PLACAR

“Agora o trabalho está feito”, comemora Fonseca

Foto: Pete Staples/USTA

Nova York (EUA) – Campeão juvenil do US Open, o carioca João Fonseca ainda está se acostumando com a conquista do último sábado e tenta interiorizar o feito que acabou de conquistar, levantando um troféu de Grand Slam pela primeira vez e chegando à liderança do ranking da ITF. Após a final, além de conversar com a ESPN, ele também participou da entrevista coletiva e falou sobre o momento.

“Ainda não consigo processar, é realmente incrível. Ontem (depois da semi) eu disse que não tinha palavras, mas também disse que o trabalho não estava feito. Agora o trabalho está feito. Estou muito feliz, só quero aproveitar o momento com minha família, amigos e treinador e curtir a vitória”, afirmou o carioca de 17 anos.

Fonseca afirmou que sua partida de quartas de final foi meio que um divisor de águas na campanha, quando passou a acreditar que tinha totais condições de ser campeão. “Fiz quartas no Australian Open, Roland Garros e Wimbledon. Quando fui para as quartas desta vez, pensei que não queria perder novamente nesta fase”, lembrou o brasileiro.

“Contra o Cooper (Williams) eu sabia que ia ser uma grande partida, foram duas horas e meia e estava muito quente. Acho que foi uma das partidas mais difíceis da minha vida por causa do sol, por causa da pressão e tudo mais. Acho que isso me faz acreditar. Depois da partida eu sabia que tinha habilidades e força mental para vencer este torneio”, disse Fonseca.

O braslienro elogiou seu rival na decisão, o tenista da casa Learner Tien. “Ele esteve em duas finais de Slam este ano, por isso sabia que seria uma grande luta. Ele jogou muito bem no primeiro set e no início do segundo. Acho que relaxou um pouco e acabei tendo minha chance com a ajuda da torcida. Quando quebrei ele no 2/1, eu simplesmente chamei a torcida e me energizei para ganhar forças”, comentou.

A torcida realmente foi um fator importante para a vitória de virada. “Learner tem boa força mental e esteve muito calmo durante toda a partida. Acho que a torcida conseguiu me apoiar e me deu forças para continuar lutando até o último ponto. O início da partida foi muito intenso, eu não estava dando meu melhor, estava pensando muito em ir para as linhas e cruzar a bola. Obviamente o público mudou bastante, e passei a jogar de forma mais agressiva. Fiquei mais confiante e com mais coragem. Foi isso que fez a diferença”, analisou.

Fonseca ainda agradeceu as singelas palavras do adversário depois da partida. “Ele é um cara muito talentoso, ganhou títulos de duplas (em Grand Slam juvenil) e é um cara legal. Não sou muito próximo dele, mas quando conversei com ele depois da partida, ele me disse: ‘Parabéns, você tem coragem. Você lutou e merece isso’. Foi muito bom ouvir isso”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE