fazer 6/3 para largar na frente.

O começo do segundo set foi complicado para Bia, que logo no primeiro game teve que salvar dois break-points. Só que depois disso ela cresceu na partida e conseguiu uma quebra no quarto game, contando com uma ajuda da chuva, que paralisou o jogo brevemente quando Parry sacava em 0-30. A francesa perdeu o ponto seguinte, até salvou o primeiro break-point, mas não resistiu ao segundo.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Bia então foi ao saque para abrir 4/1, mas não chegou a fechar o game, uma vez que a chuva voltou a cair em Miami, desta vez um pouco mais duradoura. A brasileira tinha 40-0 no placar quando a partida foi novamente paralisada. Com uma intensidade maior do que da primeira vez, as jogadoras foram retiradas de quadra.

A espera durou apenas alguns minutos, as jogadoras voltaram logo em seguida para quadra e Bia levou um leve susto, perdeu dois pontos seguidos, mas venceu o terceiro e confirmou para abrir 4/1. Jogando cada vez melhor, a brasileira anotou ainda mais uma quebra e marcou 6/1 para empatar o jogo e levar a definição para o terceiro set.

Depois de um grande momento, vencendo cinco games seguidos para deixar tudo igual, Bia viu a rival francesa equilibrar o jogo de novo na última parcial e teve trabalho para confirmar a virada. Parry teve duas chances de quebra desperdiçadas no quarto game e no sétimo foi a vez dela ser ameaçada, perdendo o saque logo no primeiro break-point que enfrentou. A paulista então administrou a vantagem e selou a vitória.

45 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leonel
Leonel
3 meses atrás

A mesma Bia dos jogos de 3 sets. Tudo bem. Alguém vai pensar que importa é ter ganho a partida. Concordo porém sabemos que torneios 1000 e Grand Slam não dá pra ficar tantos jogos em 2 sets e tantas horas em quadra e ainda acreditar que pode chegar ao título morta/exausta.

Andrade
Andrade
3 meses atrás
Responder para  Leonel

Na atual fase da brasileira, essa vitória já foi surpreendente. Espero que eu esteja enganado, mas, na próxima rodada, ela será zebra contra a britânica.

Helton
Helton
3 meses atrás
Responder para  Leonel

Concordo contigo. O Zverev sofria muito com isso nos Grand Slams. No Roland Garros do ano passado, a Bia jogou contra a Iga tendo várias horas a mais de quadra, era como se ela tivesse jogado uma ou duas rodadas a mais.

MAURÍCIO BATAGIN
MAURÍCIO BATAGIN
3 meses atrás
Responder para  Leonel

Qual seria a diferença entre torneios Masters 1000 e Grand Slam para mulheres ?? são sempre melhor de 3 sets.. como nos WTA, ITFs, enfim… só tem uma vantagem e não desvantagem.. folga de um dia em relação aos outros torneios.. Ficaria mais exausta se fossem jogos diários. PAra os homens, sim. duríssimo, pois é melhor de 5…

Fernando romero
Fernando romero
3 meses atrás
Responder para  Leonel

Foi meio aos trancos e barrancos, mas valeu. Mas difícil mesmo pra nós aqui na torcida é aguentar as subidas dela a rede, a narração da moça da espn e os comentários do Silvio Bastos. Uma pergunta: no tenis é proibido falar dos defeitos e erros do(a) tenista? É um passar pano sem fim

Adalberto
Adalberto
3 meses atrás
Responder para  Fernando romero

Já observei isso também, mas como são ex-tenistas, geralmente foram de ranking baixo, pois os ex-campeões tem grana prá não precisar ralar, então eles se protegem…
O Guem confessou numa live que não aceita crítica aos jogadores de quem nunca chegou ao nível do aquele que está sendo criticado!
É isso!

Paulo Mala
Paulo Mala
3 meses atrás
Responder para  Adalberto

É engraçado o Ghem pensar assim. Usando essa lógica, ele não poderia dar pitacos sobre o que a Bia, Wild ou Monteiro fazer, já que ele teve uma carreira abaixo das deles.

Paulo Mala
Paulo Mala
3 meses atrás
Responder para  Fernando romero

Eu vejo isso também.
Não se pode criticar…
Sempre q criticam vem aquele papo chato de como é difícil ser tenista no Brasil, bla bla bla
Mas até entendo, é tão difícil termos bons tenistas em evidência, que ninguém de transmissão vai criticar.
Mas eu gostaria de transmissões mais neutras dos comentaristas e narradores

Thiago
Thiago
3 meses atrás
Responder para  Fernando romero

Eu quase sempre assisto no canal internacional, no Star+. Infinitamente melhor. Alguns narradores até gosto, mas a narração dessa moça é tenebrosa. E os comentaristas, em sua maioria, é isso mesmo que vc falou: só passam pano.

Rockton
Rockton
3 meses atrás
Responder para  Fernando romero

Se eles falarem a real, os jogadores vão ficar ofendidos e não vão dar entrevista e nem aparecer nos programas da ESPN. Por isso puxam o saco o tempo todo . Aí o Fino com um discurso bla bla bla politicamente correto para ficar bem na fita com os jogadores e manter a participação destes nas transmissões da ESPN.

Refaelov
Refaelov
3 meses atrás

Novamente a Bia merece todos os parabéns pela luta e pela força mental nos momentos de maior tensão com o próprio saque mas, novamente, não tem como não bater na tecla q não dá pra uma jogadora da envergadura dela ter um saque tão inofensivo.. eh o grande gargalo do jogo dela e mais uma vez hj comprometeu seu desempenho(felizmente, hj, não o resultado)..

O realista
O realista
3 meses atrás
Responder para  Refaelov

O saque da Parry com seus 1,7m achei bem melhor, principalmente quando ela estava na frente do placar.

Pedro
Pedro
3 meses atrás
Responder para  O realista

Verdade.

Edward
Edward
3 meses atrás
Responder para  O realista

Impressionante mesmo o saque da Parry.
Que pancada.

Guilherme ES Ribeiro
Guilherme ES Ribeiro
3 meses atrás

Bia dando os sustos de sempre recentemente, mas avançou. Bora buscar a revanche na terceira rodada contra a britânica Boulter

Paulo A.
Paulo A.
3 meses atrás
Responder para  Guilherme ES Ribeiro

Sim, sofreu mas venceu. É o que importa. Parece-me que os jogos dela sempre serão assim: difíceis e sofridos. O mental que a empurra também a sabota. Paciência…

Sadi
Sadi
3 meses atrás

Impressionante como ela não consegue se impor contra ninguém… não existe jogo de uma hora e meia pra Bia, pode enfrentar a 500 do mundo ou uma top 5 q será isso aí, pode ganhar d qualquer uma ou perder pra qualquer uma

Última edição 3 meses atrás by Sadi
Jorge Luiz
3 meses atrás

Parabéns Bia orgulho do Brasil

Rogério Maceió
Rogério Maceió
3 meses atrás

Muito bom Bia, dificuldades vão aparecer sempre, nem sempre vai na habilidade mas com garra e trabalho vc segue fazendo sua história…e vamos pra cima da Inglesa.

Paulo Mala
Paulo Mala
3 meses atrás

É ótimo voltar ao caminho das vitórias, mas ainda não dá para comemorar. Um jogador destro sem backhand como a Parry, dificilmente vai dar trabalho para um canhoto.

Casagrande
Casagrande
3 meses atrás

Brazilian Storm reloaded con Fonseca, Wild & Bia!

Everton
Everton
3 meses atrás

❤️

Luiz Fernandes
Luiz Fernandes
3 meses atrás

O jogo difícil, a Francesinha come pelas beiradas, devolve variando e espera o erro da adversária, começa a construir o ponto e só ataca na certeza. Porém a Bia entendeu e neutralizou isso com calma e eficiência, mas foi suado. Parabéns Bia!

NFdS
NFdS
3 meses atrás
Responder para  Luiz Fernandes

Isso aí, comentário de quem sabe olhar o jogo!

Adalberto
Adalberto
3 meses atrás

Ufffa!
Sai zica!
VQV Bia! Pois lá a Katie de novo! kk…

Antônio Luiz Júnior
Antônio Luiz Júnior
3 meses atrás

Como sempre, BIA começou o jogo muito passiva e muito devagar, perdeu o primeiro set jogando mal. Reagiu no segundo, com duas interrupções por causa da chuva, e no terceiro embora a francesa PARRY tenha melhorado, conseguiu se impor e após um quebra quando o jogo estava 4 x 4 – conseguiu fechar em 6 x 4 – vitória muito importante para reestabelecer a confiança. Não é possível que no próximo jogo contra a britânica (Katie Boulter) – (30ª do mundo) – vá entrar tão desligada. Precisa levar um choque de realidade. O circuito feminino está cada vez mais aberto…

Adalberto
Adalberto
3 meses atrás

Frustrou muitos apostadores, kkk…
VQVBia!

Wilton Bernardes
Wilton Bernardes
3 meses atrás
Responder para  Adalberto

jogando contra a 54? ta bebado irmao ? kkkkkk

MAURÍCIO BATAGIN
MAURÍCIO BATAGIN
3 meses atrás

PARABÉNS, BIA.. Só quem joga um pouquinho de Tênis, pra saber o quão difícil para uma Latina estar ali entre as GRANDES.. Se sofre ou não para ganhar, dane-se… Você mostra que tem muita resiliência.. Pra cima, querida. Você é guerreira. Seu fã,,

NFdS
NFdS
3 meses atrás

Vamos que vamos, Bião!
Já deves saber como ganhar da inglesa também.

Última edição 3 meses atrás by NFdS
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
3 meses atrás

Em Indian Wells a Diane Parry ganhou da Martina Trevisan, da Leylah Fernandez, da Anna Blinkova (que tinha ganho da Pegula) e perdeu nas oitavas de final para a Sakkari, que foi finalista do torneio. Então, a Parry está em boa fase. Obviamente que o melhor é ganhar em dois sets, mas a Bia se esforçou pra superar as dificuldades, cresceu no jogo, passou bem pelos momentos de pressão no final, e saiu com a vitória. Imagino que ela e sua equipe estão atentas aos detalhes e buscando corrigir os problemas. Vamos ver o que acontece. Bora encarar a Boulter, mas antes acho que tem a estréia nas duplas.

Refaelov
Refaelov
3 meses atrás

Cara eu sinceramente tenho a percepção justamente do oposto: a equipe dela simplesmente parece ignorar os gargalos no jogo dela, n vejo qlqr indício de trabalho para, por exemplo, evoluir esse saque dela..

A questão n é ter perdido um set, a questão é ter perdido um set pq teve um aproveitamento de pontos de <60% com os 1°s serviços q colocou em quadra.. seria um n° pífio até pra Parry com 1,70, imagina então pra Bia com 1,85..

TorcedorBr
TorcedorBr
3 meses atrás
Responder para  Refaelov

Realmente, concordo contigo. Você não consegue ver evolução de um torneio pro outro. Sempre os mesmos defeitos.

Edinho Godoy
Edinho Godoy
3 meses atrás
Responder para  Refaelov

É mesmo? Tu consegue me colocar pra dentro dos treinos dela? Porque pelo que parece tu assiste todos…

Sidney
Sidney
3 meses atrás

Com essa torcida pode ir longe.

O realista
O realista
3 meses atrás

Infelizmente, a Bia só funciona sem pressão. Devido a fase, hoje ela não era favorita.

André Aguiar
André Aguiar
3 meses atrás
Responder para  O realista

Ótimo…tomara que a Bia confirme a sua visão realista nas próximas cinco rodadas, em que, devido à fase, ela não será favorita, portanto jogará sem pressão e portanto continuará funcionando.
Se ela for campeã, você dirá que tinha cantado a pedra desde o início e eu te aplaudirei com entusiasmo.

Evandro
Evandro
3 meses atrás
Responder para  André Aguiar

Boa André, tem que ser com sarcasmo, mesmo. As “análises ” são um poço de paradoxo. Como a top 15 vira zebra assim, do nada, contra as que estão bem abaixo não se sabe. Espero que, uma vez campeã (como já tem sido, aliás), ela continue a ser zebra contra todas… cada uma

Matheus Ferreira
Matheus Ferreira
3 meses atrás

Parabéns Bia,boa vitória!!!

Scott
Scott
3 meses atrás

A “estreia acessível” quase vira um pesadelo. Mas vamos em frente, o importante é que venceu.

Evandro
Evandro
3 meses atrás
Responder para  Scott

Não há “estreia acessível ” nesse nível. Quem contou essa mentira?

Fernando Venezian
Fernando Venezian
3 meses atrás

Aí simmmmm! Xô zica!!!!

TorcedorBr
TorcedorBr
3 meses atrás

Se alguém for dizer, que são os mesmos erros de sempre. Que não há evolução no trabalho, vai ser taxado de hater. Tá aí pra qualquer um ver.

Marco Antônio Varella
Marco Antônio Varella
3 meses atrás

Ok, venceu, mas novamente com quase 3 horas em quadra. Felizmente Miami permite um descanso maior.

JBG
JBG
3 meses atrás

Parabéns Haddad Maia. Mas tem que treinar melhor precisão e força no spin primeiro saque, tanto quando sacou com esses slice e topspin, Diane devolveu na rede no final. Aquele smash tinha que ser na cruzada esquerda e não em cima da Diane na direita, resultado defendeu bem com slice e mandou uma passada, quase mata a gente do coração e o set, cabeça da raquete e smash firme no centro ou cruzada inversa do adversário. Ou faz igual Alcaraz só um toquinho com spin angulada, adversário não fecha lá há tempo fácil de jeito nenhum. Mas valeu! Igual Doctor Jekyll and Mr Hyde, outra Bia apareceu com raiva e garra e ganhou. Agora é rever último jogo contra Katie e corrigir algumas coisas, porque pelo que percebi ela gosta de jogar bonito e muito na tática calma e bolas habilidosas com Winners que mexem bem com mental e humor das adversárias. Mas acredito na outra Bia da garra de hoje. Vamos!

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon

PUBLICIDADE