PLACAR

Rublev destaca grande partida e mantém hegemonia particular

Foto: ATP Tour

Madri (Espanha) – Classificado para a semifinal do Masters 1000 de Madri, o russo Andrey Rublev saiu bastante satisfeito com a própria performance na partida desta quarta-feira diante do atual campeão Carlos Alcaraz. Para o russo de 26 anos, essa foi sua melhor apresentação nos últimos tempos e reforçou e a chave da vitória foi manter a calma nos momentos cruciais do jogo.

“Fazia algum tempo que não jogava tão bem, tive uma tendência ascendente ao longo da partida e terminei no melhor nível possível. Acho que mesmo se tivesse perdido não teria nada do que me culpar”, disse logo após a virada por 4/6, 6/3 e 6/2 diante de Alcaraz.

“Acho que o saque me salvou muitas vezes hoje, mas o segredo foi estar completamente calmo durante toda a partida. Não disse uma palavra, mesmo quando estava perdendo. Esse foi o segredo e consegui sacar ainda melhor perto do final. No começo, eu não estava sacando bem, mas aos poucos, depois do primeiro set, saquei cada vez melhor e terminei muito bem”, acrescentou o russo, que foi elogiado pelo próprio adversário.

Campeão em Monte Carlo na temporada passada, Rublev tem aquele título como uma única conquista de Masters 1000 na carreira, mas chega agora à sua oitava semifinal. O resultado não poderia vir em melhor momento do que esse, já que o atual oitavo colocado no ranking vive uma fase complicada, com três eliminações em estreias e outra em segunda rodada nos quatro últimos torneios que disputou.

“Quando você começa a pensar em como tudo está bom, durante seis semanas eu não ganhei nada. Portanto, é melhor não pensar nisso. [Acredito] que é só um momento e que acontece com todo mundo. Todo jogador já passou por isso e o mais importante é continuar trabalhando e melhorando”, frisou.

Hegemonia contra espanhóis no saibro

A vitória de Andrey Rublev sobre Carlos Alcaraz nesta quarta-feira melhorou ainda mais o retrospecto do russo diante de jogadores espanhóis no saibro. Ao longo de sua carreira, ele nunca perdeu uma partida sobre a terra batida para um adversário hispânico no circuito da ATP, chegando agora ao 13º triunfo consecutivo.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

A sequência de Rublev começou em abril de 2015, quando derrotou Fernando Verdasco na estreia em Barcelona. Suas maiores vítimas foram Roberto Bautista Agut e Alejandro Davidovich Fokina, que foram superados três vezes cada um pelo russo.

Veja o histórico de Rublev contra espanhóis no saibro:

Andrey Rublev v. Fernando Verdasco (1ª rodada de Barcelona, 2015), 7/6(4) e 6/3
Andrey Rublev v. Pablo Carreño Busta (Semifinal de Hamburgo, 2019), 4/6, 7/5 e 6/1
Andrey Rublev v. Roberto Bautista Agut (Quartas de Hamburgo, 2020), 6/2 e 7/5
Andrey Rublev v. Alejandro Davidovich Fokina (2ª rodada de Roland Garros, 2020), 7/5, 6/1, 3/6 e 6/1
Andrey Rublev v. Roberto Bautista Agut (Oitavas de Monte Carlo, 2021), 7/6(2), 5/7 e 6/3
Andrey Rublev v. Rafael Nadal (Quartas de Monte Carlo, 2021), 6/2, 4/6 e 6/2
Andrey Rublev v. Albert Ramos (Oitavas de Barcelona, 2021), 6/4, 6/7(4) e 6/4
Andrey Rublev v. Roberto Bautista Agut (Oitavas de Roma, 2021), 6/4 e 6/4
Andrey Rublev v. Jaume Munar (2ª rodada de Monte Carlo, 2023), 4/6, 6/2 e 6/2
Andrey Rublev v. Alejandro Davidovich Fokina (3ª rodada de Roma, 2023), 7/6(8) e 6/3
Andrey Rublev v. Bernabe Zapata Miralles (1ª rodada de Hamburgo, 2023), 5/7, 6/1 e 7/6(7)
Andrey Rublev v. Alejandro Davidovich Fokina (3ª rodada de Madri, 2024), 7/6(10) e 6/4
Andrey Rublev v. Carlos Alcaraz (Quartas de Madri, 2024), 4/6, 6/3 e 6/2

25ª vitória contra top 10

O triunfo desta quarta diante do atual número 3 do mundo significou também a 25ª vitória da carreira de Rublev contra adversários do top 10, em 64 jogos disputados. Dentre as vítimas do russo estão Grigor Dimitrov, Dominic Thiem (três vezes), Roger Federer, Stefanos Tsitsipas (cinco vezes), Roberto Bautista Agut, Matteo Berrettini, Rafael Nadal, Daniil Medvedev (duas vezes), Félix Auger-Aliassime, Novak Djokovic, Cameron Norrie, Holger Rune (duas vezes), Taylor Fritz, Casper Ruud, Alexander Zverev, Alex de Minaur e agora Carlos Alcaraz.

Contra top 3, o retrospecto do russo é agora de oito vitórias e dez derrotas. Desses triunfos, seis foram contra quem ocupava o terceiro lugar da lista da ATP, uma diante do segundo colocado e outra em cima do líder do ranking, neste último caso o sérvio Novak Djokovic, na decisão do ATP 250 de Belgrado em 2022.

7 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Geraldo Cristóvão
Geraldo Cristóvão
18 dias atrás

Esse tal de Djokovic é diabólico. O bruxo do tênis. Vence sem entrar em quadra.

Geraldo Cristóvão
Geraldo Cristóvão
18 dias atrás
Responder para  Geraldo Cristóvão

Os dois principais perseguidores da liderança estão ameaçados para RG. Então, basta Diablovic ganhar Roma e chegar nas fases intermediárias de RG para se manter na liderança após este próximo GS.

Novak Diablovic agindo nos bastidores.

Edson
Edson
18 dias atrás
Responder para  Geraldo Cristóvão

Ele não tá nem aí, os caras que estão vacilando, alcaraz então, nem vai aparecer no retrovisor e se bobear medvedev lhe passa se for campeão de Madri….

José Afonso
José Afonso
17 dias atrás
Responder para  Geraldo Cristóvão

Rapaz, sou fa do servio ha muito tempo, mas rachei de rir com esse comentario kkkkkkkkkkk

Fernando Venezian
Fernando Venezian
18 dias atrás

Será que veremos um Rublev repaginado daqui em diante! Incrível como se manteve controlado hoje!

Neto
Neto
18 dias atrás
Responder para  Fernando Venezian

Também achei. E foi só ele parar de enlouquecer sozinho para os resultados acontecerem. Tomara que esteja aprendendo.

Federer eterno GOAT
Federer eterno GOAT
18 dias atrás

taí o cara que vai destruir Djokovic em Roland Garros

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE