PLACAR

Baran e Marchezini são ouro no Sul-americano de Praia

Foto: William Lucas/COB

Santa Marta, (Colômbia) – O catarinense André Baran, número 1 do Brasil e terceiro do ranking mundial, e a paranaense Vitória Marchezini, 8ª no ranking, conquistaram, nesta segunda-feira, a primeira medalha de ouro do beach tennis do Brasil nos Jogos Sul-Americanos de Praia, que estão sendo realizados em Santa Marta, na Colômbia. Eles venceram a competição de duplas mistas ao bater na final a parceria venezuelana Nacho Guedez e Lady Corrêa, por 6/3 e 6/1.

Baran tem a chance de conquistar mais um ouro nesta terça-feira, na decisão da chave masculina, ao lado de Allan Oliveira. A dupla feminina do Brasil, Marchezini e Sophia Chow (#6), também está na final.

“Hoje, eu e a Vitória fomos bem e conseguimos garantir o ouro brasileiro. Para amanhã, estou motivado para buscar mais uma medalha dourada, agora ao lado do Allan. Contamos com toda a energia positiva da nossa torcida, que poderá acompanhar a decisão, ao vivo, pelo Canal Olímpico”, lembrou Baran.

Na semifinal masculina, nesta segunda-feira, Baran e Allan Oliveira (#10) derrotaram a dupla cabeça de chave 3 dos chilenos Alexander Beller e Vicente Brusadelli por duplo 6/0 e enfrentam, na decisão, os cabeças de chave 2, os venezuelanos Ramon Guedez e Carlos Vigon. Na chave feminina, Marchezini e Sophia Chow superaram a parceria de Aruba, Maria Buuts e Eugemine Ignacio, por 6/0 e 6/1 e decidem o título diante das venezuelanas Gabriela Anzola e Andrea Colavita.

É a primeira vez que o beach tennis está sendo transmitido pelo Canal Olímpico do Brasil. O público poderá acompanhar os jogos ao vivo nesta terça-feira pelo canal do YouTube do Time Brasil ou pelo Canal Olímpico do Brasil – www.canalolimpicodobrasil.com.br.

Onze países disputam os Jogos Sul-Americanos de Praia. Além do Brasil, Argentina, Aruba, Bolívia, Chile, Colômbia, Curaçao, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela participam do torneio em Santa Marta, com total de 58 atletas.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE