PLACAR

Rybakina diz que ela mesma é sua maior ameaça

Foto: Jimmie48/WTA

Nova York (EUA) – Atual número 4 do mundo, podendo chegar à terceira colocação depois do US Open, a cazaque Elena Rybakina está com a confiança em alta. Campeã de Wimbledon no ano passado e vice no Australian Open neste ano, ela acredita que depende apenas de si mesma para ir longe no US Open e quem sabe brigar por mais um título de Grand Slam.

Questionada sobre quem seria sua principal ameaça na competição, ela não mediu palavras. “Apenas eu mesma. Tudo depende de como estou em quadra. Estou tentando focar em uma partida de cada vez e espero que nas próximas eu possa jogar como fiz hoje”, falou a cazaque após uma contundente vitória sobre a ucraniana Marta Kostyuk por 6/2 e 6/1.

“Estou muito feliz porque esperava uma partida mais dura, tivemos grandes batalhas antes e no tênis nunca se sabe o que pode acontecer. Não me senti bem fisicamente em Montréal e Cincinnati, mas aqui estou muito melhor, quero ir partida a partida”, analisou Rybakina, que fez semi no Canadá e não passou das oitavas em Cincy.

Na segunda rodada, a cazaque de 24 anos terá pela frente a australiana Ajla Tomljanovic, que disputou seu primeiro jogo no ano apenas agora no US Open, batendo na estreia a húngara Panna Udvardy de virada. Será a primeira vez que as duas medirão forças no circuito.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE