PLACAR

Zverev segura cabeça e cala Alcaraz

O espanhol Carlos Alcaraz achou que poderia mesmo competir pelo título e número 1 neste Australian Open e garantiu que se achava em condições de barrar até mesmo o decacampeão Novak Djokovic. Só não contava com uma noite inspiradíssima de Alexander Zverev, que superou uma vacilada terrível quando dava verdadeira aula, mas conseguiu manter a cabeça no lugar para enfim derrotar um top 5 em torneios de Grand Slam.

O alemão vinha de desgaste muito superior, porém teve uma atuação quase impecável por quase três sets inteiros, numa mescla perfeita de saque pesado, segunda bola agressiva e construção de pontos para uso das paralelas que deixaram o número 2 completamente perdido. Sascha então sacou para liquidar a tarefa e deu sobrevida a Alcaraz, no que parecia ser mais uma ‘amarelada’.

O espanhol se agarrou na chance, correu demais, fez contragolpes magníficos e empurrou para o quarto set, onde enfim parecia entender que alongar pontos era uma medida interessante diante de um adversário que já havia pedido assistência médica e tinha 5 horas a mais de esforço ao longo do torneio. Zverev continua surpreendendo. Mexia-se bem, aguentava os ralis e mantinha precisão nas paralelas. Foi assim, aproveitando a precipitação do número 2, que chegou à quebra definitiva e desta vez não desperdiçou a chance, tirando tudo do seu espetacular saque.

Zverev faz assim a segunda semi de Slam desde a grave contusão e cirurgias de 2021, o que é mais um sinal valioso de recuperação. Ele ainda segue com uma única final desse nível, aquela em que abriu dois sets e deixou Dominic Thiem virar no US Open de 2020. Claro que o tão sonhado troféu segue num caminho muito árduo, em que terá agora de superar Danill Medvedev e depois Novak Djokovic ou Jannik Sinner, ou seja, todos jogadores com ranking superior ao seu. Contra o russo, perdeu 11 de 18 confrontos e no ano passado apenas 1 de 5. Os dois curiosamente nunca se enfrentaram numa melhor de cinco, o que traz uma condição diferenciada para sexta-feira.

Na madrugada, Medvedev mais uma vez se desgastou mais do que deveria. Apesar da ótima atuação de Hubert Hurkacz e seu conhecido poder de fogo, o russo teve tudo para liquidar no quarto set e outra vez alongou a tarefa. Mas saiu de quadra cheio de sorrisos ao atingir a semifinal do torneio pela terceira vez em quatro anos – e sua terceira seguida de Slam. Explicou a John McEnroe que estava mentalmente ‘destruído’.

Medvedev causou enorme surpresa ao mudar radicalmente sua postura de devolução de saque e ficando bem pertinho da linha de base, isso logo depois daquele bate papo com Jim Courier de dois dias atrás, em que explicava sua conhecida opção por responder lá do fundão. Isso com certeza pegou Hubi desprevenido e o polonês demorou um pouco para se adaptar. Aliás, o russo fez um jogo cheio de ‘pegadinhas’. Além de caprichados drop shots, um deles em pleno match-point, escapou de quebra perigosa no final do quinto set com saque-voleio.

Tudo novo para Zheng
Tenista de potencial reconhecido, a chinesa Qinzen Zheng realiza dois sonhos ao mesmo tempo neste Australian Open. Aos 21 anos recém completados, chega a sua primeira semifinal de Slam e será a nova top 10 do ranking. Se obtiver ao menos mais uma vitória, sairá de Melbourne como sétima colocada.

A façanha exigiu trabalho e cabeça, já que a russa Anna Kalinskaya ganhou o primeiro set e foi competitiva até a metade da outra série, quando então passou a sentir o desgaste e só ganhou mais um game a partir do 3/3. A chinesa, a mesma que perdeu a final do Elite para Bia Haddad, gosta de forçar o jogo tanto no saque – desta vez foram 10 aces – como na base, o que geralmente lhe dá números mais altos de winners e de erros.

Certamente, não terá semi fácil diante da surpresa Dayana Yastremska. A ucraniana já fez história, tornando-se a primeira qualificada a atingir a penúltima rodada desde 1978, e completa uma série de vitórias de peso. Superou a campeã de Wimbledon, Marketa Vondrousova, logo na estreia e foi muito consistente tanto em cima da experiente Victoria Azarenka como nesta madrugada contra Linda Noskova, a tcheca que havia tirado Iga Swiatek.

Isso garante uma finalista inédita bem jovem, já que Dayana tem apenas 23 anos e, quem sabe, possa repetir a incrível façanha de Emma Raducanu no US Open de 2021, quando ganhou o torneio com 10 vitórias. Para colocar um molho ainda especial, nunca enfrentou Zheng e daí que o controle dos nervos pode ser elemento decisivo. O duelo já acontece na manhã desta quinta na rodada noturna local, pouco depois de Aryna Sabalenka x Coco Gauff, cuja vencedora será natural favorita ao título.

Stefani diz adeus
As cabeças 2 Elise Mertens e Su-Wei Hsieh, campeãs de Wimbledon em 2021, provaram que entrosamento é diferencial muito relevante nas duplas. Por vezes defensivas, jogando lá atrás da linha de base mesmo com saque a favor, as duas controlaram as investidas à rede de Luísa Stefani e sua parceira Demi Schuurs com um show de bolas forçadas e lobs desconcertantes. Resultado mais do que justo nas quartas do Australian Open. A continuar a parceria da brasileira com a holandesa, há muitas arestas a aparar.

Já nas duplas masculinas, o indiano Rohan Bopanna garantiu façanha e será o mais velho número 1 do mundo da especialidade, aos 43 anos. Ele já garantiu o posto – tem mesmo número de pontos do parceiro Matthew Ebden, mas leva vantagem por ter disputado três torneios a menos -, e ainda persegue seu primeiro título de Slam, tendo batido na trave no US Open do ano passado.

69 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Gustavo Luis
Gustavo Luis
1 mês atrás

Eu estava torcendo pro Zverev e confesso que pensei que ele ia pipocar após perder o 3 set, mas que bom que ele conseguiu manter o mental e no fim vencer a partida.
Minha torcida é pra uma final entre ele x Djoko

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Digo a Laver que me chamo milagre” (Carlos Alcaraz).
Falhou…

Rodri
Rodri
1 mês atrás
Responder para  Marcelo

Falhos alcaraz

vinicius
vinicius
1 mês atrás

djokovic garantiu numero 1 do mundo com a derrota do alcaraz certo dalcim?
e uma segunda pergunta, por mais que medvedev e zverev tenham condições tecnicas, eu sinto que fisicamente eu nao acredito neles para uma eventual final, entao para min quem ganhar de djokovic vs sinner, sera o campeão, vc ve assim tbm dalcim?

André Aguiar
André Aguiar
1 mês atrás
Responder para  vinicius

Tênis é uma caixinha de surpresas. Se Djoko x Sinner durar 5 horas, os “russos” terão chances reais de levantar o caneco.

Jonas
Jonas
1 mês atrás

Se fosse o Djokovic falando as m… que esse Alcaraz fala, iriam cair em cima do cara.

Bom, Alcaraz é ótimo jogador sem dúvida, mas só sabe pensar no GOAT Djokovic, o que o faz esquecer que o circuito tem outros jogadores que podem vencê-lo em condições normais. Hoje foi um atropelo, apesar do placar, pois o Zverev viajou no final do terceiro set. Era jogo pra 3 x 0. Perdeu para um Zverev que vinha de jogos duríssimos, aliás.

Sobre as SF: Medvedev entra como favorito, a meu ver, Zverev tá mortinho. Djoko x Sinner é jogaço, sérvio favorito, mas pelo que o italiano tá jogando pode ir para qualquer lado.

Gusmão
Gusmão
1 mês atrás

Força Djokovic

Rafael
Rafael
1 mês atrás

O milagre parou nas quartas…falou demais e jogou de menos! Parabéns ao Sacha que foi firme o tempo todo e que colocou em quadra 85% de primeiro saque! Monstro!! Desse modo, o Djoko se garante como nº 1 do mundo mesmo se perder a semi-final. Que fase a do sérvio…e falando nele, sexta-feira ele vai acabar com o sonho italiano. Mais uma final para ele de AusOpen. O 11º é logo ali!

Paulo H
Paulo H
1 mês atrás

Uma das primeiras coisas que o tenista aprende é a pensar ponto a ponto, sem se preocupar com a próxima partida antes de concluir a que está jogando. Aparentemente criaram na mente do espanhol o karma “Só pense no sérvio, só pense no sérvio…” e ele vai virando saco de pancada do restante do circuito, que já aprendeu as formas de tomar as rédeas da partida quando joga contra o minitouro. Pena, fosse mais humilde, poderia fazer como o Sinner que vai acumulando façanhas em silêncio, como o italiano mais mineiro que conheço.

Jovica
Jovica
1 mês atrás
Responder para  Paulo H

Não, ele só pensava de lembrar ao menos um nome de tenista feminina :-). Enfim, que silêncio bom. Da pra ver quais são verdadeiros fãs de tenis

Luis Ricardo
Luis Ricardo
1 mês atrás
Responder para  Jovica

??????? …., tendi nada…

Jovica
Jovica
1 mês atrás
Responder para  Luis Ricardo

Qual parte não entendeu? :). Primeira mente de alça tão ocupado de lembrar ao menos um nome de tenista feminina qual foi perguntado outra noite que não conseguiu pensar sobre nada mais :)). Sobre segunda parte, silêncio bom poucos comentários. Perda de alcatraz calou muita boca falsos fãs de tênis fedalistas, alcaristas…

JOÃO LUIZ MELLO BORIN
JOÃO LUIZ MELLO BORIN
1 mês atrás
Responder para  Jovica

Sou fã de tênis desde 2000 quando o Guga ganhou a masters cup. A partir dali comecei a acompanhar com frequência, e começar a assistir os jogos além do Guga, do Federer e Nadal. Confesso que o Federer era o que dava mais gosto de assistir. Mas não tem como não dizer sobre o Nadal e o Djoko, e mesmo sendo fã do Federer, não tem mais como discutir quem é o GOAT. Hoje pra mim o que da mais gosto de assistir dessa nova geração é o Alcaraz, sinceramente eu acho ele bem humilde, sempre conversa com todos e vejo ele sempre tendo respeito com os adversários. Como a entrevista depois da partida é uma conversa mais descontraída, acho que foi mal interpretada a mensagem dele pro laver. Mas um tenista que tem apenas 20 anos e tem 2 slams e 4 Masters, fora os atp 500. o cara ganhou a final de Wimbledon contra o melhor de todos vindo de 4 títulos seguidos e 7 no total, ele é sim um fenômeno que aparece no esporte em geral de vez em quando. Como é muito novo ainda, vai evoluir muito pessoalmente e inevitavelmente profissionalmente Vai melhorar muito o jogo dele, taticamente.

Mas torço agora pro Sinner ou Zverev pra ter o primeiro slam. Mas díficil tirar o titulo do Djoko.

Jovica
Jovica
1 mês atrás
Responder para  JOÃO LUIZ MELLO BORIN

Sincero, correto.

Daniel
Daniel
1 mês atrás
Responder para  Jovica

Revisar o q escreveu antes de clicar no publicar te ajudaria e nos ajudaria a entender melhor o q escreveu

Jovica
Jovica
1 mês atrás
Responder para  Daniel

Chora mais

Jovica
Jovica
1 mês atrás
Responder para  Daniel

Quem entendeu, entendeu. Quem não entendeu, vida que segue…

Sandra
Sandra
1 mês atrás

Dalcim, não foi essa ucraniana que fugiu da guerra junto com a irmã ? No boxe tinha um casal , era a mãe e o treinador ou o pai ?

Paulo F.
Paulo F.
1 mês atrás

Alcaraz está tão focado em dar letrinha que faltou combinar com o Sascha.

Roberto Rocha
Roberto Rocha
1 mês atrás

Já podem entregar o caneco para Djokovic. Alcaraz era o único jogador com recursos físicos e técnicos para derrotá – lo.
Enfim, uma fase um pouco melancólica do tênis… Tínhamos o Big 4 e o Little 4… Depois começou a contagem regressiva e só restou 1 grande jogador. Saudades daqueles confrontos inesquecíveis.
Resta apreciar o último monstro sagrado enquanto for possível.

Jorge Miguel
Jorge Miguel
1 mês atrás

Quem assistiu o jogo pela ESPN 2 ,foi vergonhoso a narração e o comentarista , claramente torcendo pelo alcaraz, enaltecendo cada lance dele ,deveriam aprender um pouco com o dalcim sobre imparcialidade .

SANDRO
SANDRO
1 mês atrás
Responder para  Jorge Miguel

Concordo contigo! Era um fã clube do Alcaraz MILAGROSO na ESPN… Aliás, eles achavam que Alcaraz era a nova versão da JESUS CRISTO: veio à Terra para fazer MILAGRES…
Profissionalismo ZERO dessa ESPN!!!

Daniel
Daniel
1 mês atrás
Responder para  Jorge Miguel

Narrador/comentarista não pode tb ser torcedor?

Airton
Airton
1 mês atrás
Responder para  Jorge Miguel

Junte-se a isso o Paulo Nobre torcendo como se fosse um espanhol para o Alcaraz.

Flavio
Flavio
1 mês atrás
Responder para  Jorge Miguel

Entendo que hoje o Alcaraz é um produto que precisar ser vendido e valorizado, com isso muita gente ganha dinheiro direta e indiretamente (nada de errado com isso).
Não vejo como torcida por ele e sim como cumprir ordens do chefe para um bem comum da emissora, com a eminente aposentadoria do Nadal o Alcaraz assume o posto.
Obs: Considero ele o melhor jogador que surgiu depois do big 3.

Paulo F.
Paulo F.
1 mês atrás

O que foi aquele voleio de base do GOAT? E ainda temos que ler das viúvas amarguradas de que Djokovic não é técnico.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Paulo F.

É o jogador mais técnico e talentoso a ter empunhado uma raquete.

Adriano Veiga
Adriano Veiga
1 mês atrás
Responder para  Paulo Almeida

Kkkkkkkkk….

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Adriano Veiga

Qual a graça? Os números provam minha fala.

Alison Cordeiro
Alison Cordeiro
1 mês atrás

Quando um jogador chega nos momentos decisivos de um torneio e costuma falhar, esse fardo começa a pesar contra ele sistematicamente. A vitória de Zverev sobre Alcaraz não é importante apenas por colocá-lo na semifinal, mas especialmente para fortalecê-lo mentalmente para outras oportunidades semelhantes que surgirem.
Para quem superou Nole no torneio que o sérvio mais sonhava, a olimpíada, avançar em GS é esperado. Mas quando Alcaraz buscou o set, temi pelo alemão. No entanto, realmente Carlitos não vinha encantando e apesar de toda a sua força e técnica, caiu de produção tremendamente após WB. Ainda assim, a se considerar o quão precoce ele é, tudo se tranforma em aprendizado e vai fazê-lo melhor nos torneios que virão.
Resta saber se Zverev manterá o mesmo desempenho físico diante do Urso, que como Dalcim pontuou ficou em quadra mais tempo do que precisava, mas é uma figura ímpar no circuito.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás

Jamais, nunca, em tempo algum, Aquarraz será GOAT. Fato!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Paulo Almeida

É pra levar mesmo a sério, nervosissimo Piloto ? rs . Quem aos 20 , possuiu 2 SLAM e chegou TRÊS vezes ao TOPO do Ranking ? . Sei que conheces o suficiente pra nem pensar e responder no ato . Rsrsrs, Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Estou calmíssimo e bem satisfeito com a eliminação de quem fala demais. Não chega nem a 15 GS e foi sempre um número 1 fake graças à pandemia e aos exageros sanitários.

Tem respostinha pra você na pasta passada.

Rsrs, abs!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás

Acho que os jogadores falam certas coisas antes das partidas só pra impressionar os adversários. ” – Estou me sentindo cada vez melhor” (Alcaraz) – Só que na hora do jogo… não foi bem assim.
Pros ‘haters’ do número 1, a vaca está indo pro brejo… ou a fêmea do bovino encaminha-se placidamente à área pantanosa.
E já que, como diz o ditado, ” Desgraça pouca é bobagem”, agora só falta a final ser entre o não vacinado convicto e o suspeito de violência doméstica.
Já fiz até promessa. Se algum dos que sobraram conseguir barrar o sérvio, prometo convidar minha sogríssima pra passar 2 meses aqui em casa.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Não vi suas críticas em relação ao fato do Nadal ser garoto propaganda do tênis saudita. Por que será?

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Ué… fiquei sabendo agora. Se quer saber, acho que ele não deveria aceitar esse tipo de propaganda. O problema é que não tenho influência alguma sobre o que ele decide. Aliás, ele nem sabe que eu existo.

Rafael
Rafael
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Nem sobre o que Djokovic decide. Além do mais, ele arcou com todas as consequências de sua decisão, não?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Rafael

Boa!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Rafael

Arcou com as consequências diretas. Mas tem as indiretas, como já andei mencionando.

Rafael
Rafael
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Vi muita gente “estimando” quantas pessoas deixaram de se vacinar influenciadas por Djokovic. Agora, o embaixador do tênis Saudita no mínimo negociou seus direitos de imagem e talvez uma ou outra partida de exibição por lá. No mínimo. O que as crianças e adolescentes pensarão ao vê-lo? Aliás, Iga deu uma cutucada em Zverev por jogar e fazer parte do conselho da ATP ANTES de ser condenado (se for), mas sobre seu ídolo Nadal associar sua imagem a um regime tirânico ela não falou nada, apesar de ter falado genericamente que “é difícil para as mulheres” por lá.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Rafael

É como eu sempre digo. Eles deslocaram o debate do plano esportivo para o plano moral no tênis. A opinião de Maurício acima é só mais um exemplo.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Rafael

Rafael, não precisamos estimar nada. Se 1 só pessoa deixou de se vacinar influenciada pelo sérvio – 1 só – pra mim já é o suficiente pra ir contra ele. Porque essa 1 pessoa pode ser um filho meu, ou meu pai, uma irmã…

Acredito realmente que esta atitude dele teve influência negativa, porque já disse anteriormente que em 2021 minha irmã e meu cunhado tiveram dificuldade em convencer o meu sobrinho – à época com 15 – de se vacinar. ” – Porque o Nole disse que o corpo é dele…” dizia o rapazinho.

Quanto ao Nadal, eu até o admirava como pessoa (não aqueles balões horrorosos), mas agora, nem isso. Lamento essa atitude machista.

Só que não tem mágica pra dinheiro. Se a WTA arrecada menos do que a ATP, então de onde vai tirar $$$$ pra pagar igualmente as jogadoras? Tem é que ir por etapas. Trabalhar mais a base, fechar + contratos com patrocinadores, melhorar a divulgação. Pra isso a Sharapova era 10.

Espero ter me feito entender. Bom dia.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Olha a gravidade do problema, atribuído a outrem.
O rapazinho de 15 anos, deu trabalho aos pais, porque o Nole disse que o corpo dele – Novak Djokovic – é dele.
Certa vez fui matricular meu filho numa escola, nova para ele, quando tinha 10 anos. A secretária perguntou a ele qual era seu e-mail. Ele respondeu que não tinha. A secretária se virou para mim e perguntou: Jura pai, que ele ainda não tem e-mail? Whatsapp, certamente era, apenas sonho de algum gênio desconhecido ainda.
Eu simplesmente respondi: se for pré-requisito uma criança de 10 anos ter e-mail para estudar aqui, vamos embora.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Nole está careca de saber que como celebridade que é, muitos jovens tentam replicar o que ele faz. Se fosse só o jogo, seria ótimo.
A responsabilidade é dos pais? Claro que é. Mas quem é pai sabe que nem sempre os filhos obedecem, por vezes seguindo maus exemplos.
Por essas e por outras, o Sr. Djokovic pode ganhar 30 Slams se quiser, que não vou mudar o que penso dele.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Dois pesos e duas medidas. Condena Djoko, mas passa pano para o garoto propaganda do regime que esquarteja jornalista.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Arcou com as consequências diretas. Mas tem as indiretas, como já andei mencionando.

Rafael
Rafael
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Garoto-propaganda não, “embaixador” de um regime que mata, tortura, onde a vida das mulheres é um inferno, etc. Atitude tremendamente infeliz de Nadal. Também não vi as críticas do Mauricio ao fato do Nadal ser um dos que é ferrenhamente contra premiações iguais para homens e mulheres em torneios de tênis, algo que o nobre sempre defende.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Rafael

Rafael,

Exatamente.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Rafael

Rafael, desculpe a ignorância, mas essa do Nadal ser contra premiações iguais eu também não sabia. Lamentável isso.

Alessandro Siqueira
Alessandro Siqueira
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Não vi Nadal sendo contra premiação de forma objetiva. Ele apenas pontuou que há questões que antecedem gênero. Vi a entrevista e ele contrapôs o caso das modelos, que ganham infinitamente melhor que os homens no mundo da moda. E essa é mesmo uma realidade. Não se promove igualdade na canetada. Há um produto que vende mais e há um produto que vende menos. No dia que as meninas sonharem ser Marta de verdade, consumindo os produtos dela, o salário será muito maior que é hoje. Até lá, Messi e Cristiano Ronaldo irão ganhar mais, assim como Kendall Jenner vai seguir ganhando 50x mais que o mais bem sucedido modelo homem.

Alexandre G.
Alexandre G.
1 mês atrás

Alcaraz não está sabendo lidar com a fama. Está aquém daquele garoto prodígio antes de começar a ter a bola cheia.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
1 mês atrás

Não é sobre Alcaraz, ele precisa urgentemente cair em um ostracismo pro seu bem, é sobre Zverev que não calou ninguém, só falou de que era é e será capaz.
A China tem 7 tenistas no top 100, alguém dúvida do futuro? O Master de Shangai com cadeiras vazias, as que estavam ocupadas tinham meninas, daí o resto é planejamento.

Evaldo Moreira
1 mês atrás

Boa noite,
Vi os comentários de todos, a cerca do Alcaraz, e também do post do Dalcim.
Calou mesmo e legal ver Sascha nessa firmeza toda, que ele enfim, conquiste esse Slam.
Sobre o Alcaraz, em que falou aquelas baboseiras, digo: ” foi de uma falta de respeito, do tamanho do planeta, hei, psiu e preste atenção: ” Quando o lendário Rod Laver fala, então presta atenção nas falas dele, esse ex-tenista lendário, fala com propriedade e lucidez, e quem viu o que ele disse, entedendeu prefeitamente, menos o suposto milagroso do senhor Carlos Alcaraz, kkkk, pelo amor de Deus, ô garoto, que só pensa em Nole, vc deveria prestar atenção nas entevista no pós jogo, esfriar a adrenalina, racionar melhor, e tenho certeza que o Ferrero não aprouvou a fala dele, para se confirmar, só ele mesmo dando uma entevista e dizer.
Que venha as semi-finais, e que vença o melhor, abraços a todos.

Ronildo
Ronildo
1 mês atrás

Agora a última bala é Sinner. Se falhar, nada mais salva!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Ronildo

Eu diria a penúltima. O Medvedev também não tem medo do sérvio não.

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás

Impressionante o quanto o Zerévi jogou. Nível big 3 +.

Já o Alcaraz, é um cracaço, super-atleta, mas está iludido de que é ainda mais do que de fato é, especialmente na comparação com os outros melhores. Atualmente, tem um Big 4 de cracaços, Djoko, Zerévi, Alcaraz e Siner, com o Medév logo a seguir (e o Fritz aproximando). Qualquer um destes 5 pode ganhar dos outros 4 que não será nenhuma surpresa. Se algum deles estiver num dia ruim contra qualquer um dos outros 4, a chance de perder é bem grande.

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás
Responder para  Marcos Ribeiro

Tua descrição do Alcaraz é a definição a geração z
Kkkkkk
Eu falo mal da Gen Z, mas sempre ressalto que quem criou esse povo foi a minha geração. São pessoas da minha geração que aparecem no trabalho dos filhos dando escândalo pq traumatizaram o filhinho dele.

“como o mundo ousa não tratar meu filhinho como o príncipe de zamunda?”

Daniel Neto
Daniel Neto
1 mês atrás

Os grandes jogadores se reinventam. Federer fez de tudo, trocou raquete, mudou estilo. Djoko e Nadal aprenderam a volear bem, dar slices. O saque do Djokovic hoje é uma arma. Se o Medvedev não tomar uma atitude radical, seu jogo só vai despencar, daqui pra frente. Está com quase 28 anos e não vai ficar mais forte ou mais rápido. Apesar de o tênis estar mais longêvo, é natural que haja um declínio a partir dos 28/29 anos.
Se eu fosse ele, contratava o Agassi e ficava uns 2 meses treinando devolução de saque, só pra começar (Aluga do pai do Agassi aquela máquina de soltar bolas que ele fabricou, lá nos anos 70). Contratava o Federer e ficava mais uns 3 meses jogando em cima da linha de base e fazendo bate-prontos, quando necessário.
Mãos à obra!

Rodrigo
Rodrigo
1 mês atrás
Responder para  Daniel Neto

Eu não poderia concordar mais com sua observação, Daniel Neto. Djokovic é o que é porque soube se reinventar mais do que qualquer jogador. Sinner deu um pulo porque está um pouco com mais mobilidade. Tsitsipas ficou estático e deixou de constar no primeiro grupo de candidatos aos slams. No feminino, Sabalenka ganhou o jogo hoje também por causa de seu serviço. Tenta transformar seu serviço de problema em trunfo. Vejo que Iga está com um buraco em seu segundo serviço que, se não for resolvido, fará com que somente seja favorita em Roland Garros. Em síntese, como vc bem observou, grandes jogadores de tênis têm que se reinventar continuamente para permanecerem no topo.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Não me lembro de uma final feminina com um favoritismo tão marcado quanto a do próximo sábado…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás

O BOM EM DANIIL, ALÉM DO JOGO comprovadamente eficaz, é que ele não dá margem para que a audiência lhe provoque surtos de verborragia, a exemplo do que ocorre com o craque de bola Carlos Alcaraz, com o ex tenista Stefanos Tsitsipas e até com a agora adolescente Beatriz Haddad, dentre outros. Daniil não chega a ser um poço de deselegância, mas seu comportamento nada empático, pensando apenas em jogar bola, o torna um não queridinho da mídia, que é burra e consegue que tenistas como os acima citados se tornem igualmente burros, ao fazerem de toda contextualização abrigo verborrágico e acabam se achando o máximo ao microfone, na maioria das vezes tentando explicar o inexplicável. Às vezes fico imaginando que os estafes de certos raqueteiros não têm serventia, ou que são apenas decorativos, porque não é possível um careta que tem um nome a zelar vir a público falar porcaria seletiva…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Me tornei fã de Daniil Medvedev também.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, Daniil é um tenista desapegado, gosta de jogar bola e não se rende à pantomima que a midiota propõe a ele e a seus pares. Já estes, parece que adoram um microfone e um bico de luz, no sentido de fazerem papel de palhaço no circo do tênis, não sendo o caso de Daniil, obviamente. E se você se tornou seu “fã”, LUIZ, é sinal de que está com o discernimento apurado, ao contrário da maioria na nossa confraria, que prefere se apegar ao que proporciona audiência. Óbvio que não é o caso de Daniil…

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

A modéstia não é o forte desses jogadores top de linha. É bom ter auto-confiança, mas o Alcaraz de fato exagerou ao se achar um “milagre”.
O Medvedev lixa-se pra torcida e pra imprensa, e faz bem. Se for se deixar levar pelo “oba-oba” , perde o foco rapidinho.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

MAURÍCIO LUÍS, eu detesto fazer uso de clichês, mas parece que para alguns tenistas o sucesso e o fracasso sobem à cabeça, já que desandam a falar basteira…

Paulo
Paulo
1 mês atrás

A soberba precede a queda

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás
Responder para  Paulo

TEM GENTE QUE NÃO sabe mesmo argumentar sem lançar mão de frases feitas, e o pior é que acha que tá trocando uma puta ideia legal…

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals