PLACAR

Sabalenka: ‘Não me sinto segura nessa quadra’

Foto: Jimmie48/WTA

Cancún (México) – Com uma vitória e uma derrota nas duas primeiras rodadas do WTA Finals, a número 1 do mundo Aryna Sabalenka ainda não se sente segura atuando no recém-inaugurado Estadio Paradisus, em Cancún. A quadra principal do torneio entre as oito melhores da temporada só foi liberada para treinos no último sábado, um dia antes da primeira rodada da competição. Sabalenka terá um jogo decisivo nesta quinta-feira contra Elena Rybakina, em confronto direto por vaga na semifinal. O jogo será não antes das 20h (de Brasília).

“Para ser sincera, não me sinto segura nesta quadra na maior parte do tempo. O quique da bola não é nada consistente e não pudemos treinar aqui até a véspera do torneio, o que inaceitável para mim, com tanta coisa em jogo e tanto em jogo. Como jogadora eu me sinto desrespeitada pela WTA. Acho que a maioria de nós se sente assim”, disse a líder do ranking no domingo, depois da vitória por 6/0 e 6/1 sobre a grega Maria Sakkari na estreia.

+ Sabalenka: ‘Espero um Finals melhor ano que vem’
+ Iga vê circuito unido por mudanças no calendário

Sabalenka voltou a se pronunciar sobre o assunto na terça, quando perdeu para a norte-americana Jessica Pegula por 6/4 e 6/3. “Você nunca sabe o que vai acontecer, se o quique da bola vai te ajudar ou trabalhar contra você. Mas não há muito a dizer. Hoje foi um dia ruim e todo o crédito vai para Jessica. Ainda tenho uma chance de avançar neste grupo, então estou tentando me manter forte. Vou tentar analisar o que aconteceu nesse jogo e farei tudo o que puder no próximo”.

Já nas redes sociais, a bielorrussa de 25 anos reiterou que as críticas são para a direção da WTA e não para o organização do evento no México. “Quero mostrar meu agradecimento aos organizadores locais e a todos que estão trabalhando aqui no evento. Sei que não é culpa deles e quero que eles saibam, assim como todos os fãs mexicanos, que os amo e os aprecio. Estou muito feliz por estar no México, só estou chateado com forma como a WTA conduziu a situação”.

+ Jogadoras se rebelam e cobram melhorias da WTA
+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Adversária de Sabalenka nesta quinta-feira, Rybakina é outra que não está se sentindo confortável neste Finals. Ela estreou perdendo para Jessica Pegula em sets diretos, mas depois derrotou Maria Sakkari por 6/0, 6/7 (4-7) e 7/6 (7-2) na última terça-feira. “Como todos sabemos, a superfície não é das melhores. Estamos todas lutando com isso, mas tentei não ser tão negativa, o que não é fácil, mas o saque me ajudou muito”.

A atual número 4 do mundo também projetou o duelo com Sabalenka. Ela venceu o duelo mais recente em Pequim, mas a rival lidera o histórico por 4 a 2. “Agora você ganha e fica, ou perde e volta para casa. Portanto, está igual aos outros torneios. Não vai ser fácil e vou tentar fazer o meu melhor. Tenho certeza de que será uma partida muito difícil novamente e que nós duas vamos ter que lutar muito”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE