PLACAR

Bia celebra ‘dever cumprido’, capitã vê time maduro

Foto: Gabriel Heusi/CBT

por Mário Sérgio Cruz, de Brasília

Após a vitória no confronto dos playoffs da Billie Jean King Cup, o sentimento é de dever cumprido para a equipe brasileira, especialmente para Beatriz Haddad Maia, que atuou em duas das quatro partidas contra a Coreia do Sul neste fim de semana em Brasília. Bia disputou neste sábado, contra Sohyun Park, seu último jogo na temporada do circuito e novamente confirmou o favoritismo, sentindo também uma melhora em comparação com a partida contra Yeonwoo Ku no dia anterior.

“Estou muito feliz por ter conseguido evoluir em quadra e também por sair com dever cumprido”, disse Bia, após a vitória por 6/2 e 6/1 neste sábado em Brasília. “O nervosismo foi muito parecido com o do primeiro jogo. O que mudou foi que tratei melhor as emoções e joguei mais solta. De qualquer forma, o frio na barriga mostra que eu me importo com o momento, já que ele é o mesmo de quando eu jogava pelo meu clube e pela minha cidade e ainda fico assim num Grand Slam ou quando defendo o meu país”.

Capitã da equipe brasileira, Roberta Burzagli destacou a maturidade da equipe, que além de Bia também teve Laura Pigossi, Carol Meligeni, Ingrid Martins e Luísa Stefani. É o terceiro confronto seguido que essas cinco jogadoras são convocadas. “Havia, sim, um favoritismo da nossa equipe pelo ranking e pelas conquistas individuais que todas elas tiveram, mas a partir do momento que a gente entra na quadra, o placar tá 0 a 0. Então você tem que estar focada o tempo inteiro”.

“Acho que equipe em si cresceu muito, cada uma cresceu individualmente e como equipe. Há cinco anos, a gente estava jogando Zonal aqui na América do Sul, o ranking delas não era tão bom e elas eram muito novas, não tinham passado por todas essas experiências. Além delas terem crescido individualmente, a nossa comissão técnica é a mesma, nunca foi mudada. Então, a gente tem uma confiança maior e isso influencia bastante”, acrescentou a experiente treinadora.

Ingrid fez sua estreia pela competição
O confronto também foi especial para Ingrid Martins, que debutou na competição aos 26 anos, jogando duplas com Luísa Stefani. As brasileiras venceram Dayeon Back e Bo-Young Jeong por 6/1 e 6/2, completando os 4 a 0 no confronto. “Eu estava muito feliz em quadra. Antes da partida eu só pensava em desfrutar o momento e deu tudo certo. É ótimo poder estar nesse time, ainda mais com uma atmosfera incrível em Brasília”.

Já Stefani destacou a oportunidade de jogar no Brasil e agradeceu aos torcedores que ficaram para o jogo de duplas, mesmo com o confronto já definido. “Foi ótimo jogar com uma torcida tão calorosa e espero que tenhamos mais experiências como as que tivemos aqui. Estou finalizando a temporada e não poderia ter acontecido de forma melhor”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE