PLACAR

Roddick acredita que Arábia pode acabar com a ATP

Foto: Edwin Martinez/Creative Commons

Nova York (EUA) – A aproximação cada vez maior do investimento saudita no tênis pode transformar o circuito, pelo menos é o que acredita o norte-americano Andy Roddick. Para ele, se os árabes conseguirem trazer os Grand Slam para o seu lado, isso poderia acabar de vez com o circuito da ATP.

“Se de alguma forma esse supercircuito conseguir absorver os quatro Grand Slams, eles terão tudo. Os principais valores da ATP são a sua infraestrutura, a sua história, o sistema de classificação e a sua relação com os jogadores”, comentou o ex-número 1 do mundo em seu podcast Served with Andy Roddick.

“No momento em que eles tiverem seus torneios, criarem o seu próprio ranking e os Grand Slams entrarem neste novo investimento, não creio que os tenistas vão competir em dois circuitos. Então o circuito ATP estaria acabado”, acrescentou Roddick.

Embora tenha restrições em relação às questões de liberdades na Arábia Saudita, onde as mulheres ainda são têm o mesmo patamar dos homens e a homosexualidade é considerada crime, Roddick pondera sobre o assunto. “Se daqui a cinco anos constatarmos que a situação vai bem e que há mudanças, teremos de engolir as nossas palavras”, afirmou.

“Temos que ter a mente aberta para um resultado diferente daquele que pensamos. Mas lá a homossexualidade é ilegal, mas temos tenistas abertamente homossexuais, (Daria) Kasatkina disse isso abertamente no ano passado. Se você joga lá, estamos dizendo para você tirar uma semana de folga da sua sexualidade? Como protegemos nossos próprios jogadores?” observou Roddick.

O norte-americano inclusive revelou ter recusado uma oportunidade de fazer uma exibição em abril próximo. “Eu disse não porque não queria saber quanto receberia. Eu nem queria saber, então disse não. Odeio ser hipócrita e já tinha me posicionado antes”, afirmou o ex-número 1 do mundo e campeão do US Open em 2003.

 

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Henrique
Henrique
5 meses atrás

Vai acabar sim. Pergunta pro Neymar e o Cristiano Ronaldo. Hahahahahahahaha

Roberto
Roberto
5 meses atrás

Essa questão, guardada as devidas proporções, é o que a china poderá fazer com o planeta…

Luiz Felipe
Luiz Felipe
5 meses atrás

Bulshit! Qual o problema de outros países quererem desenvolver um tênis de alto rendimento num circuito alternativo sem está dentro do monopólio da ATP e da ITF? Essa fala do Roddyck parece até lobby da ATP, com medo de uma possível perda da hegemonia do tênis que sinceramente está longe de acabar, pode chegar o capital saudita, quatari ou chinês que for. Quanto ao discurso de que esses circuitos alternativos em países que não possuem direitos que protejam as liberdades individuais, seriam ilegítimos. Ele é tão hipócrita quanto, pois a ATP está concentrada em países que são tão desrespeitoso e discriminatórios quanto só que em outra roupagem.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon

PUBLICIDADE