PLACAR

Rybakina fica doente e desiste, Cirstea faz ‘milagre’ e vira

Sorana Cirstea (Foto: Dubai Duty Free Tennis Championships)

Dubai (Emirados Árabes) – Uma das principais favoritas ao título do WTA 1000 de Dubai, a cazaque Elena Rybakina precisou se retirar da competição devido a um problema estomacal. Cabeça de chave número 4 do torneio,  a jogadora de 24 anos sequer entrou em quadra nesta quinta-feira para encarar a italiana Jasmine Paolini pelas quartas de final.

Esta é a segunda edição consecutiva do torneio em Dubai que Rybakina é eliminada por desistência. No ano passado, a cazaque sentiu uma lesão nas costas e não enfrentou a norte-americana Coco Gauff nas oitavas de final. Por ter melhorado sua campanha, ela deverá somar 110 pontos no ranking, insuficientes para ultrapassar a própria Gauff, e se manterá na quarta posição.

Por sua vez, a beneficiada Jasmine Paolini obtém assim a melhor campanha da carreira em um WTA 1000. Em 2023, ela havia chegado às quartas de final em Cincinnati depois de passar na fase anterior justamente por Rybakina, que sentiu dores no ombro e abandonou a partida antes do início do terceiro set.

Cirstea vira contra Vondrousova

Em busca de seu segundo título e a quinta final na elite do circuito, Paolini enfrentará a romena Sorana Cirstea, que derrubou com uma virada incrível a tcheca Marketa Vondrousova, sétima pré-classificada, com parciais de 2/6, 7/6 (7-1) e 6/2 em 2h41 de partida. Vondrousova chegou a abrir 5/1 no segundo set e perdeu seis match-points entre o sétimo e o 12º games, dois deles em seu serviço.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Na entrevista em quadra, Cirstea falou sobre a grande reação que teve no jogo e admitiu que não esperava conseguir a virada. “Essa deve ser a maior reviravolta da minha carreira. Para ser sincera, quando vi o placar apontar um set a zero e 5 a 1 contra no segundo, eu não imaginei que seria possível vencer e pensei em pelo menos fazer com que fosse legal para o público, alongando um pouco a partida. De alguma forma eu consegui vencer, mas ainda não sei como”, disse.

Este será o terceiro encontro entre elas, e Paolini venceu as duas anteriores, em Portoroz na temporada de 2021 e Roland Garros, no ano passado. Cirstea, por sua vez, alcança sua terceira semifinal de WTA 1000, repetindo a campanha de Miami em 2023. Dez anos antes, ela foi vice-campeã em Toronto, perdendo a decisão para Serena Williams por 6/2 e 6/0.

6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Henrique Max
Henrique Max
1 mês atrás

Marketa Vondrousova estava ganhando de 6×2 5×2 e perdeu o jogo, além de ter perdido 5 match points…

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
1 mês atrás
Responder para  Henrique Max

Tá vendo, não é só a Bia que perde jogos ganhos. E a “fraquinha” da Pauline já está na semifinal… virou top 20 acho

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás
Responder para  Haroldo Guimarães

Só falta a Haddad Maia ser campeã de Wilmbledon para sua comparação fazer sentido.

Ubiratan (Black)
1 mês atrás

Nossa! Vondrousova perdeu uma ótima chance de chegar nas QF, o que já seriam ótimos pontos, mas também, sem Rybakina, conquistar pelo menos os grandes pontos de ser finalista de 1000. São pontuações que ela precisa para equacionar os 2000 de WB.
Depois de fazer 5×1 no 2S, pronta pra ganhar o jogo, teve 2 MP no saque da Cirstea, outro MP no seu saque seguinte e, até chegar no 6×6, ela teve MP em 4 dos 6 games. Daí, Cirstea não deu chance no tiebreak e nem no 3S.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

Rybakina vira e mexe tá zicada! Parece a Bia! rs

Marcelo Ikeda
Marcelo Ikeda
1 mês atrás

a chave tava aberta para a Bia chegar nessa semi …

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE