PLACAR

Após derrota doída, Alcaraz que dar volta por cima

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Turim (Itália) – Apesar de ter terminado a temporada passada na liderança do ranking, o espanhol Carlos Alcaraz acabou ficando de fora do ATP Finals e por isso faz em 2023 sua estreia na competição. Vindo de um segundo semestre abaixo do que apresentou até a conquista de Wimbledon, o jovem de apenas 20 anos acredita que possa dar a volta por cima e lutar pelo título em Turim.

“Espero ser o Carlos do início deste ano, apesar dos resultados que tive nos últimos torneios. A derrota em Paris, que foi bastante dolorosa, me fez perceber que preciso trabalhar mais”, disse o espanhol sobre a partida que perdeu no Masters 1000 contra o russo Roman Safiullin.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

“Você sempre tem que procurar o lado positivo das coisas. Tive vários dias de treino para chegar aqui em ótima forma. Trabalhei muito, tanto no preparo físico quanto no tênis. Eu me sinto muito bem”, acrescentou Alcaraz, que antes de cair na estreia em Paris, não pôde jogar na Basileia por causa de uma inflamação na sola do pé esquerdo e problemas nos glúteos.

O jovem espanhol contou que precisou lidar com uma sensação pouco conhecida até então: a ressaca de uma derrota. “Foi uma das minhas poucas derrotas que durou vários dias. Quase não tive vontade de fazer nada por alguns dias, mas agora estamos aqui, em um dos maiores torneios do tênis. Minha equipe e eu começamos a trabalhar para garantir que chegaria 100% a Turim”, falou Alcaraz.

Depois dos contratempos físicos, ele diz estar bem para seu último compromisso no ano. “Como demonstrei, sofri alguns golpes, sobretudo na segunda parte do ano, que foi muito exigente. Tentamos curá-los com cuidado. Cheguei aqui em muito boas condições físicas, melhor do que eu esperava. Vamos tentar usar isso a nosso favor e fazer o melhor possível”, afirmou o número 2 do mundo.

A derrota precoce no Palácio de Bercy e depois o título do sérvio Novak Djokovic praticamente enterraram sua chance de terminar o ano na liderança do ranking. “Sempre disse que a luta para terminar o ano como número 1 era o meu principal objetivo. No momento, está praticamente perdido, então é algo que tentarei usar a meu favor”, falou Alcaraz, agora focado apenas nos resultados de quadra.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE