PLACAR

Tsitsipas amplia freguesia contra Zverev e vai às quartas

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Monte Carlo (Mônaco) – Duas vezes campeão do Masters 1000 de Monte Carlo, em 2021 e 2022, o grego Stefanos Tsitsipas aproveitou a volta ao saibro monegasco para reencontrar seu melhor tênis. Nesta quinta-feira, ele garantiu vaga nas quartas de final do torneio ao bater o alemão Alexander Zverev em duelo equilibrado, mas definido em sets diretos, com o placar final de 7/5 e 7/6 (7-3).

Além do bom histórico nas quadras do principado, Tsitsipas também colocou em jogo seu ótimo retrospecto contra Zverev. O grego ampliou a freguesia diante do rival e agora tem duas vezes mais vitórias do que derrotas contra o germânico (10 a 5). Nos duelos no saibro, ele também leva vantagem, agora com cinco triunfos e apenas uma derrota.

Tsitsipas terá pela frente o russo Karen Khachanov, que mais cedo derrubara o compatriota Daniil Medvedev também por 2 sets a 0. Assim como contra Zverev, o grego entrará para o confronto com ampla vantagem no retrospecto, somando sete vitórias e apenas uma derrota contra seu próximo oponente, tendo vencido o único duelo até então entre eles na terra batida.

Bastante equilibrado, o embate entre Tsitsipas e Zverev foi definido nos detalhes, com o grego mostrando um desempenho um pouco melhor nos pontos importantes. Ele converteu três dois oito break-points que teve a seu favor (38%), enquanto o alemão só aproveitou duas das 10 oportunidades de quebra que teve no decorrer da disputa (20%).

Mesmo com seus 10 aces, o atual número 5 do mundo terminou o jogo com aproveitamento de saque inferior ao de Tsitsipas (62% contra 65%). O grego anotou três bolas vencedoras a mais (24 a 21), mas também cometeu seis erros não forçados a mais (16 a 0).

O primeiro set começou com o grego precisando salvar três break-points no quinto game e mais um no sétimo. Depois disso, as chances mudaram de lado e foi Zverev que acabou pressionado com o saque na reta final, salvando dois set-points no décimo e mais um no 12º, quando acabou levando a quebra que definiu a vantagem de 1 a 0 para Tsitsipas.

Aproveitando o momento, Tsitsipas chegou a vencer sete games seguidos, abrindo 5/0 na segunda parcial e quase anotou um “pneu”, mas Zverev salvou os dois match-point que enfrentou com o serviço no sexto game. Isso deu sobrevida ao alemão, que devolveu as duas quebras e empatou a parcial por 5/5. Sem novos breaks, veio o desempate final, no qual o grego foi melhor e ficou com a vitória.

 

11 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Alcaraz e sinner os melhor da história
Alcaraz e sinner os melhor da história
1 mês atrás

O grego é o mais talentoso da geração anterior a alcaraz e sinner ,mais não parece ter aquela garra, mais é jovem ainda e acredito q possa ganhar dois slam.na carreira,agora o Djokovic é o rei da entressafra realmente,ngm na história do tênis ficou dos 31 anos aos 35 q hj no esporte vc está no auge assim como dos 24 aos 30 enfrentando apenas um jogador de terra q era o Nadal no auge ,pq dos 31 aos 35 o Djokovic pegou uma geração normal pela frente e Federer já velho e Nadal q só joga na terra,aí ele empilhou grand slam nesse período

Rodri
Rodri
1 mês atrás

Kkkkk 15 anos de rivalidade com Federer velho? E ele ganhando slam com 36 anos?

Jeferson
Jeferson
1 mês atrás

Quer um lenço?

João Silva
João Silva
1 mês atrás

Amigo, não faz o menor sentido o que você escreveu.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

O grego é outro jogador no barro! Até o backhand funciona! Impressionante!

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Bem lembrado Fernando, mas quase que perde o segundo set que estava na mão, mas foi um bom jogo.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás
Responder para  Flávio

Flavio, tava na mão entre aspas. O Sascha teve seus méritos em ficar na partida. O alemão é um ótimo saibrero também

Guilherme Ribeiro
Guilherme Ribeiro
1 mês atrás

Tsitsipas parece estar recuperando a boa forma, mas quase se complicou num segundo set que estava ganho com 5/0 e match point a favor. Mas conseguiu levar. Fará sua 22º quartas de Master 1000 na carreira, a 4º somente em Monte Carlo. Pega o freguês Khachanov, que fará sua 8º quartas de Master 1000, a 2º no saibro e a 1º em Monte Carlo. Tsitsipas lidera o confronto com 7 a 1 no geral, 5 a 1 em Master 1000 e 1 a 0 no saibro. Aposto no grego.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
1 mês atrás

Um comentário onde há a afirmação de que o Nadal só sabe jogar no saibro, pra mim, não merece nenhuma credibilidade. Se tirarmos os 14 títulos do Nadal em Roland Garros, ainda sobram 8 conquistas (4 US Open, 2 AO e 2 Wimbledon). Aí, se a gente for ver a lista de campeões de Grand Slam no tênis masculino, vemos que grandes tenistas como Boris Becker (ALE) e Stefan Edberg (SUE) terminaram a carreira com 6 conquistas, com 7 títulos temos John McEnroe (EUA) e Mats Wilander (SUE) entre outros e com 8 títulos temos Ivan Lendl (CZE/EUA), Jimmy Connors (EUA) e Andre Agassi (EUA) entre outros, tendo, todos esses mencionados, sido excelentes tenistas na história do esporte mundial. Então, o Nadal, sem contar as suas fenomenais conquistas obtidas em Roland Garros, fica no mesmo nível de conquistas dos grandes tenistas supracitados, e tem gente que diz entender de tênis, que vem afirmar que ele só sabe jogar no saibro. Vai lá fazer um jogo com o Nadal fora do saibro pra ver se é fácil.

Gustavo Luis
Gustavo Luis
1 mês atrás

Não sei quem dos dois tem o mental mais fraco, se é o grego que deixou escapar um 5×0 e quase entrega um jogo ganho ou se é o alemão que depois de escalar essa montanha volta a entregar o jogo de bandeja

Vinicius
Vinicius
1 mês atrás

O tsitsipas joga melhor no saibro do que na quadra dura

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE