PLACAR

Alcaraz: “Tenho que evoluir muito para chegar no Big 3”

Foto: IEB+ Argentina Open

Buenos Aires (Argentina) – Atual campeão do ATP 250 de Buenos Aires, o espanhol Carlos Alcaraz iniciou com vitória a defesa do título, batendo na última quinta-feira o tenista da casa Camilo Carabelli em sets diretos. Depois de sua primeira vitória na competição, o atual número 2 do mundo analisou seu desempenho, falou sobre seu próximo rival, o italiano Andrea Vavassori, e comentou outros assuntos.

“Foi um jogo difícil, obviamente, me senti bem, mas havia nervosismo ao entrar na partida, como em qualquer primeira fase em um torneio. No final, as primeiras rodadas são sempre difíceis. É duro voltar ao ritmo da competição no saibro, que é diferente. É a minha primeira partida no saibro depois de Roland Garros, acho que fiz um grande jogo, com muito ritmo e bom nível”, afirmou Alcaraz.

O espanhol reconheceu que precisa melhorar para sua próxima partida, em que terá pela frente o italiano Andrea Vavassori. “Eu o conheço, o vi jogar muito. Antes era mais um jogador de duplas, mas agora vem se firmando cada vez mais nas simples, jogando um ótimo tênis, conseguindo ótimos resultados. Há muitas coisas para melhorar em relação ao jogo de hoje e esperamos fazê-lo amanhã”.

Para o atual número 2 do mundo, a distância entre ele e Carabelli (134º do mundo) não é tão grande quanto o ranking indica. “São pequenos detalhes que diferenciam os jogadores que estão no topo dos demais. No nível de tênis não há muita diferença, são pequenos detalhes. Cada partida é um mundo, tudo pode acontecer. Você nunca deve considerar nada garantido antes do tempo”, comentou.

Questionado sobre em qual nível se encontra, Alcaraz disse que não se vê no mesmo patamar do sérvio Novak Djokovic, do compatriota Rafael Nadal e do suíço Roger Federer. “Não me considero um craque, considero-me um jogador muito bom, que sabe lidar com determinados momentos”, analisou o jovem espanhol.

“Mesmo tendo apenas 20 anos, já passei por situações que me ajudaram muito a enfrentar determinados jogos, já tenho alguma experiência, mas não me considero um craque. Considero craques caras como Federer, Rafa, Djokovic e alguns outros. Para se chamar de craque é preciso ser muito bom em tudo e tenho muito a melhorar”, finalizou Alcaraz.

8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Balbino Neto
Balbino Neto
1 mês atrás

Se olharmos bem de perto as últimas apresentações do Alcaraz, podemos dizer que o seu início, quando chegou rapidamente a número 1, percorreu numa pavimentação bem limpa. O circuito muda de um dia para o outro, nem sempre as coisas se repetem como muitos tentam e querem. Algumas práticas muitas vezes atrapalham e os que amassam barro podem surpreender.

Balbino Neto
Balbino Neto
1 mês atrás

São demasiadas as publicações do Alcaraz falando de big 3 é de Novak Djokovic. É de talento indiscutível mas é muito novo para estar se cobrando tanto o que vira uma obsessão nada produtiva. Esperamos que o espanhol foque mais no dia a dia e que não seja cobrado demasiadamente pelos que o cerca.

Luis Vanderley Santana
Luis Vanderley Santana
1 mês atrás
Responder para  Balbino Neto

Verdade,deveria deixar de comentar sobre big 3,e principalmente sobre djokovic

Kiko
Kiko
1 mês atrás

Ainda tão novo.
Com 20 anos já chegou ao alge.
Comparar um jovem com seus ídolos pode gerar uma desilusão, apesar de já ter conquistado muito pra idade.
O big 3 tem 20 Slams +. Para Alcaraz entrar nesta disputa tem que passar as conquistas de Rod Laver, Sampras, Lendl, Connors, Borg e tantos outros.

Nei Costa
Nei Costa
1 mês atrás

Alcaraz, quando ganhou wimbledon, não contava que dali pra frente seria tão difícil como está sendo. De lá pra cá Djokovic ampliou todos os seus grande recordes, slams, semanas, masters, finals e campeonato de temporada. Pra quem vive dizendo que quer superar esses recordes seria ideal não deixa-los crescerem, mas nem isso o pequeno espanhol está sendo capaz de fazer

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Nei Costa

Bobagem sem tamanho. Brigou pelo N 1 até o FINALS e fez Semi . Chegou as Quartas no AOPEN e Djokovic Semi , sem este obter um ÚNICO break-point em 4 Sets contra JANNIK SINNER. No momento está apenas 420 pontos do Sérvio no Ranking. Quem tem que se preocupar com os garotos é Djokovic, meu caro. Abs!

trackback

[…] Alcaraz: “Tenho que evoluir muito para chegar no Big 3” […]

Marcos Souza
Marcos Souza
1 mês atrás

Que moleque chato!

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE