PLACAR

Swiatek decide primeiro Finals e tenta volta ao nº 1

Foto: Jimmie48/WTA

Cancún (México) – Com mais uma atuação impecável no piso sintético descoberto de Cancún, a polonesa Iga Swiatek superou com autoridade a bielorrussa Aryna Sabalenka, por 6/3 e 6/2, e está em sua primeira decisão do WTA Finals. Às 18h30 desta segunda-feira, enfrentará como favorita a norte-americana Jessica Pegula e, em caso de vitória, irá também recuperar a liderança do ranking. Swiatek tem 5 a 3 no histórico diante de Pegula.

Qualquer que seja o resultado da final, o torneio que encerra oficialmente a temporada feminina terá uma nova campeã. Criado em 1972, o Finals já teve 25 diferentes vencedoras. Invictas até aqui, quem vencer o torneio irá faturar US$ 3 milhões.

Esta foi a sexta vitória de Swiatek sobre Sabalenka no histórico do confronto e o desempate da temporada, já que cada uma havia vencido num torneio sobre o saibro. Também foi a desforra da semifinal do ano passado no Finals, disputado em Forth Worth, em que Sabalenka venceu e depois ficou com o vice diante de Caroline Garcia.

Aos 22 anos, Swiatek tem agora 67 vitórias em 78 partidas disputadas na temporada e disputa sua oitava final de 2023, onde já soma cinco títulos. Ela é a primeira desde a sérvia Jelena Jankovic, em 2008, a somar mais de 65 triunfos em duas temporadas consecutivas, além de ser o maior número de vitórias desde as 79 de Serena Williams em 2013.

A polonesa levou a melhor em 12 dos 18 duelos diante de adversárias top 10 nesta temporada, tendo superado em Cancún em sets diretos as campeãs de Grand Slam deste ano Coco Gauff e Marketa Vondrousova, além da vice Ons Jabeur.

Jogo de poucos winners
Na vitória deste domingo, em jogo que havia sido interrompido por forte chuva quando Swiatek tinha 2/1, depois de escapar de break-point, Sabalenka não fez muito com o serviço no reinício e foi logo quebrada. Vieram dois games longos, em que ambas sofreram com o serviço e ofereceram oportunidades, mas a polonesa mostrou firmeza.

Daí em diante, Swiatek só cresceu, a ponto de ganhar três games de serviço consecutivos de zero. O momento crucial veio no terceiro game, em que Sabalenka chegou a salvar três break-points antes de enfim ceder e daí em diante caiu de produção.

O número de winners foi muito baixo – 5 a 4 para Swiatek -, assim como o de erros (11 a 6 para Sabalenka). Swiatek anotou o único ace da partida, enquanto a bielorrussa cometeu duas duplas faltas.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE