PLACAR

Alcaraz supera momentos de oscilação e vence a 50ª no ano

Cincinnati (EUA) – O número 1 do mundo Carlos Alcaraz passou por momentos de oscilação em sua partida de estreia no Masters 1000 de Cincinnati, mas sobreviveu ao dia de altos e baixos para chegar às oitavas de final do torneio. O espanhol superou o australiano Jordan Thompson, 55º do rnaking, por 7/5, 4/6 e 6/3 em 3h de partida.

Esta foi a vitória de número 50 na temporada para Alcaraz, que já conquistou seis títulos em 2023, com evidente destaque para seu segundo Grand Slam na grama de Wimbledon. O jovem jogador de apenas 20 anos só perdeu cinco partidas na atual temporada do circuito.

O adversário de Alcaraz nas oitavas pode ser o norte-americano Tommy Paul, que foi seu algoz na semana passada em Toronto, ou o francês Ugo Humbert. O espanhol tem uma vitória e duas derrotas contra Paul, 13º do mundo, e ainda não enfrentou o canhoto Humbert, 33º colocado.

Nesta semana, Alcaraz disputa a liderança do ranking com Novak Djokovic. O sérvio pode reassumir o número 1 se for campeão e o espanhol não for finalista. Ou ainda com o vice, caso o rival não passe das quartas.

Alcaraz começou a partida mantendo seus serviços, mas sem aproveitar suas várias chances de quebra, com direito a quatro break-points perdidos no mesmo game. Já o australiano conseguiu uma quebra para fazer 4/2, mas perdeu o saque logo depois, em um game muito longo. Mesmo com 26 erros não-forçados no primeiro set, o número 1 do mundo mantinha uma atitude bastante positiva em quadra e seguiu fiel ao plano de jogo agressivo para voltar a quebrar e vencer a parcial.

As oscilações de Alcaraz continuaram no segundo set. Desta vez, ele não conseguia ameaçar mais o serviço de Thompson e enfrentava games longos no saque. O australiano conseguiu a quebra para fazer 5/2 e esteve o tempo todo à frente no placar. Ainda que ele tenha perdido a chance de fechar a parcial em seu serviço, ele contou com seu bom jogo de rede para quebrar o saque do espanhol de novo e empatar a partida.

Mas a reação de Thompson no jogo parou por aí. Logo no game de abertura do terceiro set, Alcaraz conseguiu uma quebra, contando com dois erros não-forçados de forehand do australiano. Dessa forma, ele abriu 2/0 no placar e ficou um pouco mais confortável em quadra. Os games de saque passaram a ser confirmados de forma mais tranquila. Até mesmo suas características curtinhas, que não vinham funcionando tão bem nas primeiras parciais, ficaram mais efetivas. Na reta final da partida, surgiram novas oportunidades de quebra até que ele consolidasse a vitória. Alcaraz fez 32 a 18 nos winners e cometeu 41 erros não-forçados contra 38 do australiano.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE