PLACAR

Sakkari domina Garcia e volta à final no México

Foto: Guadalajara Open AKRON

Guadalajara (México) – A busca de Maria Sakkari pelo primeiro título de WTA 1000 continua nesta semana em Guadalajara. Finalista do ano passado e segunda cabeça de chave, a grega está de volta à decisão do torneio. Bastante apoiada pela torcida mexicana, Sakkari superou nesta sexta-feira a francesa Caroline Garcia, 11ª do ranking e cabeça 3 do evento, por 6/3 e 6/0 em 1h10 de partida.

Sakkari tem apenas um título de WTA 250, conquistado no saibro de Rabat em 2019. Entretanto, a jogadora de 28 anos tem presença constante em finais. Será a nona de sua carreira e a terceira em WTA 1000. Além das duas seguidas no México, a grega também foi vice de Indian Wells no ano passado.

Ex-número 3 do mundo e atual nona colocada, Sakkari está recuperando três posições com a campanha. Ela segue sem perder sets na semana em Guadalajara e conseguiu sua segunda vitória em cinco jogos contra Garcia no circuito. No duelo mais recente, em fevereiro, a grega fechou apenas no tiebreak do terceiro set após 2h41 de partida.

O histórico de Sakkari em Guadalajara é muito bom. Além das duas decisões seguidas em WTA 1000, ela também foi semifinalista na edição do Finals realizado na cidade em 2021. E com a grande semana que está fazendo, tem chance de se recolocar na disputa por vagas no Finals de Cancún, que será realizado em novembro. Favorita do público, ela chegou a vestir a camisa da seleção mexicana no jogo das quartas.

“Eu disse no jogo de estreia que que senti que esta era a semana. Este é o lugar onde eu iria superar muitos obstáculos e emoções negativas”, disse Sakkari na entrevista em quadra. “O US Open já passou e estou muito feliz por estar de volta à final. Eu não poderia ter pedido nada melhor este ano”.

“A última partida que disputei contra a Garcia foi uma das mais difíceis da minha carreira. Por isso, meu objetivo hoje era curtir o jogo, sorrir mais e me divertir. Porque essas são as emoções que eu não sentia há algum tempo. Fiquei dizendo a mim mesma se eu me sentisse assim aqui, onde mais eu conseguiria? Missão cumprida, mas temos mais uma partida pela frente. O foco amanhã é o mesmo. Vou entrar em quadra com um sorriso no rosto e aproveitar meu último dia em Guadalajara na temporada”.

A adversária de Sakkari na final deste sábado às 21h (de Brasília) será a norte-americana Caroline Dolehide, apenas 111ª do ranking e que disputa a primeira final no circuito. O confronto entre elas é inédito. Dolehide é apenas a segunda tenista de fora do top 100 chega a uma final de WTA 1000 e se aproxima do 40º lugar do ranking com a campanha.

Sakkari cedeu apenas três games e não sofreu quebras
No encontro entre duas jogadoras de estilo agressivo e com muita potência nos golpes, Sakkari começou a construir sua vitória por um bom desempenho no saque. Apesar de ter enfrentado um break-point no game de abertura, ela não teria mais o serviço ameaçado até o fim do primeiro set, que teve só uma quebra. A grega abriu 3/1 e cedeu somente 7 pontos em seus games de serviço na parcial.

Sakkari aproveitou o bom momento na partida e largou com uma grande vantagem no segundo set, 3/0 com duas quebras acima. Na sequência, enfrentou um 15-40, mas Garcia errou uma devolução e jogou fora um forehand com a quadra aberta. A francesa ainda perdeu outro break-point e permitiu que a grega abrisse 4/0 no placar. As oportunidades perdidas custaram caro e Sakkari voltou a quebrar e aplicou um ‘pneu’ para vencer o jogo.

Garcia até fez mais winners na partida, 11 a 8, mas cometeu 20 erros não-forçados contra só 7 da grega. A francesa não aproveitou nenhum dos quatro break-points que teve e sofreu quatro quebras na partida.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE