PLACAR

Wild perde chances e não passa da primeira rodada

Foto: Divulgação/CBT

Basileia (Suíça) – Depois de ganhar uma chance na chave principal do ATP 500 da Basileia, entrando como lucky-loser no lugar do sérvio Laslo Djere, o paranaense Thiago Wild não conseguiu aproveitar a oportunidade e foi derrotado na primeira rodada, caindo nesta terça-feira diante do holandês Tallon Griekspoor com parciais de 7/6 (7-4), 2/6 e 6/3, em 2h04 de jogo.

Apesar da derrota no primeiro, o número 1 do Brasil e 78 do mundo, conseguiu incomodar mais Griekspoor em seus games de serviço do que o contrário. Wild não enfrentou break-points na parcial e perdeu seis chances de quebra, três no quarto game, mas duas no sexto e uma última no oitavo. A definição foi para o tiebreak, em que o holandês teve um solitário mini-break e assim largou na frente.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Wild manteve o ritmo na segunda parcial e voltou a pressionar o saque do rival, só que desta vez com mais sucesso. Já no terceiro game ele conseguiu a primeira quebra, chegando a vencer cinco games seguidos com novo break no quinto, saindo de 0/1 para fazer 5/1. Griekspoor voltou a confirmar o serviço no sétimo, mas não teve forças para reverter o placar e o jogo ficou empatado.

Só que depois de dois sets bastante firmes e consistentes do paranaense, no começo do terceiro ele vacilou e levou uma quebra, vendo Griekspoor abrir 3/0 de cara. O holandês aproveitou muito bem a dianteira no marcador, foi mais firme com o saque na sequência da partida, não deu chances a Wild e selou a vitória no primeiro match-point que teve.

O equilíbrio do jogo se refletiu também nos números, ambos venceram 69% dos pontos com o saque e Griekspoor terminou com apenas dois a mais no total (95 a 93). Eles empataram em bolas vencedoras (39) e erros não forçados (10) e a diferença ficou nos break-points, em que Wild perdeu o único que enfrentou e converteu apenas dois em nove oportunidades.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE