PLACAR

Apesar do vice-campeonato, Jarry sai motivado com boa campanha

Foto: Giorgio Maiozzi/FITP

Roma (Itália) – Apesar da derrota sofrida na final deste domingo, ficando com o vice-campeonato do Masters 1000 de Roma ao ser superado pelo alemão Alexander Zverev com parciais de 6/4 e 7/5, o chileno Nicolas Jarry saiu satisfeito com sua campanha no torneio e espera manter o embalo na disputa de Roland Garros, que começa em uma semana.

“Como me sinto agora? Com ​​muita vontade de ir a Roland Garros e jogar melhor porque sei que posso fazer isso. Estou muito motivado, isso é certo, tanto física como mentalmente. Afinal foi uma partida boa e equilibrada, não tenho do que reclamar. Tentarei apenas fazer melhor da próxima vez”, afirmou Jarry, que subirá da 27ª para a 17ª colocação no próximo ranking, batendo seu recorde pessoal.

“Foi uma excelente semana, ganhei muita confiança jogo após jogo e é com este sentimento que deixo Roma”, acrescentou o tenista de 28 anos, que disputou pela primeira vez uma final de Masters 1000 e destacou a importância da família ao seu lado. “Trabalhei tanto nas últimas semanas e não teria conseguido se eles não estivessem comigo”, falou o chileno.

Para o vice-campeão de Roma, o grande desempenho de Zverev com o saque, terminando com 90% de aproveitamento, fez a diferença na decisão. “Sascha teve uma porcentagem de primeiros saques muito alta, não sei dizer exatamente quanto, mas certamente muito altos porque senti que não tive muitas chances”, observou Jarry.

“Além disso, ele saca de forma diferente dos outros jogadores, joga a bola muito alto e salta também muito alto. Não é fácil ler a trajetória. Precisei de mais tempo para entender, mas assim que conseguia entrar no ponto, senti que estava bem sólido e estável. Tentei aguentar o jogo porque sabia que se pudesse esticar um pouco mais teria mais chances”, acrescentou o chileno.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE