PLACAR

Azarenka: “O mais difícil é me adaptar à altitude”

Foto: Guadalajara Open AKRON

Guadalajara (México) – Depois de vencer duas partidas no WTA 1000 de Guadalajara e se classificar para as oitavas de final do torneio, a bielorrussa Victoria Azarenka falou um pouco sobre as condições do evento e as maiores dificuldades que tem enfrentado. Para a ex-número 1 do mundo, o mais complicado é conseguir se adaptar à altitude.

“O clima é duro, mas o mais difícil para mim é a altitude, adaptar-me a ela. É um desafio muito difícil, a bola voa muito, então você perde um pouco do controle que normalmente tem. Mas as condições são iguais para todas, você tem que fazer o melhor que puder”, afirmou a cabeça de chave número 10, que ainda não perdeu set na competição.

“A questão é encontrar uma forma de vencer, de conquistar vitórias mesmo sem estar jogando o seu melhor tênis. Essas são as mais importantes”, acrescentou Azarenka, que terá um grande teste pela frente contra a russa Veronika Kudermetova. Será a terceira vez que elas se enfrentam e a bielorrussa tentará bater a rival pela primeira vez.

Vika ocupa atualmente a 23ª colocação no ranking e com a campanha nesta semana em Guadalajara está subindo para o 19º lugar. Se bater Kudermetova, ela ultrapassará a russa na WTA e também a brasileira Beatriz Haddad Maia, alcançando a 17ª posição. A bielorrussa pode chegar até o 13º posto caso conquiste o título do torneio.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE